OFERTA FORMATIVA

Ref. 220T1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116522/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 10-10-2022

Fim: 21-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Tomás Cabreira

Formador

MARÍLIA ALEXANDRA MACHADO DIAS

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Tendo em conta a importância da supervisão pedagógica na melhoria das práticas pedagógicas e a sua estreita ligação com a avaliação de desempenho docente (ADD), nos domínios interno e externo é urgente promover competências básicas deste tipo de práticas na classe docente. Clarificar, diferenciar e refletir sobre a relação dos conceitos “supervisão”, “supervisão pedagógica”, “avaliação formativa”, “avaliação sumativa”, “avaliador interno” e “avaliador “externo”, são os aspetos preponderantes para esta Ação, enquadrando-os no quadro legal atual.

Objetivos

Pretende-se promover nos formandos competências relacionadas com a observação de aulas, a supervisão e a avaliação docente, de modo a que o processo de ADD seja mais claro, transparente, coerente e útil na melhoria das práticas. Pretende-se que os formandos entendam a supervisão pedagógica não como mero processo avaliativo mas como contributo para o desenvolvimento do trabalho colaborativo. Este entendimento facilitará o processo de ADD, não só para o avaliado como também para o avaliador, permitindo a ambos adquirir competências para o desempenho do seu papel de forma ética, justa e coerente.

Conteúdos

- Supervisão e Supervisão Pedagógica; - Práticas e técnicas de observação; - Avaliação (Formativa e Sumativa) do Desempenho Docente; - Avaliador (Interno e Externo) do Desempenho Docente; - Análise do quadro legal atual sobre a ADD em Portugal.

Metodologias

Explorar os conteúdos da ação, recorrendo a metodologias participativas onde cada formando tem um papel central promovendo o isomorfismo de práticas. Solicitar aos formandos que, em grupo, analisem documentos, planeiem e concebam materiais para agilizar práticas de supervisão/observação, mobilizando os conceitos abordados, apresentando-os ao grande grupo. Discutir/refletir sobre os trabalhos apresentados, assim como partilha de experiências dos trabalhos desenvolvidos em contexto de supervisão/ADD.

Avaliação

No que se refere à avaliação dos formandos, será efetuada em regime de continuidade do desempenho dos mesmos, incidindo na participação e trabalho produzido nas sessões presenciais. No final da formação, os formandos serão avaliados individualmente, de acordo com a qualidade dos recursos produzidos, expressa nos documentos apresentados e durante a sua apresentação/ discussão em plenário. A avaliação final da formação expressa-se de acordo com a escala quantitativa de 1 a 10 valores, acompanhada uma menção qualitativa (Insuficiente; Regular, Bom, Muito Bom e Excelente), tal como consta no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio. Parâmetros avaliáveis: processo de formação 25%; produto de formação 60%; reflexão final 15%.


Observações

Alarcão, I, & Canha, B. (2013). Supervisão e Colaboração. Uma relação para o desenvolvimento. Porto: Porto Editora. Vieira, F., & Moreira, M. (2011). Supervisão e avaliação do desempenho Docente: Para uma Abordagem de Orientação Transformadora. Lisboa: Ministério da Educação/Conselho Científico para Avaliação de Professores. Baptista, I. (2011). Ética, Deontologia e Avaliação do Desempenho Docente. Lisboa: Ministério da Educação – Conselho Científico para a Avaliação de Professores. Machado, E. A., Alves, M. P., & Ribeiro Gonçalves, F. (2011). Observar e avaliar práticas docentes. Santo Tirso: De Facto Editores. Quadro legal em vigor.

10/10/2022-17h30-20h30 17/10/2022-17h30-20h30 07/11/2022-17h30-20h30 14/11/2022-17h30-20h30 21/11/2022-17h30-20h30



281

Ref. 235T1 Inscrições abertas até 13-10-2022

Registo de acreditação: 235

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-10-2022

Fim: 24-10-2022

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Carla Carmo Correia Limpo de Assis

David Filipe Correia dos Santos Costa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ EDUCOM

Razões

No âmbito da Capacitação Digital dos Docentes, foram realizadas sessões, com os docentes dos vários agrupamentos, de forma a incentivar à criação e utilização de RED´s com os alunos, no desenvolvimento dos seus conhecimentos e competências digitais. Criamos uma plataforma, (formato WIKI) que permite a partilha livre de RED´s com esta iniciativa surgiu a necessidade de esclarecer todas as temáticas ligadas às publicações online que vão ao encontro dos direitos de autor, às licenças CC, passando pelos bancos de imagens e áudios livres.

Conteúdos

Produção de Recursos Educativos Digitais - conceitos de autor e de obra; Direitos autorais; RGPD; Licenças abertas Creative Commons; Publicação e partilha online; Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimédia de Richard Mayer Utilização de imagens digitais (bancos de imagens de utilização livre)



INSCREVER-ME

Ref. 128T1 Inscrições abertas até 12-10-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111880/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-10-2022

Fim: 07-12-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Paula Nogueira

Formador

Luís Filipe dos Santos Lopes da Mota Pinto

Destinatários

Professores dos grupos 230, 500 e 510

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 230, 500 e 510. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 230, 500 e 510.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Este curso de formação é elaborado e destinado ao professores do ensino básico e secundário, docentes das disciplinas de Matemática, Matemática/Ciências da Natureza e/ou Matemática/Ciências Físico – Química do grupos 230, 500 e 510 respetivamente. Este curso visa desenvolver competências específicas dos professores na utilização da calculadora gráfica, ajudando-os no desenho de gráfico e trabalho no menu da estatística, suscitando a curiosidade dos alunos para que assim possam investigar, explorar e descobrir a matemática / física - química no dia-a-dia. Com este curso, pretende-se juntar a tecnologia com a educação, permitindo que as matérias lecionadas possuam uma componente mais prática e dinâmica. Pretende-se também sensibilizar os docentes do 2º e 3º ciclos para a importância da utilização das funcionalidades da máquina de calcular gráfica como ferramenta pedagógica em sala de aula.

Objetivos

Pretende-se que os docentes, que não se encontram tão familiarizados com as calculadoras gráficas da Casio, possam começar a manusear as mesmas. Pretende-se que os docentes saibam representar gráficos na calculadora (ou no emulador), saibam extrair e calcular todos os tipos de pontos, para que assim possam usufruir de uma forma mais eficaz e eficiente das potencialidades de uma calculadora gráfica na sala de aula. Pretende-se que os docentes saibam calcular regressões, retas de regressão e respetivos gráficos. Será utilizado o menu da Estatística. Pretende-se sensibilizar os docentes para a utilização das funcionalidades das calculadoras gráficas como ferramenta pedagógica, permitindo aos alunos compreender melhor os conteúdos.

Conteúdos

Instalação e explicação do software a usar durante a formação Iniciação à calculadora gráfica Utilização e explicação do teclado Breve explicação dos menus da janela principal Explicação dos sub-menus Opções (OPTN); Explicação do ecrã de onfiguração Menu Run / Mat Calculo Manual Cálculo Diferencial Conversão de unidades Utilização dos menus Gráficos) Menu Gráficos Gráficos cartesianos, polares e paramétricos. Gráficos de funções definidas por ramos Gráficos de inequações Gráficos de derivadas tudo de gráficos: zeros; máximos e mínimos, intercepção de dois gráficos, coordenadas de um ponto e derivada de uma função num ponto. Retas tangentes Tabelas e gráficos Tabelas de funções reais de variável real Utilização dos menus Estatísticos, Estatística cálculos estatísticos de distribuições com um variável (moda, média, quartis, mediana, desvio padrão, ...; cálculos com a distribuição normal) cálculos estatísticos com distribuições bidimensionais (regressão linear, polinomial, exponencial logarítmica, sinuosidade, ..., estimação de valores) gráficos estatísticos (gráfico de barras, histogramas, diagrama de extremos e quartis,...) Gráficos das folhas de cálculo Utilização da função CALC na folha de calculo (média, moda, mediana, desvio padrão, etc) AVALIAÇÃO

Metodologias

Sessões de trabalho teórico-práticas, estando previstas 7 horas teóricas, 15 horas práticas e 3 horas para avaliação e/ou reflexão sobre a ação de formação

Avaliação

A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo com base na participação nas sessões. No final, propõe-se a realização de uma reflexão escrita em que seja revelada a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas tratadas durante a formação. Os formandos serão avaliados de 0 a 10 valores, conforme Carta Circular n.º 3 de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelos formadores e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua

Bibliografia

- Manuais de instruções de calculadoras CASIO - “Matemática Aplicada às ciências sociais” – Texto Editora – Elisabete Longo; Isabel Branco - “Xeq Mat” – 10º Ano e 11º Ano – Editorial O livro e Texto Editora – Francelino Gomes; Cristina Viegas; Yolanda Lima - “Física na Nossa Vida” – Porto Editora – M. Margarida R. D. Rodrigues; Fernando Morão Lopes Dias

Anexo(s)


Observações

19/10/2022 - 18h00-20h30 26/10/2022 - 17h00-20h30 02/11/2022 - 17h00-20h30 09/11/2022 - 17h00-20h30 16/11/2022 - 17h00-20h30 23/11/2022 - 18h00-19h30 03/12/2022 - 8.30- 13.00 (a confirmar o horário) 07/12/2022 - 17h00-19h30


INSCREVER-ME

290

Ref. 236T1 Inscrições abertas até 17-10-2022

Registo de acreditação: 236

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 20-10-2022

Fim: 20-10-2022

Regime: Presencial

Local: A DEFINIR ( em Faro) 17h00 às 20h00

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ FOCO MUSICAL PORTUGAL

Razões

Partilha, reflexão e simulação de processos e estratégias de trabalho com crianças do Pré-Escolar, 1.º e 2.º ciclos do Ensino Básico com os respetivos professores e educadores. Estruturação de estratégias de trabalho nos vértices da audição, interpretação e criação, como pontos-chave para uma educação musical plena, a pretexto da divulgação do programa UMA VIAGEM PELA HISTÓRIA DA MÚSICA TONAL da Orquestra dos Brinquedos de Lisboa que se irá trabalhar em projeto. Para este projeto em específico, temos como objetivo o (re)conhecimento de alguns compositores de charneira, identificando a corrente estética e período histórico associados. O despertar de competências na distinção tímbrica dos instrumentos é, também, um dos grandes objetivos destas sessões.

Conteúdos

Em CONTEXTO TEÓRICO (CT) abordar-se-ão os contextos e políticas pedagógicas seguidas pela Foco Musical na construção, nomeadamente, do projeto a trabalhar; as mais-valias genéricas, do ponto de vista das aprendizagens significativas, da estratégia da Audição Musical Ativa (AMA) e Participada (AMP) como prioritária nos processos de aproximação à música erudita; como se organizam categoricamente os instrumentos musicais na música erudita em contexto de orquestra e a sua relação com os instrumentos/brinquedo utilizados pela Orquestra dos Brinquedos; por último abordar-se-ão sucintamente as grandes correntes estéticas da história da música, através de balizas cronológicas e da exposição dos compositores de charneira, com exemplos sonoros e estabelecendo relação com seus contemporâneos nas outras artes, na literatura e na ciência. Em contexto de PRÁTICA SIMULADA (PS), a partir da exploração do repertório abordado construir-se-ão instrumentos a partir de material de desperdício e experienciar-se-á a forma enquanto estrutura arquitetónica de uma peça musical, através do movimento corporal e de esquemas visuais. Por último, serão trabalhadas as peças a preparar na sala de aula, para intervenção a partir da plateia.



INSCREVER-ME

Ref. 230T1 Inscrições abertas até 17-10-2022

Registo de acreditação: 230

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 22-10-2022

Fim: 22-10-2022

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal Ramos Rosa das 14 às 18h

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ BIBLIOTECA RAMOS ROSA



INSCREVER-ME

Ref. 210T3 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109824/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-10-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Francisco Lopes

Formador

Décio Gonçalves Viegas

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

26/10/2022 - 18h00-21h00 02/11/2022 - 18h00-21h00 09/11/2022 - 18h00-21h00 16/11/2022 - 18h00-21h00 23/11/2022 - 18h00-21h00 30/11/2022 - 18h00-21h00 07/12/2022 - 18h00-21h00 14/12/2022 - 18h00-22h00



278

Ref. 136T19 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 03-11-2022

Fim: 26-01-2023

Regime: Presencial

Local: Escola EB 2,3 Stº António

Formador

Maria João de Magalhães Seruca de Oliveira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

03/11/2022 – 17h00 às 19h00 10/11/2022 – 17h00 às 19h00 17/11/2022 – 17h00 às 19h00 24/11/2022 – 17h00 às 19h00 15/12/2022 – 17h00 às 19h00 05/01/2023 – 17h00 às 19h00 12/01/2023 – 17h00 às 19h00 26/01/2023 – 17h00 às 20h00



297

Ref. 210T4 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109824/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 23-11-2022

Fim: 25-01-2023

Regime: Presencial

Local: Escola EB 2,3 Santo António

Formador

Vítor Filipe Neto Guerreiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

23/11/2022 - 17h00-20h00 30/11/2022 - 17h00-20h00 07/12/2022 - 17h00-20h00 14/12/2022 - 17h00-20h00 04/01/2023 - 17h00-20h00 11/01/2023 - 17h00-20h00 18/01/2023 - 17h00-20h00 25/01/2023 - 17h00-21h00



298

Ref. 210T0 Inscrições abertas até 10-01-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109824/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 30-01-2023

Fim: 29-05-2023

Regime: Presencial

Local: None

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

Após o fecho das inscrições, enviaremos o cronograma e o local de realização - presencial


INSCREVER-ME

307

Ref. 210T2 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109824/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 06-10-2022

Fim: 25-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Francisco Lopes

Formador

Augusto Martins Cerdeira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

06/10/2022 - 17h30-20h30 13/10/2022 - 17h30-20h30 20/10/2022 - 17h30-20h30 27/10/2022 - 17h30-20h30 03/11/2022 - 17h30-20h30 10/11/2022 - 17h30-20h30 17/11/2022 - 17h30-20h30 25/11/2022 - 17h30-21h30



277

Ref. 210T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109824/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 06-12-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Tomás Cabreira

Formador

Carlos Alexandre Francisco Rodrigues

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

04/10/2022 - 17h00-20h00 11/10/2022 - 17h00-20h00 18/10/2022 - 17h00-20h00 20/10/2022 - 17h00-20h00 25/10/2022 - 17h00-20h00 08/11/2022 - 17h00-20h00 15/11/2022 - 17h00-20h00 22/11/2022 - 17h00-20h00 06/12/2022 - 17h00-21h00



276

Ref. 108T4 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-108843/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-10-2022

Fim: 24-10-2022

Regime: Presencial

Local: Alberto Iria

Formador

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CENTRO DE FORMAÇÃO RIA FORMOSA/ AGRUPAMENTO PAULA NOGUEIRA

Razões

Os critérios e os descritores dos níveis de desempenho são bastante relevantes para que os alunos compreendam o que é expectável que aprendam e o que é tido em conta na avaliação formativa do seu trabalho. É a partir dos critérios e dos descritores dos níveis de desempenho que se pode distribuir feedback de elevada qualidade a todos os alunos, no âmbito da avaliação de para as aprendizagens. Os critérios e as descrições de desempenho são afirmações que se produzem a partir de elementos curriculares indispensáveis - Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória - e que identificam o que se consideram ser as características ou os atributos que o desempenho dos alunos deve ter quando estão a trabalhar numa dada tarefa de avaliação. Assim, os critérios definem algo que é desejável que todos os alunos saibam ou sejam capazes de fazer, isto é especificações muito breves, claras e exequíveis. No mesmo sentido, os descritores de desempenho devem ser definidos de forma muito simples, objetiva e entendidos de forma igual por todos, sem correspondência direta com a avaliação quantitativa sumativa

Objetivos

Que os professores sejam capazes de : - Analisar o que se espera que os alunos devem saber e ser capazes de fazer tendo por referência o currículo e todos os seus elementos ou componentes. - Definir critérios (características fundamentais) a partir das aprendizagens a realizar e associar descritores de desempenho simples e distintos. - Definir níveis da qualidade do desempenho dos alunos - Selecionar as tarefas ou propostas de trabalho e os procedimentos de recolha de informação que permitam avaliar tão rigorosamente quanto possível o que os alunos devem saber e ser capazes de fazer através dessas tarefas. - Encontrar formas de moderação/uniformização entre os docentes de forma a ser claro, simples e objetivo para todos o significado de cada critério e dos respetivos descritores de desempenho. - Informar antecipadamente os alunos de forma muito clara, através de exemplos, como são avaliados os seus desempenhos nas tarefas que lhes vão sendo propostas.

Conteúdos

1. Conceitos: critérios e descritores de desempenho 2. Relação critérios / descritores de desempenho 3. Procedimentos em avaliação pedagógica – diferenciação de processos avaliativos e adequação de critérios e descritores de desempenhos às atividades/tarefas propostas

Metodologias

Trabalho de construção, enumeração e discussão de conceitos relevantes sobre critérios e descritores de desempenho Reflexão sobre a importância critérios e descritores de desempenho para o desenvolvimento de práticas de avaliação pedagógica que contribuam para melhorar as aprendizagens dos alunos no âmbito da avaliação formativa e sumativa. Construção de critérios e descritores em função de situações de aprendizagem em sala de aula direcionados para práticas de avaliação pedagógica orientadas para o feedback e a implementação de metodologias inovadoras de ensino, aprendizagem e a avaliação. Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação de atividades/ tarefas de operacionalização com construção de materiais elaborados numa lógica de investigação-ação.

Avaliação

Participação: (30%) – Nas tarefas de realização presencial conjunta Produtividade: (70%) – Qualidade dos materiais concretos para intervenção; - Aplicabilidade dos mesmos nas práticas/aplicação de novos meios processuais ou técnicos/produção em contexto; - Reflexão crítica escrita individual

Bibliografia

Brookhart, S. (2013). How to create and use rubrics for formative assessment and grading. Alexandria, VA: ASCD. Fernandes, D., Borralho, A., Vale, I., Gaspar, A. & Dias, R. (2011). Ensino, avaliação e participação dos alunos em contextos de experimentação e generalização do novo programa de matemática do ensino básico. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. [http://hdl.handle.net/10451/10312] Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. In J. M. DeKetele e M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Ferraz, M. J., Carvalho, A., Dantas, C., Cavaco, H., Barbosa, J. Tourais, L. e Neves, N. (1994). Avaliação Criterial e avaliação normativa. In Domingos Fernandes (Coord.), Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem (Folha A/4). Lisboa: IIE. [Disponível no sítio da DGE] Neves, A. e Ferreira, A. (2015). Avaliar é preciso? Guia prático de avaliação para professores e formadores. Lisboa: Guerra & Paz

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 24-2021 Separador 15

03/10/2022 - 17h00-20h00 17/10/2022 - 17h00-20h00 24/10/2022 - 17h00-20h30 A agendar

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-10-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 17-10-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 24-10-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial


306

Ref. 219T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115598/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas

Início: 28-09-2022

Fim: 23-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola de Vale Carneiros

Formador

Patrícia Maria Catarino Barreira Palma

Maria Eugénia Coelho Baptista de Jesus

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Metodologias

• O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI. • O trabalho autónomo será desenvolvido a partir do estudo das situações concretas decorrentes dos processos de concretização dos PI e, por isso, as dinâmicas de investigação e reflexão são incontornáveis.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.


Observações

28/09/2022 - 16h30-19h30 12/10/2022 - 16h30-19h30 19/10/2022 - 16h30-19h30 26/10/2022 - 16h30-19h30 02/11/2022 - 16h30-19h30 09/11/2022 - 16h30-19h30 16/11/2022 - 16h30-19h30 23/11/2022 - 16h30-20h30



294

Ref. 136T17 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-09-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Tomás Cabreira - sala 127 (no Bloco A)

Formador

Rui Filipe Coelho Martins

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

28/09/2022 – 17h00 às 20h00 12/10/2022 – 17h00 às 21h00 26/10/2022 – 17h00 às 21h00 02/11/2022 – 17h00 às 21h00 09/11/2022 – 17h00 às 20h00 23/11/2022 – 17h00 às 19h00 30/11/2022 – 17h00 às 21h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-09-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial


303

Ref. 218T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115558/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-09-2022

Fim: 28-11-2022

Regime: e-learning

Local: e-learning

Formador

Maria de Fátima Lopes Borralho

Destinatários

Professores do 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básicos e Secundário, Educação Especial e Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básicos e Secundário, Educação Especial e Educadores de Infância. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Decreto-Lei n.º54/2018, de 6 de julho, que estabelece o regime jurídico da educação inclusiva, da educação pré-escolar ao ensino secundário e as linhas orientadoras do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA), que conforme Zerbato e Mendes (2018) consiste na elaboração de estratégias para a acessibilidade de todos, prevê que as opções metodológicas tomadas deverão ter como base o DUA, partindo do princípio que a escola é um local onde todas as crianças e jovens têm o direito a ter um atendimento e uma educação de qualidade, onde se procura garantir que o perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória seja atingido por todos, ainda que através de percursos diferenciados, que permitem a cada um progredir no currículo com vista ao seu sucesso educativo. As atividades desenvolvidas no âmbito dos Centros de Recursos de Tecnologias de Informação e Comunicação para a Educação Especial (CRTIC), para além da avaliação dos alunos, têm como prioridade a formação de professores tanto a nível de uma melhor aplicação das soluções recomendadas/prescritas aos seus alunos como a nível de uma maior autonomia na produção de produtos de apoio gratuitos e/ou de baixo custo, numa relação direta com os conteúdos inerentes a cada um (professores de todos os grupos de docência, de todos os níveis de ensino e de educação especial).

Objetivos

A escola inclusiva pressupõe a transformação da realidade escolar de forma holística, passando, segundo Capellini e Fonseca (2017), não só por mudanças físicas ou curriculares, mas sobretudo pela implementação de dinâmicas mais diversificadas na sala de aula. Existem inúmeros recursos livres para planeamento de aulas e construção de atividades pedagógicas a que se pode aceder com facilidade. Algumas ferramentas estão mais orientadas para a construção de cursos, outras para o planeamento de aulas, outras para a construção de atividades pedagógicas de diferente natureza. O objetivo geral deste curso é a sensibilização dos profissionais para estes conteúdos, através da exploração de aplicações (APPs) livres para a inclusão de alunos e da produção e partilha de recursos, práticas educativas, estratégias e metodologias.

Conteúdos

Componente síncrona: Apresentação da ação e seu funcionamento; Divulgação dos serviços e da atividade dos Centros de Recursos de Tecnologias Informação e Comunicação para a Educação Especial (CRTIC) - centros prescritores de produtos de apoio do Ministério da Educação; Conceito de produto de apoio de software livre, opensource, licenças e acessibilidade de software livre, acessibilidade Web; APPs especiais; Construção de recursos educativos adaptados, com base nas aplicações apresentadas e exploradas; Trabalho prático e apresentação em grande grupo. Componente assíncrona: Aplicação, dos recursos construídos no decurso do curso, individualmente ou em grupo, nas aulas/escola; Reflexão crítica e interativa sobre os trabalhos realizados durante o curso, a debater nas sessões síncronas; Preparação do trabalho de grupo a apresentar ao grupo turma na última sessão síncrona.

Metodologias

Metodologia teórico-prática, combinando momentos de exposição com reflexão participada a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo. Três etapas fundamentais: 1. Componente síncrona conjunta, para abordar conteúdos teórico-práticos do curso e a orientação para implementar atividades práticas. Avaliação contínua ao longo das sessões, com regulação interativa dos projetos em curso na sessão. Os produtos pedagógicos resultarão do trabalho individual/ conjunto assentando na inovação pedagógica, a par com a excelência científica, com o acompanhamento da formadora (15 horas síncronas); 2. Componente de trabalho autónomo, com vista à conceção, implementação e avaliação de metodologias e/ou construção de materiais pedagógicos; Reflexão sobre os trabalhos realizados a debater nas sessões síncronas; Trabalho de grupo a apresentar ao grupo (7 horas assíncronas); 3. Última sessão síncrona apresentação dos trabalhos de grupo e balanço da sua aplicação e importância no desenvolvimento dos alunos (3 horas síncronas).

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho de grupo, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Capellini, V. e Fonseca, K. (2017). A Escola Inclusiva: seus pressupostos e movimentos. Revista Brasileira Psicologia e Educação, 19 (1), 107-127. DOI: 10.30715/rbpe.v19.n1.2017.10824 Carvalho, A. A. (2018). Formação Docente na era da Mobilidade: metodologias e aplicativos para envolver os alunos rentabilizando os seus dispositivos móveis. Tempos e Espaços em Educação, v. 11, n. 01, Edição Especial, 25-36, dezembro. Recuperado de https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/10047 Lei n.º116/2019. (2019). Primeira alteração ao Decreto Lei n.º 54/2018 de 6 de julho. Diário da República, 1.ª Série. N.º 176 (19-09-13), 12-35. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE) (2018). Para uma Educação Inclusiva: Manual de Apoio à Prática. Recuperado de https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Zerbato, A. P. & Mendes, E. G. (2018). Desenho universal para a aprendizagem como estratégia de inclusão escolar. Educação Unisinos, 22 (2), 147-155. Recuperado de http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2018.222.04/60746207


Observações

26/09/2022 - 17h00-20h00 03/10/2022 - 17h00-20h00 10/10/2022 - 17h00-20h00 17/10/2022 - 17h00-19h00 24/10/2022 - 17h00-20h00 31/10/2022 - 17h00-19h00 07/11/2022 - 17h00-19h00 14/11/2022 - 17h00-19h00 21/11/2022 - 17h00-19h00 28/11/2022 - 17h00-20h00



288

Ref. 136T16 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 08-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Francisco Lopes

Formador

Cláudia Marisa Silva Xavier Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

20/09/2022 – 17h30 às 20h30 27/09/2022 – 17h30 às 20h30 04/10/2022 – 17h30 às 20h30 11/10/2022 – 17h30 às 20h30 18/10/2022 – 17h30 às 20h30 25/10/2022 – 17h30 às 20h30 08/11/2022 – 17h30 às 20h30 15/11/2022 – 17h30 às 21h30???

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


279

Ref. 136T18 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 10-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Tomás Cabreira

Formador

Jorge Manuel Carrasquinho Vieira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

20/09/2022 - 18h00-20h00 27/09/2022 - 18h00-21h00 04/10/2022 - 18h00-21h00 11/10/2022 - 18h00-21h00 18/10/2022 - 18h00-21h00 25/10/2022 - 18h00-21h00 02/11/2022 - 18h00-21h00 08/11/2022 - 18h00-21h00 10/11/2022 - 18h00-20h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
2 27-09-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 04-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 11-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 18-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 25-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 08-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
9 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial


293

Ref. 166T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112351/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 08-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Educação - ESEC

Formador

Ana Cristina Hurtado de Matos Coelho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

As crianças devem ser envolvidas nos processos de descoberta da ciência em que se cultiva o raciocínio com base na evidência experimental ou outra, proporcionando-lhes o desenvolvimento de competências cognitivas que os torna aptos a resolver problemas e a serem criativos. A janela cognitiva que se abre na infância e se prolonga no 1º CEB deve ser observada como um contínuo de oportunidades para o desenvolvimento de competências no domínio da educação em ciências, num processo que se deseja flexível em termos curriculares e rico em estratégias promotoras de construção do conhecimento. Professores e educadores sensibilizados para paradigmas de construção do conhecimento com base num trabalho prático de cariz investigativo, poderão proporcionar às crianças o desenvolvimento e uso de capacidades de: observação; questionamento; planificação e condução de experiências; revisão de evidências à luz do que já se conhece; discussão e comunicação. Assumindo como ponto de partida o questionamento das ideias prévias sobre determinado conceito científico é possível promover a mudança concetual envolvendo professores/educadores e crianças no processo de descoberta e promoção intelectual. Pretende-se, nesta formação, envolver professores e educadores em projetos de intervenção didática de Educação em Ciências no âmbito do Conhecimento do Mundo e do Estudo do Meio, no sentido da valorização de uma transição centrada na criança e motivada pelo questionamento.

Objetivos

• Proporcionar dinâmicas de formação-ação-reflexão nos educadores de infância e professores do 1º ciclo com vista a uma prática pedagógica inovadora no domínio da educação em ciências. • Promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos educadores de infância e professores do 1º ciclo. • Promover a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de competências relacionadas com a aprendizagem científica e pedagógica em educação pré-escolar e no 1º Ciclo do Ensino Básico. • Promover nos formandos a análise e reflexão sobre a prática com base nas suas próprias conceções de ensino-aprendizagem. • Proporcionar situações que permitam aos profissionais educativos a reflexão sobre o modo como os (novos) conhecimentos e competências podem ser transferidos para as suas práticas.

Conteúdos

Os conteúdos ou Temas estão relacionados com os seguintes aspetos: - Transições: continuidades e descontinuidades, sendo este o tema norteador e aglutinador no horizonte deste curso. - Ambientes Educativos e suas Conexões: elemento estruturante da atividade pedagógica. - Desenvolvimento de processos investigativos em temáticas de ciências físicas e naturais; - Realização de experiências de desenvolvimento curricular em ciências físicas e naturais que contemplem a elaboração de tarefas que permitam utilizar materiais manipuláveis, tecnologias, bem como promover conexões entre diversos temas de ciências; - Promoção da interação das ciências com outas áreas do conhecimento; - Motivação dos educadores de infância e professores do 1.º CEB para a diferenciação e diversificação de métodos de ensino/aprendizagem; - Reflexão sobre a implementação de práticas pedagógicas inovadoras nas salas de aula; - Dinamização de comunidades de aprendizagem profissional, através do reforço de uma cultura de trabalho colaborativo e de partilha de experiências. - Preparação dos trabalhos finais. - Apresentação dos trabalhos e conclusão da formação

Avaliação

Participação nas sessões de trabalho presencial (10%); Desenvolvimento do trabalho e sua apresentação (50%); Relatório final de implementação (40%).

Bibliografia

Baptista , M. E. & Afonso, M. (2004). A aquisição de conhecimentos científicos e capacidades investigativas: Uma experiência pedagógica no pré-escolar. Revista de Educação, 12 (1), 25-39. Galvão, C. Reis, P., Freire. S., & Faria, C. (2011). Ensinar Ciências – Aprender Ciências. O contributo do Projeto Internacional PARSEL para tornar a Ciência relevante para os alunos. Porto: Porto Editora e Instituto de Educação Glauert, E. (2004). A ciência na educação de infância. In I. Siraj-Blatchford, Manual de desenvolvimento curricular para a educação de infância. (Capítulo 5). Lisboa: Texto Editora. Harlen, W. (2013). Evaluación y educación en ciencias baseada en la indadación: aspectos de la política y la práctica. In D. Bell, J. Dolin, P. Léna, S. Peers, X. Person, P. Row ell & E. Saltiel (Eds). Gee, K. A., & Wong, K. K. (2012). A cross national examination of inquiry and its relationship to student performance in science: Evidence from the Program for International Student Assessment (PISA) 2006. International Journal of Educational Research, 53, 303-318. doi:10.1016/j.ijer.2012.04.004


Observações

20/09/2022 - 17h00-20h00 27/09/2022 - 17h00-20h30 04/10/2022 - 17h00-20h00 11/10/2022 - 17h00-20h00 18/10/2022 - 17h00-20h00 25/10/2022 - 17h00-20h30 01/11/2022 - 17h00-20h00 08/11/2022 - 17h00-21h00


Ref. 94T14 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-09-2022

Fim: 05-12-2022

Regime: Presencial

Local: Escola EB1 Conceição de Faro

Formador

Fernanda Filipe Rebelo Silva

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

19/09/2022 - 16h30-18h30 26/09/2022 - 16h30-18h30 03/10/2022 - 16h30-18h30 10/10/2022 - 16h30-18h30 17/10/2022 - 16h30-18h30 24/10/2022 - 16h30-18h30 31/10/2022 - 16h30-18h30 07/11/2022 - 16h30-18h30 14/11/2022 - 16h30-18h30 21/11/2022 - 16h30-18h30 28/11/2022 - 16h30-18h30 05/12/2022 - 16h30-19h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-09-2022 (Segunda-feira) 16:30 - 18:30 2:00 Presencial
2 26-09-2022 (Segunda-feira) 16:30 - 18:30 2:00 Presencial
3 03-10-2022 (Segunda-feira) 16:30 - 18:30 2:00 Presencial


231

Ref. 191T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114359/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-09-2022

Fim: 22-11-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas D. Afonso III

Formador

Margarida Raquel dos Santos Nunes Gaito das Neves Pedro Leandro

Fernando José Salsinha Delgado

Destinatários

Educadores de Infância , Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância , Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agr. D. Afonso III

Razões

Atualmente, o maior desafio da educação passa por criar cidadãos curiosos, autónomos, que sejam capazes de assumir individual e coletivamente a construção do seu próprio conhecimento. Ora, esta transição para uma pedagogia que instiga a autonomia do aluno e a sua responsabilização pelo seu percurso de aprendizagem direciona para a adoção de determinadas práticas pedagógicas pelos docentes, ainda escassas nas nossas escolas. A prova disso é a fraca utilização que ainda alguns fazem das potencialidades das tecnologias digitais, que continuam a ser subaproveitadas dentro e fora da sala de aula. Se pensarmos também na importância da flexibilização e da inclusão no sistema de ensino, certamente reconhecemos os benefícios das TDIC, uma vez que, permitem diversificar estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação e respeitar os diferentes ritmos de aprendizagem dos alunos pois o ensino encontra-se mais centrado nos mesmos

Objetivos

- Promover o desenvolvimento das competências digitais dos docentes do Agrupamento, tendo em vista as seis áreas de intervenção do referencial DigCompEdu; - Capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das competências digitais dos alunos; - Promover a capacitação digital dos docentes, permitindo que, de uma forma gradual, o uso das tecnologias digitais no processo de ensino e aprendizagem se assuma como uma prática constante e sistemática; - Desenvolver estratégias que contribuam para a construção de aprendizagens significativas e promotoras de competências definidas no perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória; ...

Conteúdos

- Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano Nacional de Transição Digital; - Exploração, seleção e adequação de recursos educativos digitais ao contexto de aprendizagem; - Utilização de redes educativas digitais interativas que fomentem o trabalho colaborativo; - Exploração de estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação digital; - Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais; - Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional

Avaliação

A avaliação dos formandos será assim baseada nos seguintes pressupostos: - Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial; - Qualidade da participação/contributos nas sessões presenciais; - Qualidade do trabalho autónomo realizado e implementado com os alunos; - Apresentação do trabalho individual final; - Reflexão crítica individual. O resultado final é posteriormente traduzido numa classificação quantitativa expressa numa escala de 1 a 10 valores a que acresce uma menção qualitativa, de acordo com o Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio.

Bibliografia

Marcolla, V. (2004). A inserção das tecnologias de informação e comunicação no espaço de formação docente na UFPEL. Pelotas: UFPEL/Faculdade de Educação; Costa, F. (2008). A Utilização das TIC em Contexto Educativo. Representações e Práticas dos Professores. Lisboa: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação. Universidade de Lisboa; Moura, A. (2010). Apropriação do telemóvel como ferramenta de mediação em mobile learning: Estudos de caso em contexto educativo, disponível em http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/13183/1/Tese%2 0Integral.pdf, consultado em 14/01/2022 Meirinhos, Manuel; Silva, Sani; Dessbesel, Renata (2019). Modelos de integração curricular das tecnologias digitais em contextos de aprendizagem. In Manuel Vara Pires; Cristina Mesquita; Rui Pedro Lopes; Elisabete Mendes Silva; Maria Raquel Patrício (Eds.) IV Encontro Internacional de Formação na Docência (INCTE): livro de atas. Bragança: Instituto Politécnico. p. 102-112; Ferreira, B.; Dias-Trindade, S.; Ribeiro, A. I. (2020). Avaliação Formativa com apps e dispositivos móveis in Tecnologias digitais, redes e educação: perspectivas contemporâneas/Mary Valda Souza Sales, organizadora. - Salvador: EDUFBA, 2020.183 p., disponível em http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32178, consultado em 14/01/2022.


Observações

O Referencial Europeu para as Competências Digitais dos Professores e Educadores do século XXI (DigCompEdu), enquanto documento orientador, tem em vista a criação de um percurso formativo individual, que possibilita ao docente melhorar progressivamente nas seguintes áreas: 1. Envolvimento Profissional; 2. Recursos Educativos Digitais; 3. Ensino e Aprendizagem; 4. Avaliação; 5. Capacitação dos Aprendentes; 6. Promoção das Competências Digitais dos Aprendentes. Entende-se assim que os docentes devem desenvolver diversas CD, tirando proveito das potencialidades das tecnologias digitais e implementar estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação. Que devem integrar nas suas aulas aplicações educativas que contribuam para a utilização de redes de aprendizagem colaborativa.

19/09/2022 - 17h30-20h00 27/09/2022 - 17h30-20h00 03/10/2022 - 17h30-20h00 11/10/2022 - 17h30-20h00 17/10/2022 - 17h30-20h00 25/10/2022 - 17h30-20h00 31/10/2022 - 17h30-20h00 08/11/2022 - 17h30-20h00 14/11/2022 - 17h30-20h00 22/11/2022 - 17h30-20h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-09-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 27-09-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
3 04-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial


271

Ref. 207T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115820/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 15-09-2022

Fim: 16-03-2023

Regime: Presencial

Local: Escola EB1 de Alto Rodes

Formador

Ana Isabel Cabrita Ferreira

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam, resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118. Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM. NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM. Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional) Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8.


Observações

15/09/2022 - 17h00-19h30 29/09/2022 - 17h00-19h30 13/10/2022 - 17h00-19h30 27/10/2022 - 17h00-19h30 10/11/2022 - 17h00-19h30 24/11/2022 - 17h00-19h30 07/12/2022 - 17h00-19h30 19/01/2023 - 17h00-19h30 23/02/2023 - 17h00-19h30 16/03/2023 - 17h00-19h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-09-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 29-09-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial


282

Ref. 209T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115819/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 15-09-2022

Fim: 16-03-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Joaquim Magalhães

Formador

Helena Sofia Machado dos Santos

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam, resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, a análise de produções de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.


Observações

15/09/2022 - 17h00-19h30 29/09/2022 - 17h00-19h30 13/10/2022 - 17h00-19h30 27/10/2022 - 17h00-19h30 10/11/2022 - 17h00-19h30 24/11/2022 - 17h00-19h30 07/12/2022 - 17h00-19h30 19/01/2023 - 17h00-19h30 23/02/2023 - 17h00-19h30 16/03/2023 - 17h00-19h30



283

Ref. 211T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115818/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-09-2022

Fim: 27-02-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Joaquim Magalhães

Formador

Sandra Guerreiro Gonçalves Nobre

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam, resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 (Temático sobre avaliação) NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.


Observações

12/09/2022 - 17h00-19h30 26/09/2022 - 17h00-19h30 10/10/2022 - 17h00-19h30 24/10/2022 - 17h00-19h30 07/11/2022 - 17h00-19h30 21/11/2022 - 17h00-19h30 05/12/2022 - 17h00-19h30 03/01/2023 - 17h00-19h30 16/01/2023 - 17h00-19h30 27/01/2023 - 17h00-19h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-09-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 26-09-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial


292

Ref. 195T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113994/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 58.0 horas

Início: 04-05-2022

Fim: 16-01-2023

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Ana Bela Conceição

Lina Isabel Fernandes Campos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ PNA

Razões

A complexidade da produção cultural e artística e a diversidade cultural que constitui as escolas são uma combinatória com elevado potencial transformador do contexto escolar, das práticas pedagógicas e das práticas sociais que na/a partir da escola acontecem. A prática cultural trans-escolar suportada em programas diversificados e articulados interna e externamente em diálogo com os ecossistemas culturais locais, abre um espaço de (re)constituição de comunidades educativas mais inclusivas, coesas, atentas e colaborativas. A almejada transformação das escolas em pólos culturais, traz novos desafios de colaboração, que incluem as práticas de programação e mediação cultural em que esta ação incide.

Objetivos

Compreensão do conceito de mediação cultural e das suas diversas manifestações em diferentes contextos, inclusive no caso dos professores que organizam atividades culturais. Compreensão das especificidades da programação cultural. Reconhecimento de estratégias de programação relevantes para o estreitamento de relações entre a escola e o ecossistema que a envolve, nomeadamente as instituições culturais. Desenvolvimento de: — ferramentas de análise critica sobre a programação e a sua relação com as políticas culturais e educativas, a produção artística e de conhecimento e as dinâmicas sociais; — ética e competências no diálogo com os vários intervenientes numa programação cultural, nomeadamente artistas, públicos, técnicos especializados e parceiros; — competências de colaboração interpessoais, interdisciplinares e interinstitucionais. Aquisição de competências para o desenvolvimento de programas culturais colaborativos a partir do contexto escolar

Conteúdos

Surgimento da atividade de programação cultural como campo específico de trabalho e suas diversas manifestações. A programação cultural como atividade de mediação e como espaço participativo de leitura face à complexidade do mundo; paralelos com os contextos de aprendizagem. Programação e curadoria: mais do que planificar eventos, como criar e cuidar espaços de encontro. Elementos em jogo na elaboração de uma programação cultural: visão, contexto e recursos; programadores, artistas, públicos, críticos e parceiros. Formatos, ritmos e escalas de programação A relação com os públicos: relevância e participação, tempos e lugares, acessibilidade. Relações com os pares e parceiros: programação e colaboração. Análise comparada de estratégias e casos de estudo, nomeadamente no que concerne a programação cultural pensada para os públicos jovens, os contextos de aprendizagem e as escolas. Exercício colaborativo de mediação cultural, com vista à participação num programa cultural pré-existente. Exercício colaborativo de programação cultural a partir da escola, preferencialmente envolvendo o ecossistema cultural onde esta se inscreve. Projeto colaborativo de programação cultural a partir da escola, envolvendo o ecossistema cultural onde esta se inscreve.

Metodologias

Os vários conceitos e conteúdos serão expostos de forma simultaneamente teórica e prática, com suporte em leituras de excertos de textos e apresentação de casos de estudo, incentivando os participantes ao debate e à análise crítica conjunta em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação de um projeto imaginário de programação, de âmbito colaborativo e de um projeto real de programação, de âmbito colaborativo, que envolva intervenientes da comunidade escolar e do contexto territorial onde esta se inscreve, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

AAVV, 10 X 10: Ensaios sobre Arte e Educação, FCG, Lisboa, 2017. Matarasso, François, Para uma arte irrequieta, FCG, Lisboa, 2019. Pinto Ribeiro, António, Questões Permanentes, Livros Cotovia, 2011. Fradique, Teresa, (coord.), O Público vai ao Teatro – Encontros sobre políticas da recepção e envolvimento de públicos, Teatro da meia volta e depois à esquerda quando eu disser, Lisboa, 2019. Wallenstein, Madalena (coord.), Nós pensamos todos em nós, CCB, Lisboa, 2016


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 1


Ref. 231T1 Em avaliação

Registo de acreditação: 231

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 01-10-2022

Fim: 01-10-2022

Regime: e-learning

Local: on line

Formador

Amílcar José Oliveira de Sousa Morais

Destinatários

Professores do grupo 360;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 360;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 360;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa



Ref. 232T1 Em avaliação

Registo de acreditação: 232

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 01-10-2022

Fim: 01-10-2022

Regime: e-learning

Local: Auditório da Escola Secundária João de Deus - Faro

Formador

Amílcar José Oliveira de Sousa Morais

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agrupamento de Escolas João de Deus



Ref. 233T1 Em avaliação

Registo de acreditação: 233

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 01-10-2022

Fim: 01-10-2022

Regime: e-learning

Local: Auditório da Escola Secundária João de Deus - Faro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agrupamento de Escolas João de Deus



Ref. 234T1 Em avaliação

Registo de acreditação: 234

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 01-10-2022

Fim: 01-10-2022

Regime: e-learning

Local: Auditório da Escola Secundária João de Deus - Faro

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agrupamento de Escolas João de Deus



Ref. 226T1 Em avaliação

Registo de acreditação: 226

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-09-2022

Fim: 13-09-2022

Regime: e-learning

Local: Plataforma ZOOM- das 15h às 18h

Formador

Cátia Sofia Martins

Maria da Conceição Rodrigues Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ UALG

Razões

Atendendo à importância que as tecnologias digitais têm no quotodiano dos docentes, quer ao nível pedagógico, quer colaborativo e de investigação, o domínio de ferramentas que apoiem e facilitem estas exigências torna-se essencial. A Plataforma da EU faculta o acesso ao EUSurvey, um sistema de gestão de questionários, que permite a sua criação e publicação, de forma acessível e gratuita. Considerando a variedade de funcionalidades que esta ferramenta oferece, em comparação a outras plataformas gratuitas, pode-se apresentar como um importante recurso para docentes e investigadores.

Objetivos

Assim, pretende-se: 1. Dar a conhecer a plataforma de formulários EUSurvey; 2. Capacitar os docentes para a sua utilização.

Conteúdos

1. A plataforma EUSurvey a. Registo e autenticação. b. Exploração guiada às funcionalidades de edição de formulários (e.g., estrutura, questões, texto & media). c. Colaboradores e privilégios. d. Publicação de formulários. e. Resultados e exportação. f. Formulários com tradução. 2. Exercício prático de criação de formulário na plataforma EUSurvey.



Ref. 222T1 Em avaliação

Registo de acreditação: DGAE/824/2022

Modalidade: Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 6.0 horas

Início: 13-07-2022

Fim: 13-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Francisco Lopes

Formador

David Alexandre Rita Martins

Destinatários

Coordenador Técnico, Assistente Técnico, Encarregado Operacional, Assistente Operacional

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Razões

O papel do pessoal não docente, tradicionalmente confinado ao papel logístico para o processo educativo possa acontecer, teve de evoluir. Deste modo, os assistentes tem hoje de ser um gestor dos espaços exteriores de uma escola, um organizador, detentor de um conjunto de competências relacionais a par das inerentes ao processo educacional. Por outro lado, exerce a sua função não docente numa Escola que se configura como um palco de interações relacionais onde coexistem diferentes formas de estar e de fazer. Esta diversidade cada vez mais vivida na escola nos seus diferentes contextos, sala de aula e espaços exteriores, e pelos seus diferentes atores da comunidade educativa, permite uma grande riqueza de experiências que é importante potenciar mas que pode simultaneamente ser geradora de situações de conflito.Com frequência verifica-se que estas situações são causadoras de um grande stress e desgaste emocional o que tira a energia e disponibilidade que seriam fundamentais canalizar para a gestão do ensino e da aprendizagem. Esta constatação merece uma reflexão no sentido de identificar fatores que precipitam a emergência do conflito e que formas podemos encontrar para a sua prevenção e resolução numa abordagem positiva. Nesta perspetiva importa dotar os assistentes de um conjunto de competências que lhes permitam lidar com estas situações, partindo de uma autorreflexão pessoal sobre estes fenómenos que se possa traduzir, posteriormente, em práticas em que estes aspetos são trabalhados com os alunos, de uma forma intencional, promovendo o seu desenvolvimento pessoal e social.

Objetivos

No final da Ação de Formação, os destinatários foram capazes de: - Compreender os vários tipos de comunicação; - Conhecer os vários modelos teóricos subjacente à comunicação; - Refletir criticamente sobre a comunicação; - Identificar as principais componentes e estratégias para ultrapassar conflitos; - Compreender os conceitos inerentes à Inclusão, nomeadamente Equidade e Igualdade; - Refletir sobre as questões de sigilo e ética

Metodologias

As sessões serão essencialmente teórico-práticas e práticas. Forma utilizados os métodos, expositivo, interrogativo e ativos, recorrendo a diferentes estratégias e técnicas pedagógicas: trabalho de grupo, debate, resolução de problemas, simulação e jogos pedagógicos. As questões foram abordadas com base nas situações concretas da prática docente, e foram tratadas com maior profundidade as mais pertinentes no quadro da vida do agrupamento TEIP, nomeadamente as que estão estritamente ligadas à organização do ambiente escolar, e à vivência no quotidiano. Estas sessões visaram a abordagem conceptual, em simultâneo com a procura do envolvimento motivacional dos professores na gestão do apoio tutorial especifico no seu ambiente escolar.

Avaliação

Participação e avaliação contínua 80% Assiduidade 20%

Modelo

O desempenho dos Formandos em ações de formação contínua é sempre avaliado e certificado. Essa avaliação traduz-se numa creditação e numa classificação. Nos termos da Carta Circular CCPFC - 3/2007, de Setembro de 2007, em todas as ações de formação contínua a iniciar a partir de 1 de Outubro, passa a ser atribuída aos formandos uma classificação quantitativa na escala de 1 a 10 valores. O referencial da escala de avaliação/classificação é o seguinte: Insuficiente (de 1 a 4,9 valores), Regular (de 5 a 6,4 valores), Bom (de 6,5 a 7,9 valores), Muito Bom (de 8 a 8,9 valores), e Excelente (de 9 a 10 valores). Tem direito a certificação pela participação numa ação de formação contínua o docente que a conclua com sucesso, satisfazendo cumulativamente as seguintes condições: - Não exceder, em faltas, um terço do número das horas presenciais conjuntas; - Obter uma classificação igual ou superior a 5 valores, numa escala de 10 valores.


Observações

CASTANYER, O. (2002).A Assertividade – expressão de uma auto-estima saudável.Coimbra: Tenacitas. CUNHA, P. (2001). Conflito e Negociação. Porto: Edições ASA Deutsch, M. (1949). A theory of cooperation and competition. Human Relations, 2, 129-152. Deutsch, M. (1962). Cooperation and trust: Some theoretical notes. In M. R. Jones (Ed.),Johnson, D. W. (1970). Social psychology of education. New York: Holt, Rinehart, & Winston. ESTRELA, M. T. (2002) Relação Pedagógica, Disciplina e Indisciplina na Sala de Aula. Porto: Porto Editora. FACHADA, M. O. (2006). Psicologia das Relações Interpessoais.Lisboa: Rumo. GOTMAN, J. & DECLAIRE, J. (1999). A Inteligência Emocional na Educação. Cascais: Editora Pergaminho. JARES, X. R. (2001).Educação e Conflito – Guia de Educação para a Convivência. Porto: Edições ASA. MARKHAM, U. (1993). Como Lidar com Pessoas Difíceis. Lisboa: Gradiva. MARUJO, H. A., NETO, L. M. & PERLOIRO, M. F. (1999) Educar para o Optimismo. Barcarena: Editorial Presença. MARUJO, H. A. & NETO, L. M. (2001). Optimismo e Inteligência Emocional – Guia para Educadores e Líderes. Barcarena: Editorial Presença. PÉREZ, J. F. B. (2009). Coaching para Docentes. Porto: Porto Editora SEIJO, J. C. T. (2003). Mediação de Conflitos em Instituições Educativas. Porto: Edições ASA

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-07-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Presencial

Ref. 227T1 Concluída

Registo de acreditação: 227

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 21-09-2022

Fim: 21-09-2022

Regime: Presencial

Local: Auditório do Agrupamento de escolas Pinheiro e Rosa

Formador

Eusébio André da Costa Machado

Maria Fernanda Sande Candeias

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Os objetivos, as diferentes tipologias e o papel dos diversos intervenientes no processo avaliativo dos alunos estão claramente plasmados nos Decretos-Lei 54 e 55 de 6 de julho e ainda na Portaria 223-A, visando primordialmente a melhoria das aprendizagens dos alunos. Para fomentar a reflexão, a clarificação conceptual e possibilitar que um maior número de docentes se aproprie dos conceitos estruturantes da avaliação pedagógica, tais como: integração curricular, destrinça entre avaliação formativa e a sumativa, avaliação referida a critérios, processos de recolha de informação, feedback, entre outros, propõe-se a concretização desta ACD que irá incluir momentos de esclarecimento de dúvidas, de modo a que os docentes participantes possam melhorar a sua didática quotidiana e com isso criar uma cultura sustentada de inovação pedagógica.

Conteúdos

Avaliação Pedagógica – Avaliação Formativa e Avaliação Sumativa, Feedback; Critérios de avaliação; Papel dos diferentes atores na avaliação



Ref. 208T1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/814/2022

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 05-09-2022

Fim: 07-09-2022

Regime: Presencial

Local: Auditório EBI/JI José Carlos da Maia

Formador

Juliana Raimundo da Costa Martins

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Considera-se que esta ação se enquadra no plano de atividades do Centro de Formação, uma vez que contribui para promover o conhecimento do pessoal não docente sobre as características específicas das Perturbações de Comportamento na infância e adolescência, bem como para dotar estes profissionais de estratégias e ferramentas que contribuam para lidarem de forma adequada e construtiva com as crianças e jovens que apresentam estas perturbações. Considera-se tratar-se de uma ação inovadora, tendo em conta a sua especificidade e o público a que se destina.

Objetivos

Informar acerca das características gerais das perturbações do comportamento. Informar sobre as características específicas das perturbaçoes de comportamento: nomeadamente: Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção, Perturbação de Oposição, Perturbação do Comportamento, Perturbação explosiva intermitente. Esclarecer/informar sobre as características específicas da perturbação do espectro do autismo, enquanto perturbação de neurodesenvolvimento. Informar sobre a relação entre o mundo emocional e as perturbações de comportamento. Sugestão de estratégias e ferramentas que contribuam para que estes profissionais consigam lidar de forma adequada com as crianças e adolescentes diagnosticadas com estas perturbações, enquanto agentes educativos de inclusão.

Conteúdos

10 horas de componente teórica, estruturadas em dinâmicas, expositivas, reflexivas e de partilha; e 5 horas de componente prática onde os formandos poderão aplicar os conteúdos aprendidos.

Avaliação

Participação e avaliação contínua 50% Assiduidade 30% Teste escrito / trabalhos 20%

Modelo

A avaliação terá por base os diferentes momentos propostos, de debate e reflexão e a correspondente participação dos formandos e de um trabalho final.

Bibliografia

A apresentar posteriormente.


Observações

5, 6 e 7 de setembro de 2022, com o seguinte horário: 9:30-12:30 e 14:30-16:30H

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-09-2022 (Segunda-feira) 09:30 - 16:30 7:00 Presencial
2 06-09-2022 (Terça-feira) 09:30 - 16:30 7:00 Presencial
3 07-09-2022 (Quarta-feira) 09:30 - 16:30 7:00 Presencial

Ref. 2251 Concluída

Registo de acreditação: 225

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 20-07-2022

Fim: 20-07-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Alberto Iria

Formador

Ema Carla Mendes da Conceição Salero

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agrupamento Alberto Iria

Razões

Esta ação visa proporcionar o conhecimento de uma série de recursos digitais e práticas colaborativas realizadas por docentes no âmbito da utilização de tecnologias digitais no exercício das suas funções, quer dirigidas a alunos quer a outros elementos da comunidade educativa. Pretende-se que a partilha relativa à utilização destas ferramentas conduza a mudanças nas práticas letivas e também no que diz respeito à colaboração com outros professores, técnicos especializados e professora bibliotecária.

Conteúdos

Abordagens ao ensino; Trabalho colaborativo e cooperativo; Tecnologias de informação e comunicação aplicadas a situações de aprendizagem, colaboração e partilha.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-07-2022 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 206T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 206 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-07-2022

Fim: 14-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Ria Formosa - Faro

Formador

Anabela Brás de Oliveira Estudante

Fátima Marques Candeias

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A literatura específica ligada ao ensino das ciências releva a importância do desenvolvimento do trabalho prático para a construção da literacia científica das crianças e dos alunos. Nas Orientações Curriculares para a Educação Pré- escolar (OCEPE), refere-se que a área do Conhecimento do Mundo permite lançar as bases da estruturação do pensamento científico, que será posteriormente mais aprofundado e alargado(...) e ainda que “É essencial que se vá construindo uma atitude de pesquisa, centrada na capacidade de observar, no desejo de experimentar, na curiosidade de descobrir numa perspetiva crítica e de partilha do saber”. As Aprendizagens Essenciais (AE) de Estudo do Meio (1º ciclo) visam desenvolver um conjunto de competências de diferentes áreas do saber, nomeadamente Biologia, Física, Geografia, Geologia, História, Química e Tecnologia. Nos ciclos seguintes estas diferentes áreas são divididas em diferentes disciplinas no que podemos designar genericamente por Ciências. As competências em Ciências dizem respeito aos conhecimentos - saber científico e tecnológico - mas também aos processos científicos - observar, inferir, prever, classificar, comunicar (escrita, tabelas, gráficos, esquemas, ilustrações), medir, interpretar informação, levantar questões, formular hipóteses, identificar e operacionalizar variáveis, planear - bem como as atitudes científicas - procura da verdade, mente aberta, mente analítica, sistematicidade, curiosidade. As atividades de aprendizagem das ciência, com recurso a metodologias ativas e investigativas, nomeadamente através de trabalho laboratorial, experimental e de campo, permitem o desenvolvimento de todas as áreas de competências descritas no Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO), com especial destaque na área do pensamento crítico e criativo. Ao realizar estas atividades os alunos estão simultânea a realizar aprendizagens e a estabelecer conexões com a Matemática, Língua Portuguesa e Expressão Plástica. Neste momento, passados 12 anos do programa de Ensino Experimental de Ciências, (2006 a 20210), é fundamental revisitar os conceitos estruturantes da educação em ciências efectuado o enquadramento das aprendizagens essenciais em articulação com as competências dos alunos inscritas no PASEO.

Conteúdos

Conceitos estruturantes na Educação em ciências Linguagem específica e linguagens transversais Práticas pedagógicas em ciências: - Atividade prática - trabalho de base laboratorial - trabalho de base experimental - trabalho de campo Evidências de registos – a forma e o conteúdo dos registos do processo de ensino – aprendizagem - avaliação: - planificar/planear - operacionalizar - avaliar



Ref. 108T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-108843/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-07-2022

Fim: 20-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária João de Deus

Formador

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CENTRO DE FORMAÇÃO RIA FORMOSA/ AGRUPAMENTO PAULA NOGUEIRA

Razões

Os critérios e os descritores dos níveis de desempenho são bastante relevantes para que os alunos compreendam o que é expectável que aprendam e o que é tido em conta na avaliação formativa do seu trabalho. É a partir dos critérios e dos descritores dos níveis de desempenho que se pode distribuir feedback de elevada qualidade a todos os alunos, no âmbito da avaliação de para as aprendizagens. Os critérios e as descrições de desempenho são afirmações que se produzem a partir de elementos curriculares indispensáveis - Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória - e que identificam o que se consideram ser as características ou os atributos que o desempenho dos alunos deve ter quando estão a trabalhar numa dada tarefa de avaliação. Assim, os critérios definem algo que é desejável que todos os alunos saibam ou sejam capazes de fazer, isto é especificações muito breves, claras e exequíveis. No mesmo sentido, os descritores de desempenho devem ser definidos de forma muito simples, objetiva e entendidos de forma igual por todos, sem correspondência direta com a avaliação quantitativa sumativa

Objetivos

Que os professores sejam capazes de : - Analisar o que se espera que os alunos devem saber e ser capazes de fazer tendo por referência o currículo e todos os seus elementos ou componentes. - Definir critérios (características fundamentais) a partir das aprendizagens a realizar e associar descritores de desempenho simples e distintos. - Definir níveis da qualidade do desempenho dos alunos - Selecionar as tarefas ou propostas de trabalho e os procedimentos de recolha de informação que permitam avaliar tão rigorosamente quanto possível o que os alunos devem saber e ser capazes de fazer através dessas tarefas. - Encontrar formas de moderação/uniformização entre os docentes de forma a ser claro, simples e objetivo para todos o significado de cada critério e dos respetivos descritores de desempenho. - Informar antecipadamente os alunos de forma muito clara, através de exemplos, como são avaliados os seus desempenhos nas tarefas que lhes vão sendo propostas.

Conteúdos

1. Conceitos: critérios e descritores de desempenho 2. Relação critérios / descritores de desempenho 3. Procedimentos em avaliação pedagógica – diferenciação de processos avaliativos e adequação de critérios e descritores de desempenhos às atividades/tarefas propostas

Metodologias

Trabalho de construção, enumeração e discussão de conceitos relevantes sobre critérios e descritores de desempenho Reflexão sobre a importância critérios e descritores de desempenho para o desenvolvimento de práticas de avaliação pedagógica que contribuam para melhorar as aprendizagens dos alunos no âmbito da avaliação formativa e sumativa. Construção de critérios e descritores em função de situações de aprendizagem em sala de aula direcionados para práticas de avaliação pedagógica orientadas para o feedback e a implementação de metodologias inovadoras de ensino, aprendizagem e a avaliação. Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação de atividades/ tarefas de operacionalização com construção de materiais elaborados numa lógica de investigação-ação.

Avaliação

Participação: (30%) – Nas tarefas de realização presencial conjunta Produtividade: (70%) – Qualidade dos materiais concretos para intervenção; - Aplicabilidade dos mesmos nas práticas/aplicação de novos meios processuais ou técnicos/produção em contexto; - Reflexão crítica escrita individual

Bibliografia

Brookhart, S. (2013). How to create and use rubrics for formative assessment and grading. Alexandria, VA: ASCD. Fernandes, D., Borralho, A., Vale, I., Gaspar, A. & Dias, R. (2011). Ensino, avaliação e participação dos alunos em contextos de experimentação e generalização do novo programa de matemática do ensino básico. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. [http://hdl.handle.net/10451/10312] Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. In J. M. DeKetele e M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Ferraz, M. J., Carvalho, A., Dantas, C., Cavaco, H., Barbosa, J. Tourais, L. e Neves, N. (1994). Avaliação Criterial e avaliação normativa. In Domingos Fernandes (Coord.), Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem (Folha A/4). Lisboa: IIE. [Disponível no sítio da DGE] Neves, A. e Ferreira, A. (2015). Avaliar é preciso? Guia prático de avaliação para professores e formadores. Lisboa: Guerra & Paz

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 24-2021 Separador 15

12, 14, 19 e 20 junho das 9h;30-12;30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-07-2022 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 14-07-2022 (Quinta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
3 19-07-2022 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 20-07-2022 (Quarta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 221T2 Concluída

Registo de acreditação: 221

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-07-2022

Fim: 12-07-2022

Regime: Presencial

Local: ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO LOPES

Formador

Júlio César Martins R. Silva Paiva

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A implementação das novas Aprendizagens Essenciais para o Ensino Básico de Matemática vêm trazer novos desafios, entre eles, como avaliar com as metodologias de ensino contidas neste documento. Por outro lado o Decreto-Lei 55 de 2018, regulamenta a avaliação e, em particular, a Portaria 223,A/20018, refere que se deve ter em conta as Aprendizagens Essenciais nos critérios de avaliação, na alínea b) do artigo 18. A alínea c) do mesmo artigo vai mais longe ao referir que os critérios de avaliação também devem ter em conta os demais documentos curriculares ao nível da consolidação, aprofundamento e enriquecimento das Aprendizagens Essenciais. Esta formação o foco do formador é exemplificar, discutir e ajudar a implementar a operacionalização dos critérios de avaliação e rubricas tendo em conta, a portaria citada anteriormente, o que é definido nesses temas (critérios de avaliação e rubricas) no projeto MAIA e o que é definido no novo documento das Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico, a entrar em vigor para o quinto e sétimo ano no ano letivo 2022/2023.



Ref. 198T1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/766/2022

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 11-07-2022

Fim: 15-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Dr Alberto Iria

Formador

Pedro Nuno Navalho de Moura

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta ação insere-se no âmbito da transição digital das escolas que tem como propósito capacitar o pessoal não docente para os conhecimentos básicos da informática. Esta formação está inserida no plano de formação do Agrupamento e responde também ao Plano de Ação Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) que está em desenvolvimento. Todos os  Agrupamento de Escolas valorizam a componente de formação dos seus profissionais, docentes e assistentes técnicos. Os assistentes técnicos são membros integrantes e ativos da comunidade escolar. O desempenho das suas funções requer que interajam na escola, tanto com os professores como com os alunos e demais membros da comunidade. Como tal, a valorização pessoal e profissional dos assistentes técnicos é de extrema importância, uma vez que lidam diretamente com todas as necessidades de cariz técnico que as escolas exigem - nomeadamente, a elaboração de tabelas, faturas, mapas de pessoal e vencimentos, etc.

Objetivos

Com esta ação pretende-se que os formandos consigam, no final da mesma, trabalhar usando a plenitude de funcionalidades que a aplicação Microsoft Excel proporciona. Espera-se que os formandos consigam, de modo consistente, elaborar tabelas, gráficos, utilizar as fórmulas para calcular valores, assim como por em prática consultas e pesquisas numa determinada folha de cálculo. Familiarização dos formandos com as diversas plataformas online do Ministério da Educação.

Conteúdos

Introdução - A interface gráfica do programa - 1 hora A folha de cálculo Microsoft Excel - Como funciona uma folha de cálculo: as diferentes funcionalidades associadas ao Excel - 2 horas Paginação e Impressão - Como preparar uma folha de cálculo para ser impressa - 1 hora Trabalhar com várias folhas - a utilização de fórmulas em várias folhas de cálculo - 2 horas Gráficos em Excel - Como criá-los e formatá-los - 4 horas As fórmulas - Criação de cenários de utilização de diversas fórmulas no Excel; - 3 horas Introdução às plataformas online do Ministério da Educação - 1 hora Avaliação da ação - 1 hora

Bibliografia

Office 2021 All-In-One For Dummies, Peter Weverka, WILEY Ed., 01-2022 Microsoft Office 2010 Para Todos Nós, Sérgio Sousa e Maria José Sousa, FCA. Excel Avançado, Paula Peres, Edições Sílabo, novembro de 2021.


Observações

Dia Horário 11/7 14h00-17h00 12/7 14h00-17h00 13/7 14h00-17h00 14/7 14h00-17h00 15/7 14h00-17h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-07-2022 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
2 12-07-2022 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 13-07-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
4 14-07-2022 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
5 15-07-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 111T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 111 CD nº30 08.07.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 08-07-2022

Fim: 08-07-2022

Regime: Presencial

Local: Chalé João Lúcio

Formador

Vera Marques

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º ciclos

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º, 2º e 3º ciclos. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º, 2º e 3º ciclos.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/Município de Olhão; Aldeia – Acção, Liberdade, Desenvolvimento, Educação, Investigação, Ambiente (RIAS)

Razões

Esta ação surge da necessidade de se sensibilizar professores, educadores e profissionais que trabalham diretamente com crianças para a temática, no sentido de promover a disseminação da informação junto dos seus alunos.

Conteúdos

O papel dos oceanos no planeta O que é um ecossistema Ecossistema da Ria Formosa Fauna e flora da região Exemplos de atividades práticas a realizar com crianças

Anexo(s)



Ref. 100T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109300/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-07-2022

Fim: 14-07-2022

Regime: Presencial

Local: ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO LOPES

Formador

Tiago Martins Escudeiro

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo; Professores do Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo; Professores do Ensino Secundário;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo; Professores do Ensino Secundário;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O mar e as atividades náuticas quando desenvolvidas e orientadas por profissionais oferecem às crianças e jovens sensações únicas de superação. O surf e a canoagem são duas modalidades que cada vez mais ganham relevância ao nível dos conteúdos a abordar na disciplina de Educação Física como modalidades alternativas e de exploração da natureza. O Documento Nacional de Estratégia para o Mar, da responsabilidade do Ministério do Mar, preconiza a reaproximação do povo português ao mar e às atividades nele desenvolvidas, sejam elas de carater lúdico, cultural ou económico. Sob este pressuposto, o Ministério da educação através do desporto escolar, criou os Centros de Formação Desportiva das modalidades náuticas, cujo objetivo é a democratização do acesso a este tipo de modalidades desportivas que, de outra forma, estariam vedadas à maior parte da população devido a constrangimentos de enquadramento técnico/pedagógico, financeiros e de locais de prática.

Objetivos

Pretendemos, com esta ação, desenvolver nos participantes uma maior proximidade ao mar e às modalidades de surf e canoagem. Como objetivo secundário desta ação, pretendemos dotar os colegas de métodos, técnicas de ensino, manuseamento e orientação das atividades náuticas para que possam também eles orientar um grupo de alunos neste contexto específico, em atividades de complemento curricular, na lecionação de módulos dos cursos profissionais de técnico de desporto ou no âmbito do desporto escolar.

Conteúdos

1. O centro de formação de canoagem e surf - Apresentação, recursos disponíveis, localização, condicionantes geográficas e meteorológicas, tipo de atividades que se desenvolvem, normas de segurança e plano de emergência. 2. Introdução ao salvamento em meio aquático 3. Introdução à canoagem: Enquadramento e história da modalidade, especificidades da canoagem, nomenclatura das embarcações e das suas partes constituintes, tipos de embarcações para turismo, aprendizagem e competição. A pagaia, o colete, técnicas de embarque e desembarque técnicas básicas de propulsão, retropulsão e apoio. Normas e regras de segurança específicas da modalidade. 4. Introdução ao surf: Enquadramento e história da modalidade, especificidades da modalidade, nomenclatura das pranchas e das suas partes constituintes, tipos de pranchas para turismo, aprendizagem e competição, o fato isotérmico. Técnicas de aproximação ao mar, remada na prancha, o deslize deitado e o deslize em pé, passagem da posição da posição de deitado para a posição de pé, o equilíbrio em pé e as viragens. Normas e regras de segurança específicas da modalidade.

Metodologias

As atividades previstas terão um caráter presencial, em sessões teóricas e práticas num total de 25 horas de duração. As atividades terão um carater predominantemente prático, com 20 horas previstas para esta componente e 5 horas previstas para uma componente teórica (expositiva/demonstrativa) Nas sessões práticas serão utilizadas os materiais próprios e específicos das modalidades. A componente teórica recorrerá a conteúdos multimédia para melhor abordar as temáticas.

Avaliação

Para além do cumprimento das determinações legais, a avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10 valores de acordo com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. A avaliação dos formandos centra-se em duas dimensões. A primeira relaciona-se com o percurso e o trabalho dos formandos ao longo do curso de formação, sendo considerado o nível de participação nas sessões e a realização das atividades propostas. A segunda pressupõe a elaboração de um trabalho de reflexão e avaliação dos conhecimentos adquiridos, partindo das reflexões, perspetivas inerentes à execução das atividades teóricas e práticas desenvolvidas nas sessões presenciais. Nesta conformidade, o regime de avaliação dos formandos segue as orientações e critérios do CFAE que preveem 40% para a participação e 60% para o trabalho produzido. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas conjuntas da ação.

Bibliografia

Jimenéz, A. & Rodríguez, J. (2005). Piraguismo Recreativo. Editorial Wanceule. Moreira, M. (2009). SURF: Da Ciência à Prática. Edições FMH. http://www.fmh.utl.pt/indices/surfv.pdf Szanto, C. (2010). ICF Coaches Education Programme: canoe sprint coaching manual. Level 2 and 3. https://www.canoeicf.com/sites/default/files/icf_csp_coaches_manual_level_23_.pdf.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 24-2021 Separador 12 Em 2017 criámos o Centro de Formação Desportiva de Canoagem e Surf do Agrupamento de Escolas Francisco Fernandes Lopes de Olhão (CFD-AEFFL) reunindo um conjunto de recursos que nos permitem oferecer todas as condições necessárias para a realização de atividades de iniciação/aperfeiçoamento das duas modalidades em meio escolar.

7 de julho - 2,5h teóricas - em formato online; 11 de julho - 5h práticas 12 de julho - 5h práticas 13 de julho - 5h práticas 14 de julho - 5h práticas avaliação prática 14 de julho - 2,5h - em formato online de avaliação teórica.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 07-07-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
2 11-07-2022 (Segunda-feira) 08:30 - 13:30 5:00 Presencial
3 12-07-2022 (Terça-feira) 08:30 - 13:30 5:00 Presencial
4 13-07-2022 (Quarta-feira) 08:30 - 13:30 5:00 Presencial
5 14-07-2022 (Quinta-feira) 08:30 - 13:30 5:00 Presencial
6 15-07-2022 (Sexta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Online síncrona

Ref. 221T1 Concluída

Registo de acreditação: 221

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-07-2022

Fim: 06-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Dr. João Lúcio

Formador

Júlio César Martins R. Silva Paiva

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A implementação das novas Aprendizagens Essenciais para o Ensino Básico de Matemática vêm trazer novos desafios, entre eles, como avaliar com as metodologias de ensino contidas neste documento. Por outro lado o Decreto-Lei 55 de 2018, regulamenta a avaliação e, em particular, a Portaria 223,A/20018, refere que se deve ter em conta as Aprendizagens Essenciais nos critérios de avaliação, na alínea b) do artigo 18. A alínea c) do mesmo artigo vai mais longe ao referir que os critérios de avaliação também devem ter em conta os demais documentos curriculares ao nível da consolidação, aprofundamento e enriquecimento das Aprendizagens Essenciais. Esta formação o foco do formador é exemplificar, discutir e ajudar a implementar a operacionalização dos critérios de avaliação e rubricas tendo em conta, a portaria citada anteriormente, o que é definido nesses temas (critérios de avaliação e rubricas) no projeto MAIA e o que é definido no novo documento das Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico, a entrar em vigor para o quinto e sétimo ano no ano letivo 2022/2023.



Ref. 197T1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/765/2022

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 04-07-2022

Fim: 08-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Dr Alberto Iria

Formador

Pedro Nuno Navalho de Moura

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta ação insere-se no âmbito da transição digital das escolas que tem como propósito capacitar o pessoal não docente para os conhecimentos básicos da informática. Esta formação está inserida no plano de formação do Agrupamento e responde também ao Plano de Ação Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) que está em desenvolvimento. Além da função de assistentes operacionais que estes profissionais exercem nas escolas, pretende-se dotá-los de competências que se inserem na área das novas tecnologias. A realidade das escola está a mudar a um ritmo estonteante, e cada vez mais, é necessário dominar, nos dias que correm, um conjunto de competências que até hoje, não se aplicariam na realidade da escola. Assim sendo, é esperado que os assistentes operacionais consigam dominar as ferramentas informáticas básicas, que hoje em dia são amplamente utilizadas, quer por alunos, quer por professores. O conhecimento para realizar um documento no processador de texto, a realização de uma pequena apresentação em PowerPoint, a navegação na Internet, assim como a utilização das plataformas digitais, são necessários para dotar os nossos assistentes operacionais de conhecimentos que lhes permitam encarar o seu futuro profissional com mais à vontade e confiança.

Objetivos

Com esta ação pretende-se que os formandos consigam, no final da mesma, trabalhar usando a maioria das funcionalidades que as aplicações Microsoft Word, do Powerpoint e do navegador online proporcionam. Espera-se que os formandos consigam, de modo consistente, elaborar textos, inserir imagens, realizar a paginação de um documento previamente redigido, criar pequenas apresentações em PowerPoint e saber como realizar, corretamente, uma pesquisa online.

Conteúdos

Introdução - A interface gráfica do Microsoft Word - 1 hora Como redigir um documento - 2 horas Como inserir uma imagem (presente no computador ou a partir da web) e como formatá-la - 2 horas Como inserir um cabeçalho e rodapé, o número de páginas, a data - 1 hora Como inserir formas automáticas e a sua formatação - 2 horas Como trabalhar com tabelas - 2 horas Como criar uma apresentação no Microsoft PowerPoint - 2 horas Realização de pesquisas online com o recurso a técnicas de refinamento da procura - 2 horas Avaliação da ação - 1 hora

Bibliografia

Office 2021 All-In-One For Dummies, Peter Weverka, WILEY Ed., 01-2022 Microsoft Office 2010 Para Todos Nós, Sérgio Sousa e Maria José Sousa, FCA. Fundamental do Word 2013, Paulo Capela Marques e Nuno Costa, FCA, Edição 2013. Fundamental do PowerPoint 2010, Maria José Sousa, FCA, Edição 2011. Google - Guia de Consulta Rápida, 3.ª Edição Actualizada, Magno Urbano, FCA, Edição 2008. Internet - Guia para navegar, pesquisar, comunicar, fazer compras, divertir-se e explorar com segurança o mundo virtual, António Eduardo Marques, Edições Centro Atlântico.


Observações

Dia Horário 4/7 9h00-12h00 5/7 9h00-12h00 6/7 9h00-12h00 7/7 9h00-12h00 8/7 9h00-12h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-07-2022 (Segunda-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 05-07-2022 (Terça-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
3 06-07-2022 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
4 07-07-2022 (Quinta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
5 08-07-2022 (Sexta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial

Ref. 205T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 205 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 24-06-2022

Fim: 24-06-2022

Regime: Presencial

Local: CHALÉ JOÃO LÚCIO - OLHÃO

Formador

Sandra Isabel Costa Romba

Marco Paulo martins Paiva

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Museu de Olhão

Razões

Capacitar os formandos com algumas ferramentas em torno da cultura acessível e das práticas artísticas inclusivas, as quais poderão posteriormente, nas suas atividades profissionais conduzir, de modo autónomo, a atividades educativas dirigidas a crianças, jovens e adultos, em torno desta temática.

Objetivos

• Reconhecer o conceito de acesso cultural e de práticas artísticas inclusivas; • Consciencialização do conceito de diversidade; • Aquisição de processos metodológicos inclusivos, no exercício da prática criativa através do teatro, da fotografia e da música; • Reconhecimento da diversidade como motor criativo. Fortalecimento do sentido de interajuda, de cooperação e de representatividade.



Ref. 108T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-108843/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-06-2022

Fim: 18-07-2022

Regime: Presencial

Local: Escola D. Afonso III

Formador

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CENTRO DE FORMAÇÃO RIA FORMOSA/ AGRUPAMENTO PAULA NOGUEIRA

Razões

Os critérios e os descritores dos níveis de desempenho são bastante relevantes para que os alunos compreendam o que é expectável que aprendam e o que é tido em conta na avaliação formativa do seu trabalho. É a partir dos critérios e dos descritores dos níveis de desempenho que se pode distribuir feedback de elevada qualidade a todos os alunos, no âmbito da avaliação de para as aprendizagens. Os critérios e as descrições de desempenho são afirmações que se produzem a partir de elementos curriculares indispensáveis - Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória - e que identificam o que se consideram ser as características ou os atributos que o desempenho dos alunos deve ter quando estão a trabalhar numa dada tarefa de avaliação. Assim, os critérios definem algo que é desejável que todos os alunos saibam ou sejam capazes de fazer, isto é especificações muito breves, claras e exequíveis. No mesmo sentido, os descritores de desempenho devem ser definidos de forma muito simples, objetiva e entendidos de forma igual por todos, sem correspondência direta com a avaliação quantitativa sumativa

Objetivos

Que os professores sejam capazes de : - Analisar o que se espera que os alunos devem saber e ser capazes de fazer tendo por referência o currículo e todos os seus elementos ou componentes. - Definir critérios (características fundamentais) a partir das aprendizagens a realizar e associar descritores de desempenho simples e distintos. - Definir níveis da qualidade do desempenho dos alunos - Selecionar as tarefas ou propostas de trabalho e os procedimentos de recolha de informação que permitam avaliar tão rigorosamente quanto possível o que os alunos devem saber e ser capazes de fazer através dessas tarefas. - Encontrar formas de moderação/uniformização entre os docentes de forma a ser claro, simples e objetivo para todos o significado de cada critério e dos respetivos descritores de desempenho. - Informar antecipadamente os alunos de forma muito clara, através de exemplos, como são avaliados os seus desempenhos nas tarefas que lhes vão sendo propostas.

Conteúdos

1. Conceitos: critérios e descritores de desempenho 2. Relação critérios / descritores de desempenho 3. Procedimentos em avaliação pedagógica – diferenciação de processos avaliativos e adequação de critérios e descritores de desempenhos às atividades/tarefas propostas

Metodologias

Trabalho de construção, enumeração e discussão de conceitos relevantes sobre critérios e descritores de desempenho Reflexão sobre a importância critérios e descritores de desempenho para o desenvolvimento de práticas de avaliação pedagógica que contribuam para melhorar as aprendizagens dos alunos no âmbito da avaliação formativa e sumativa. Construção de critérios e descritores em função de situações de aprendizagem em sala de aula direcionados para práticas de avaliação pedagógica orientadas para o feedback e a implementação de metodologias inovadoras de ensino, aprendizagem e a avaliação. Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação de atividades/ tarefas de operacionalização com construção de materiais elaborados numa lógica de investigação-ação.

Avaliação

Participação: (30%) – Nas tarefas de realização presencial conjunta Produtividade: (70%) – Qualidade dos materiais concretos para intervenção; - Aplicabilidade dos mesmos nas práticas/aplicação de novos meios processuais ou técnicos/produção em contexto; - Reflexão crítica escrita individual

Bibliografia

Brookhart, S. (2013). How to create and use rubrics for formative assessment and grading. Alexandria, VA: ASCD. Fernandes, D., Borralho, A., Vale, I., Gaspar, A. & Dias, R. (2011). Ensino, avaliação e participação dos alunos em contextos de experimentação e generalização do novo programa de matemática do ensino básico. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. [http://hdl.handle.net/10451/10312] Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. In J. M. DeKetele e M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Ferraz, M. J., Carvalho, A., Dantas, C., Cavaco, H., Barbosa, J. Tourais, L. e Neves, N. (1994). Avaliação Criterial e avaliação normativa. In Domingos Fernandes (Coord.), Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem (Folha A/4). Lisboa: IIE. [Disponível no sítio da DGE] Neves, A. e Ferreira, A. (2015). Avaliar é preciso? Guia prático de avaliação para professores e formadores. Lisboa: Guerra & Paz

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 24-2021 Separador 15

23/06/2022 – 16h00 às 18h30 04/07/2022 – 15h30 às 18h30 13/07/2022 – 09h00 às 13h00 18/07/2022 – 09h00 às 12h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 23-06-2022 (Quinta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
2 08-07-2022 (Sexta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
3 13-07-2022 (Quarta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 18-07-2022 (Segunda-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial

Ref. 185T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113931/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.5 horas

Início: 03-06-2022

Fim: 11-07-2022

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Rui Orlando Pimenta Santos

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Em 2001, a Ria Formosa albergava uma das maiores densidades do mundo de cavalos-marinhos (Curtis e Vincent, 2005). Estas espécies carismáticas dependem de ervas marinhas, pois usam a estrutura das pradarias para se camuflarem e capturarem presas, segurando-se às folhas de ervas marinhas com as suas caudas. Devido à sua distribuição esparsa, baixa mobilidade e baixa fecundidade, os cavalos-marinhos são particularmente vulneráveis a mudanças naturais e antropogénicas de seus habitats (Foster e Vincent, 2004). A Ria Formosa, está a sofrer cada vez mais efeitos antropogénicos associados ao declínio das ervas marinhas (Cunha et al, 2013), tendo os cavalos-marinhos diminuído drasticamente em 90% da população estimada em 2001, o que os coloca em vias de extinção.

Objetivos

1. Capacitar os destinatários sobre os serviços prestados pelo ecossistema Ria Formosa, num contexto local e em particular pelas ervas marinhas, bem como da problemática da conservação dos cavalos marinhos. 2. Ampliar os seus conhecimentos nos domínios da especialidade nomeadamente Ecologia, Ciências do Ambiente e Educação Ambiental em estreita ligação com o PASEO e AE. 3. Proporcionar um contacto estreito entre os destinatários e instituições científicas relevantes neste domínio. 4. Diversificar as estratégias de atuação, refletir coletivamente e aperfeiçoar a prática pedagógica. 5. Promover a troca de experiências/saberes (formandos/formandos, formandos/formadores)

Conteúdos

A Oficina de Formação está estruturada em torno dos seguintes módulos: Módulo I. Conceitos teórico-práticos para a compreensão dos serviços prestados pelas pradarias de ervas marinhas (duração 4 horas síncronas on line) e Saída de campo à Ria Formosa (5 horas presenciais) Módulo II. Conceção de projetos e sua implementação e conceção e realização de materiais/documentos (duração 12,5 horas em contexto real de aprendizagem, trabalho autónomo) Módulo III. Realização de um fórum em que os participantes apresentarão os produtos decorrente

Avaliação

Participação: (30%) – Nas tarefas de realização presencial conjunta Produtividade: (70%) – Qualidade dos materiais concretos para intervenção; - Aplicabilidade dos mesmos nas práticas/aplicação de novos meios processuais ou técnicos/produção em contexto; - Reflexão crítica escrita individual

Bibliografia

Aprendizagens essenciais (2018). Ministério da Educação: Direção-Geral da Educação. Barracosa, H., de los Santos, C. B., Martins, M., Freitas, C., & Santos, R. (2019). Ocean Literacy to Mainstream Ecosystem Services Concept in Formal and Informal Education: The Example of Coastal Ecosystems of Southern Portugal. In Frontiers in Marine Science (Vol. 6, p. 626). https://www.frontiersin.org/article/10.3389/fmars.2019.00626 Cunha, AH, Assis, JF, Serrão E 2013. Seagrasses in Portugal: A most endangered marine habitat. Aquatic Botany, 104:193-203. Curtis JMR and Vincent ACJ, 2005. Distribution of sympatric seahorse species along a gradient of habitat complexity in a seagrass-dominated community. Marine Ecology Progress Series 291, 81-91. Martins, G. O. et al. (2017) Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Ministério da Educação: Direção-Geral da Educação.


Observações

3 de junho de 2022, das 17:00 às 20:00 horas (presencial) 4 de junho de 2022, das 8:30 às 13:30 horas (visita ao Santuário dos Cavalos Marinhos da Ria Formosa e Estação de Aquacultura do Ramalhete, onde se faz a criação de cavalos marinhos) 20 de junho de 2022, das 17:00 às 19:30 (online, elaboração de propostas de atividades) 11 de julho de 2022, das 17:00 às 19:00 (presencial, partilha e avaliação final da ação de formação)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-06-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 04-06-2022 (Sábado) 08:30 - 13:30 5:00 Presencial
3 20-06-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
4 11-07-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial

Ref. 203T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 203 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 27-05-2022

Fim: 27-05-2022

Regime: e-learning

Local: ON LINE

Formador

Alexandre José da Costa Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa



Ref. 192T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 192 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 26-05-2022

Fim: 02-06-2022

Regime: Presencial

Local: Auditório da E S Francisco Lopes entre as 16.30 e 19.30

Formador

Cláudia Herdeiro Cavaco Cardoso

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa



Ref. 159T4 Concluída

Registo de acreditação: Registo 159 CD nº32 10.12.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-05-2022

Fim: 18-05-2022

Regime: Presencial

Local: A definir. Horário - 16.30/19.30

Formador

Maria João Rodrigues Pereira Jacinto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ PEEA

Razões

O Programa de Educação Estética e Artística (PEEA) desenvolve as suas ações em conformidade com as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, assim como, com a matriz curricular-base do Ensino Básico, nas vertentes de Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música. É neste contexto que a sua atividade prossegue a valorização da arte, incrementando estratégias educativas, com inovação e transversalidade, que fazem acrescer o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito relacionando a arte e a cultura com as outras áreas do saber.

Objetivos

Esta ação pretende dar a conhecer a missão do PEEA, através dos seus objetivos, finalidades e atividades. Por conseguinte, pretende-se com este momento divulgar, apresentar e promover o Programa junto das escolas e comunidades educativas, numa lógica de articulação, monitorização e avaliação das ações realizadas.

Conteúdos

O modelo do PEEA Princípios orientadores do PEEA1: missão; finalidades; objetivos; eixos de Intervenção. Estratégias e metodologias de trabalho. Realização de atividade(s) de referência do PEEA. • Abordagem às áreas artísticas (Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música), que exemplificam uma pedagogia centrada na pesquisa, na experiência e na exploração do mundo envolvente. • Metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade expressiva.

Bibliografia

Aprendizagens Essenciais de Educação Artística — Artes Visuais; Dança; Expressão Dramática/Teatro e Música (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/ Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Aprendizagens Essenciais de Educação Visual e Educação Musical (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. BATALHA, A. (2004). Metodologia do Ensino da Dança. Cruz-Quebrada: Edições FMH. GARDNER, H. (1982). Art, Mind, and Brain: a cognitive approach to creativity. New York: Basic Books. LABAN, R. (1975). Modern Educacional Dance. Plymouth: Northcote House Publishers. LEENHARDT, P. (1977). A Criança e a Expressão Dramática. Lisboa: Editorial Estampa. SOUSA, A. (2003). Educação pela Arte e Artes na Educação. 2.º volume Drama e Dança. Lisboa: Instituto Piaget. UNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística. Desenvolver as Capacidade Criativas para o Século XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO.

Anexo(s)



Ref. 136T9 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-05-2022

Fim: 07-07-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Jorge Manuel Carrasquinho Vieira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

12/maio 18h00 - 20h00 2 horas 19/maio 18h00 - 21h00 3 horas 26/maio 18h00 - 21h00 3 horas 02/junho 18h00 - 21h00 3 horas 09/junho 18h00 - 21h00 3 horas 16/junho 18h00 - 21h00 3 horas 23/junho 18h00 - 21h00 3 horas 05/julho 18h00 - 21h00 3 horas 07/julho 18h00 - 20h00 2 horas

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-05-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 19-05-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 26-05-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 02-06-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 09-06-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 23-06-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 06-07-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 07-07-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona


232

Ref. 192T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 192 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 12-05-2022

Fim: 19-05-2022

Regime: Presencial

Local: Auditório da E S João de Deus entre as 16.30 e 19.30

Formador

Cláudia Herdeiro Cavaco Cardoso

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Maria Eugénia Coelho Baptista de Jesus

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa



Ref. 136T11 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 11-05-2022

Fim: 13-07-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Cláudia Marisa Silva Xavier Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

11/05/2022 – 17h00 às 20h00 18/05/2022 – 17h00 às 20h00 25/05/2022 – 17h00 às 20h00 01/06/2022 – 17h00 às 20h00 08/06/2022 - 17h00 às 20h00 15/06/2022 – 17h00 às 20h00 22/06/2022 – 16h30 às 20h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-05-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 25-05-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 01-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 08-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 15-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 22-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 29-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 13-07-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial


234

Ref. 202T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 202 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-05-2022

Fim: 11-05-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Francisco Fernandes Lopes

Formador

Isabel José Botas Bruno Fialho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Agrupamento Francisco Fernandes Lopes

Razões

O n.º 1, do artigo 24.º do DL n.º 55/2018 estabelece que “a avaliação formativa assume caráter contínuo e sistemático, ao serviço das aprendizagens, recorrendo a uma variedade de procedimentos, técnicas e instrumentos de recolha de informação, adequados à diversidade das aprendizagens, aos destinatários e às circunstâncias em que ocorrem”. Neste contexto, os critérios de avaliação, enquanto interpretações refletidas do currículo, são ferramentas fundamentais para apoiar a aprendizagem, o ensino, a avaliação e a classificação, contribuindo para a eficácia do processo pedagógico.

Conteúdos

Critérios de avaliação: - fundamentação - caracterização - definição



Ref. 136T10 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 10-05-2022

Fim: 30-06-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Jorge Manuel Carrasquinho Vieira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

1 10/maio 18h00 - 20h00 2 horas Online síncrona 2 17/maio 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 3 24/maio 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 4 31/maio 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 5 07/junho 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 6 14/junho 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 7 21/junho 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 8 28/junho 18h00 - 21h00 3 horas Online síncrona 9 30/junho 18h00 - 20h00 2 horas Online síncrona

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 17-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 24-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 31-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 07-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 14-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 21-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 28-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 30-06-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona


233

Ref. 196T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 196 CD nº34 21.06.2022196

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 07-05-2022

Fim: 07-05-2022

Regime: Presencial

Local: CCV Algarve e Baixa de Faro

Formador

Stefan Rosendahl

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ CC VIVA DO ALGARVE

Razões

A geologia urbana compreende o estudo da construção e das pedras decorativas de edifícios, monumentos, pavimentos, etc. As pedras de construção e seu conteúdo mineral e fóssil revelam a história da sua origem, a sua procedência, o tratamento a que foram sujeitos e a sua forma de interagir com o meio ambiente, ou seja, o estado de alteração por influências ambientais. Além disso, as pedras conferem forma e cor às edificações, definindo uma parte do seu aspeto estético. Deste modo, junta-se uma dimensão natural à dimensão arquitetónica, artística e histórica das edificações, combinando o património cultural com o natural. O património construído de uma cidade pode ser visto como um museu geológico ao ar livre que pode ser visitado para fins pedagógicos ou turísticos. Neste museu, as pedras e os seus conteúdos mineral e fóssil, são acessíveis num meio urbano e podem ser observados durante todo o ano. De mais a mais, grande parte das pedras foi sujeita a um tratamento de polimento, evidenciando o seu conteúdo e a sua estrutura.Para as visitar, não são necessários veículos poluentes de todo-o-terreno ou caminhadas longas e exaustivas. Em vista disto, a geologia urbana é uma forma de dar a conhecer vários aspetos da geologia, não só ao público em geral e a muitos idosos e pessoas com mobilidade reduzida (revelando-se uma contribuição preciosa para o turismo inclusivo), como à comunidade escolar. Esta alternativa permite uma abordagem à geologia muito próxima das vivências diárias de alunos e professores, para além de uma exploração em aula de campo com toda a faciliadade e a possibilidade de trabalho individual ou de grupo em completa autonomia

Objetivos

Trabalhar a dimensão natural, a dimensão arquitetónica, a artística e histórica das edificações. Associar o património cultural com o natural.



Ref. 171T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 171 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 04-05-2022

Fim: 11-05-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento João de Deus- Escola Santo António

Formador

Cidália Maria Ribeiro Gonçalves

Helena Isabel de Castro Pereira

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A Terapia do Som é uma resposta com resultados fidedignos, cientificamente comprovados ao nível da redução do stress e da ansiedade, promovendo o relaxamento, o aumento da concentração e um maior equilíbrio e bem-estar. Este projeto surgiu devido ao enquadramento social atual, porque vivemos numa sociedade agitada, repleta de imprevisibilidades, em constante mudança e extremamente exigente. O stress, a ansiedade e o rigor que colocamos nos nossos objetivos pessoais, familiares e profissionais impedem-nos de usufruir de os viver em plenitude, afetando a nossa saúde física e mental. As estatísticas relativas à Saúde Mental indicam que surgiu um agravamento destas condições com a pandemia por Covid19, designadamente, nas restrições associadas ao confinamento e consequente redução do contacto social, à alteração dos hábitos de vida ao nível familiar, profissional e de lazer e à necessidade de uma adaptação rápida do ser humano a todas estas mudanças. Segundo o Ministério da Saúde, os resultados do estudo “Saúde Mental em Tempos de Pandemia (SM-COVID19)” indicam que cerca de 25% dos participantes apresenta sintomas moderados a graves de ansiedade, depressão e stress pós-traumático. Estes resultados estão em linha com outros estudos a nível mundial, confirmando que as alterações profundas provocadas pela COVID-19 no quotidiano das pessoas tiveram impactos na sua saúde mental e bem-estar. Portanto, ergueu-se a ideia de desenvolver uma Ação de Curta Duração sobre Terapia do Som, como uma resposta no sentido de habilitar os formandos a combater ou atenuar o stress e a ansiedade, tão comuns na sociedade atual.

Conteúdos

Parte Teórica (2h) O Som como terapia Benefícios da Terapia de Som Quais os instrumentos terapêuticos. Taças Tibetanas, origem e história até aos dias de hoje, tipos de taças, material e constituição Efeitos do som na mente Esclarecimento de dúvidas. Parte prática (2h) - Manuseamento de alguns instrumentos terapêuticos: diapasão, taça tibetana, feng gong, tambor xamânico, chocalhos, tambor oceânico... (30min.) - Realização de uma atividade grupal de Terapia de Som “Viagem Sonora” (1h) - Reflexão acerca da atividade “Viagem Sonora” e esclarecimento de dúvidas (30min.) Conteúdos a serem abordados: • Som (Timbre, altura, dinâmica e intensidade) • Frequência • Vibração • Harmónicos • Ressonância por simpatia

Metodologias

Visualização de vídeos sobre o ouvido, som e vibração, manufaturação de taças de som; Experiências com som; Realização de atividades práticas com instrumentos terapêuticos; Partilha de testemunhos.

Avaliação

Observação direta (participação dos formandos e comunicação – relações interpessoais).

Anexo(s)

CARTAZ



Ref. 190T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105419/19

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 18.0 horas

Início: 03-05-2022

Fim: 25-06-2022

Regime: Presencial

Local: Museu Municipal de Olhão

Formador

Sandra Isabel Costa Romba

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Com esta ação de formação pretende-se promover a aquisição de conhecimentos relativos à história do concelho de Olhão, o desenvolvimento curricular, a educação pela arte, a integração transdisciplinar das TIC e a sua aplicação no processo de ensino/aprendizagem, de forma a fomentar o desenvolvimento de mais e melhor ensino-aprendizagem. Salientamos a oportunidade da aplicação destas ferramentas, também ao nível das áreas de projeto e cidadania. Pretende-se, assim, uma evolução das atuais práticas pedagógicas no sentido de as adaptar a uma realidade distinta que se caracteriza pela necessidade de informação relevante e fiável, suscetível de se tornar útil aos seus destinatários. Perspetivam-se também repercussões nos modos de aprendizagem dos alunos e nos modos de formação dos professores.

Objetivos

Adquirir ferramentas práticas relativas à utilização das TIC em contexto letivo, para que estas possam ser exploradas de forma organizada, retirando-se o melhor partido, contribuindo para a preparação do aluno a nível académico e profissional; – Promover a Educação pela Arte, com carácter intencional e com suporte teórico, potencializando o desenvolvimento do pensamento artístico e a perceção estética, desenvolvendo a sensibilidade a perceção e a imaginação no sentido do conhecimento artístico, necessário para compreender a arte como meio de humanização da realidade. Modernizar os processos e os meios envolvidos na formação contínua dos professores, explorando as competências TIC e o ensino através da Educação pela Arte; Facultar ao máximo o acesso à formação contínua e promovê-la, enquanto garantia da qualidade dos docentes no sentido de uma melhoria significativa das suas competências e do seu desenvolvimento

Conteúdos

Módulo 1: Hugo Oliveira e Sandra Romba, Museu Municipal de Olhão, 3 de maio, terça-feira, das 17h às 19h30, duração: 2h30. Módulo 2: Veralisa Brandão e Ana Martinho, Museu Municipal de Olhão, 11 de maio, terça-feira das 17h às 19h30, duração: 2h30. Módulo 3: Carla Assis, Centro de Formação Ria Formosa, 17 de maio, terça-feira das 17h às 19h, duração: 2h. Módulo 4: José Joaquim Dias Marques, Universidade do Algarve, 24 de maio, terça-feira das 17h às 19h, duração: 2h. Módulo 5: Cristiana Nascimento, Município de Olhão, 31 de maio, das 17h às 20h, duração: 3h. Módulo 6: Nuno António, MOJU, 7 de junho, das 17h às 19h, duração: 2h. Módulo 7: Marco Paiva, Terra Amarela, 25 de junho, sábado das 9h às 12h, duração: 3h. Módulo 8: Avaliação, 25 de junho, sábado, 12h às 13h, duração: 1h.

Metodologias

- Exposição de conteúdos propostos relacionados com as OCEPE - pré-escolar e aprendizagens essenciais definidas para o 1ºciclo - Estudo do Meio (domínio: sociedade); - Realização de exercícios práticos ao nível do enquadramento dos conteúdos abordados na Educação pela Arte e na utilização das TIC.

Avaliação

Avaliação da Ação por formandos (Inquérito no final). Avaliação da formação pelo formador e formandos (Relatório). Relatório do Centro de Formação com parecer do Consultor/Especialista.

Bibliografia

Mendes, António Rosa, Olhão fez-se a si próprio, Olhão, Gente Singular Editora, 2009. Romba, Sandra, Evolução Urbana de Olhão, Olhão, Sul, Sol e Sal Editora, 2015. - Embarco, Revista de Estudos Marítimos do Algarve, Município de Olhão, nº1-2015.

Anexo(s)

descrição da ação


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 2

3 de maio - Terça-feira, das 17h às 19h 30m 11 de maio - Terça-feira, das 17h às 19h30m 17 de maio - Terça-feira, das 17h às 19h 26 de maio - Quinta-feira das 17h às 19h 7 de junho - Terça-feira, das 17h às 19h 14 de junho Terça-feira, das 17h às 20h 25 de junho - Sábado - 9h às 12h 25 de junho - Sábado - 12h às 13h

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 10-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
3 17-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial
4 26-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial
5 07-06-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial
6 14-06-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 25-06-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
8 25-06-2022 (Sábado) 12:00 - 13:00 1:00 Presencial

Ref. 136T14 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 03-05-2022

Fim: 07-06-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Augusto Martins Cerdeira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

03/05/2022 – 17h30 às 20h30 10/05/2022 – 17h30 às 21h30 17/05/2022 – 17h30 às 21h30 24/05/2022 – 17h30 às 21h30 31/05/2022 – 17h30 às 21h30 07/06/2022 – 17h30 às 21h30 14/06/2022 – 17h30 às 21h30 21/06/2022 – 17h00 às 22h00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-05-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
2 10-05-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 17-05-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
4 24-05-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
5 31-05-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
6 07-06-2022 (Terça-feira) 17:30 - 22:30 5:00 Online síncrona


250

Ref. 177T1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/589

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 29-04-2022

Fim: 07-06-2022

Regime: Presencial

Local: ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO LOPES sala A1.05

Formador

Cláudia Marisa Silva Xavier Mendes

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Em função do plano de atividades: O Curso de Formação resulta da manifestação de interesses por parte dos destinatários bem como da indicação dessa necessidade , ao CFAE, pela direção. O Agrupamento utiliza diversos serviços Google (Email, Drive, Meet, etc.) no exercício de grande parte das suas tarefas e constata-se a grande necessidade de formação do pessoal para melhoria do desempenho profissional e aproveitamento dos recursos disponíveis. O Agrupamento emite diversos documentos que poderão ser elaborados e partilhados com recurso à Drive. A utilização dos serviços Google é eficaz, gratuito e ilimitado para escolas. Em função dos destinatários: O website do Agrupamento interliga diversos setores com a Drive (documentação, ementas, etc.) e a capacidade de utilização e organização da Drive é fundamenta

Objetivos

Atualizar o pessoal sobre as tecnologias de informação e comunicação que podem ser utilizadas na escola; Capacitar o pessoal para a utilização dos recursos da internet para aumento da produtividade; Criar e partilhar informação, trabalhar de forma colaborativa e à distância; Saber utilizar eficazmente as ferramentas de comunicação à distância.

Conteúdos

Google Mail - Criação, envio e receção de emails; organização da caixa de email Google Drive - Conceitos Básicos e Ferramentas de Produtividade Google Docs - Criação, formatação e partilha de documentos Google Sheets - Criação, formatação e partilha de documentos Google Meet - Criação, agendamento e gestão de uma reunião Meet Google Calendar - Criação, gestão e partilha de anotações Google Keep Interligação dos serviços

Avaliação

Ponderação participação: 25 Ponderação assiduidade: 25 Ponderação testes/trabalhos escritos: 50

Modelo

Questionário a preencher pelos formandos para avaliar a ação: Questionário a preencher pelos formadores para avaliar a ação: Relatório final da entidade formadora: Relatório final do formador:


Observações

Datas - 29 de abril 6, 13, 20, 27 Maio e 3 Junho entre as 14h e as 16.307h, sala A1.05.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 29-04-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
2 13-05-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
3 27-05-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
4 31-05-2022 (Terça-feira) 14:30 - 17:00 2:30 Presencial
5 03-06-2022 (Sexta-feira) 14:00 - 16:30 2:30 Presencial
6 07-06-2022 (Terça-feira) 14:30 - 17:00 2:30 Presencial

Ref. 136T13 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-04-2022

Fim: 02-06-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Augusto Martins Cerdeira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

28/04/2022 – 17h30 às 21h00 05/05/2022 – 17h30 às 21h00 12/05/2022 – 17h30 às 21h00 19/05/2022 – 17h30 às 21h00 09/06/2022 – 17h30 às 21h00 15/06/2022 – 17h30 às 21h00 23/06/2022 – 17h30 às 21h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-04-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
2 05-05-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 12-05-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
4 19-05-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
5 26-05-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
6 02-06-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 22:30 5:00 Online síncrona


249

Ref. 201T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 201 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 28-04-2022

Fim: 28-04-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária João de Deus

Formador

Cláudia Herdeiro Cavaco Cardoso

Paula Cristina Sousa Cabral St.Aubyn

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta ACD insere-se no plano de Atividades do Projeto Erasmus +: “Profissionais do século XXI: Uma Aventura pela Europa V”, e decorrerá no âmbito da mobilidade realizada pelo parceiro “IES GUSTAVO ADOLFO BÉCQUER”. O desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a utilização massiva da Internet trouxeram um importante contributo para a existência de plataformas que suportem a comunicação a distância, fazendo com que as modalidades online sejam, cada vez mais, uma alternativa válida. Nesse sentido A formação em Wordpress, constitui uma alternativa como plataforma de permite monitorar e conduzir o processo de aprendizagem e que facilite a integração, gestão e reutilização de conteúdos, assim como os meios de partilha de objetos de aprendizagem e de conhecimento. Sendo a plataforma utilizada para a criação do site do AEJD, faz todo o sentido que os professores deste agrupamento desenvolvam competências de criação, edição e manutenção de sites. Com esta iniciativa pretende-se ainda capacitar os docentes no sentido de criarem sites em contexto educativo, para que possam também trabalhar colaborativamente, pois é fundamental para o seu desenvolvimento profissional contínuo.

Conteúdos

Iniciação ao Curso de Wordpress: Utilização de plugins/Wiggets; apresentação do website criado para contexto educativo.



Ref. 204T3 Concluída

Registo de acreditação: Registo 204 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-04-2022

Fim: 28-04-2022

Regime: Presencial

Local: SEDE DO INEM

Formador

Vasco Miguel Soares Craveiro Alves Monteiro

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/INEM



Ref. 200T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 200 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 27-04-2022

Fim: 27-04-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária João de Deus

Formador

Cláudia Herdeiro Cavaco Cardoso

Paula Cristina Sousa Cabral St.Aubyn

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta ACD insere-se no plano de Atividades do Projeto Erasmus +: “Profissionais do século XXI: Uma Aventura pela Europa V”, e decorrerá no âmbito da mobilidade realizada pelo parceiro “IES GUSTAVO ADOLFO BÉCQUER”. O desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a utilização massiva da Internet trouxeram um importante contributo para a existência de plataformas que suportem a comunicação a distância, fazendo com que as modalidades online sejam, cada vez mais, uma alternativa válida. Nesse sentido A formação em Wordpress, constitui uma alternativa como plataforma de permite monitorar e conduzir o processo de aprendizagem e que facilite a integração, gestão e reutilização de conteúdos, assim como os meios de partilha de objetos de aprendizagem e de conhecimento. Sendo a plataforma utilizada para a criação do site do AEJD, faz todo o sentido que os professores deste agrupamento desenvolvam competências de criação, edição e manutenção de sites. Com esta iniciativa pretende-se ainda capacitar os docentes no sentido de criarem sites em contexto educativo, para que possam também trabalhar colaborativamente, pois é fundamental para o seu desenvolvimento profissional contínuo.

Conteúdos

Iniciação ao Curso de Wordpress: Aspeto visual (temas), menus de navegação; criação de um website em contexto educativo



Ref. 199T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 199 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 26-04-2022

Fim: 26-04-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária João de Deus

Formador

Cláudia Herdeiro Cavaco Cardoso

Paula Cristina Sousa Cabral St.Aubyn

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta ACD insere-se no plano de Atividades do Projeto Erasmus +: “Profissionais do século XXI: Uma Aventura pela Europa V”, e decorrerá no âmbito da mobilidade realizada pelo parceiro “IES GUSTAVO ADOLFO BÉCQUER”. O desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a utilização massiva da Internet trouxeram um importante contributo para a existência de plataformas que suportem a comunicação a distância, fazendo com que as modalidades online sejam, cada vez mais, uma alternativa válida. Nesse sentido A formação em Wordpress, constitui uma alternativa como plataforma de permite monitorar e conduzir o processo de aprendizagem e que facilite a integração, gestão e reutilização de conteúdos, assim como os meios de partilha de objetos de aprendizagem e de conhecimento. Sendo a plataforma utilizada para a criação do site do AEJD, faz todo o sentido que os professores deste agrupamento desenvolvam competências de criação, edição e manutenção de sites. Com esta iniciativa pretende-se ainda capacitar os docentes no sentido de criarem sites em contexto educativo, para que possam também trabalhar colaborativamente, pois é fundamental para o seu desenvolvimento profissional contínuo.

Conteúdos

Iniciação ao Curso de Wordpress: O que é e para que serve; criar conta e instalar, painel de administração, ambiente de trabalho; configurações básicas.



Ref. 204T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 204 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 26-04-2022

Fim: 26-04-2022

Regime: Presencial

Local: SEDE DO INEM

Formador

Vasco Miguel Soares Craveiro Alves Monteiro

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/INEM



Ref. 136T15 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 21-04-2022

Fim: 23-06-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Carlos Alexandre Francisco Rodrigues

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

21/04/2022 – 17h30 às 20h30 28/04/2022 – 17h30 às 20h30 05/05/2022 – 17h30 às 20h30 12/05/2022 – 17h30 às 20h30 19/05/2022 – 17h30 às 20h30 26/05/2022 – 17h30 às 20h30 02/06/2022 – 17h30 às 20h30 23/06/2022 – 17h30 às 21h30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 21-04-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 28-04-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 05-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 12-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 19-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 26-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 02-06-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 23-06-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial


254

Ref. 136T8 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-04-2022

Fim: 14-06-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Décio Gonçalves Viegas

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

1 19-04-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 2 26-04-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 3 03-05-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 4 10-05-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 5 17-05-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 6 24-05-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 7 31-05-2022 18h00 - 21h00 3 h Online síncrona 8 14-06-2022 18h00 - 22h00 4 h Online síncrona

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 26-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 03-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 10-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 17-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 24-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 31-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 14-06-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


183

Ref. 181T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113135/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-04-2022

Fim: 06-06-2022

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Carla Carmo Correia Limpo de Assis

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Grupo 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Grupo 910. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No âmbito do Plano de Transição Digital, e tendo em conta que o desenvolvimento da competência digital das organizações educativas constitui uma dimensão fundamental na qualidade do trabalho de ensino e aprendizagem realizado nas escolas, cada Escola foi convidada a elaborar o seu PADDE (Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital), que está agora em vias de concretização. No caminho para a plena execução do PADDE, importa criar na Escola uma estrutura de acompanhamento, monitorização e avaliação que aprecie com regularidade a conformidade deste Plano com os objetivos traçados, eventuais desvios face ao planeado, os resultados alcançados e os impactos no contexto escolar, produzindo informação pertinente de apoio às decisões da equipa de gestão, bem como de comunicação a todas as partes envolvidas. Esta monitorização e avaliação, emergindo do próprio PADDE, ganhará em qualidade e rigor se for sustentada num processo formativo que faculte aos docentes dela encarregados a oportunidade de realizarem uma reflexão inicial consistente sobre monitorização e avaliação de projetos; de trabalharem sobre as linhas orientadoras previstas nos PADDE, definindo planos de monitorização contextualizados e adaptados à realidade de cada unidade orgânica; de concretizarem percursos de monitorização e avaliação devidamente acompanhados, sólidos e partilhados. Com esta formação, cremos que será possível potenciar a atuação de todos os docentes encarregados da monitorização e avaliação do PADDE

Objetivos

Com esta formação, pretende-se apoiar as Escolas na implementação dos seus PADDE, através da promoção de estratégias de acompanhamento, monitorização e avaliação da sua plena concretização. São objetivos específicos deste Curso: - refletir sobre processos de acompanhamento, monitorização e avaliação de projetos, percebendo a importância da sua implementação, os princípios fundamentais e os conceitos que lhes subjazem; - compreender a especificidade de um Plano como o PADDE, bem como aspetos pertinentes a acompanhar e monitorizar na sua implementação, por forma a maximizar o seu efeito no desenvolvimento digital da Escola; - refletir periodicamente, em contexto de formação, sobre o processo de monitorização e avaliação de cada PADDE, numa lógica de apoio sustentado, partilha de práticas, confirmação ou redefinição de estratégias e metodologias; - definir formas de apresentação da informação produzida adequadas aos destinatários e às finalidades, de maneira a potenciar a sua utilidade.

Conteúdos

- Breve enquadramento legal, conceptual e metodológico – o PTD e o PADDE (1 hora) - Importância do acompanhamento, monitorização e avaliação de projetos em geral e do PADDE em particular; princípios básicos subjacentes a um processo de monitorização e avaliação (1 hora) - Conceitos-chave na monitorização e avaliação de projetos e estabelecimento de um vocabulário comum; distinção entre monitorização e avaliação (1 hora) - Conjugação entre objetivos e métodos de avaliação/monitorização (1 hora) - Reflexão sobre a especificidade de um Plano como o PADDE, bem como aspetos pertinentes a acompanhar e monitorizar na sua implementação: cronograma de concretização / tarefas / recursos /custos / estratégias de comunicação / envolvimento das partes / riscos / … (2 horas) -Análise reflexiva das metodologias de implementação, monitorização e avaliação previstas no PADDE de cada uma das Escolas/Agrupamentos (2 horas) - Definição do plano de monitorização a desenvolver em concreto, a partir das linhas orientadoras registadas nos PADDE – estratégias / intervenientes / informação a recolher / formas de recolha, organização, tratamento e apresentação de dados (4 horas) - Identificação/ definição de indicadores: de processo / de resultado / de impacto (4 horas) - Apoio/ acompanhamento da implementação do processo de monitorização e avaliação do PADDE, em cada uma das Escolas/Agrupamentos – reflexão sobre o processo; partilha de práticas; confirmação ou redefinição de estratégias (se necessário) (5 horas) - Possíveis forma/s de apresentação da informação produzida em resultado do processo de monitorização – relatório / portefólio / outra(s); considerações acerca da utilidade das informações, sua adequação aos destinatários e finalidades e princípios éticos a respeitar (2 horas) - Apreciação crítica sobre possíveis contributos do processo de monitorização para a própria concretização do PADDE (1 hora) - Avaliação do trabalho realizado e de toda a dinâmica da formação (1 hora)

Metodologias

As sessões assumirão um cariz essencialmente teórico-prático, privilegiando-se os métodos: expositivo, demonstrativo, interrogativo e ativo. Haverá lugar à exposição de conteúdos, à reflexão, ao debate e à partilha entre os participantes, à análise e discussão de situações concretas, à consolidação de procedimentos e à preparação da intervenção a concretizar em cada Escola, em sede de acompanhamento, monitorização e avaliação do respetivo PADDE.

Avaliação

- A avaliação dos formandos será contínua e participada por todos os intervenientes e assentará na participação nas dinâmicas das sessões presenciais, bem como na elaboração de um trabalho individual/documento final de reflexão crítica individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na Ação e implicações na prática letiva, de acordo com os critérios previamente estabelecidos ao nível do Centro de Formação, com a legislação em vigor e com as orientações do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua

Bibliografia

Asian Forest Cooperation Organization (2020) Guidelines for Project Monitoring and Evaluation. Disponível em: http://afocosec.org/wp-content/uploads/2021/01/G-2-20R-Project-M_E-GuidelinesEffective-on-20201127.pdf Guia Pembok – Sexta Edição (2017). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos. Project Management Institute, Inc Gabinete de Avaliação e Auditoria - Camões, Instituto da Cooperação e da Língua - Ministério dos Negócios Estrangeiros (2014). Guia de Avaliação. A step by step guide to Monitoring and Evaluation (2014). Project Monitoring and Evaluation for Sustainable Communities’. Higher Education Innovation Fund - University of Oxford. Disponível em: https://transitionnetwork.org/wp-content/uploads/2016/09/Monitoring-and-evaluation-guide.pdf CANDIDO, Roberto et al. (2012). Gerenciamento de projetos. Curitiba: Aymará Educação. Disponível em: https://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/2061/1/gerenciamentoprojetos.pdf

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 6-2022 Separador 10 - Candidatura ...000036

19/04/2022 17:00-20:00 3 h 26/04/2022 17:00-20:00 3 h 02/05/2022 17:00-20:00 3 h 09/05/2022 17:00-20:00 3 h 16/05/2022 17:00-20:00 3 h 23/05/2022 17:00-20:00 3 h 30/05/2022 17:00-20:00 3 h 06/06/2022 17:00-21:00 4 h

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-04-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 26-04-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 02-05-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 09-05-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 16-05-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 23-05-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 30-05-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 06-06-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial


218

Ref. 204T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 204 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 19-04-2022

Fim: 19-04-2022

Regime: Presencial

Local: SEDE DO INEM

Formador

Vasco Miguel Soares Craveiro Alves Monteiro

Destinatários

Professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 260 e 620.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/INEM



Ref. 94T9 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 06-04-2022

Fim: 08-06-2022

Regime: Presencial

Local: Zoom

Formador

Maria João de Magalhães Seruca de Oliveira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

6, 13, 20, 27 de ABR 4 de MAIO 11 de MAIO 18.30/21.30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-04-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 13-04-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 27-04-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 11-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 18-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 25-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 08-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial


226

Ref. 194T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 194 CD nº34 21.06.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 28-03-2022

Fim: 28-03-2022

Regime: Presencial

Local: Casa da Juventude de Olhão

Formador

Elisete Duarte dos Santos

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Município de Olhão (CMO), através do seu serviço de Juventude, em parceria com o Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) propõem a realização da presente Ação de Curta Duração, no sentido de dotar os professores que desenvolvem atividades no âmbito do Plano Nacional das Artes, nos Agrupamentos de Escolas, com ferramentas e técnicas simples que lhes permitam trabalhar a fotografia, e a respetiva revelação, em contexto de sala de aula, com materiais simples. Assim, neste contexto, com as câmaras pinhole (sem lente, só com um furo) construídas a partir de latas de alumínio, os professores irão registar cenas envolventes ao edifício da Casa da Juventude e Biblioteca Municipal de Olhão. Depois, as imagens serão reveladas no laboratório fotográfico da Casa da Juventude. Os conhecimentos adquiridos através desta ação de curta duração, poderão ser transmitidos aos alunos dos respetivos Agrupamentos, que se encontram envolvidos, em projetos de natureza artística, como é o caso do Projeto Cultural das Artes.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-03-2022 (Segunda-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial

Ref. 94T12 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 24-03-2022

Fim: 12-05-2022

Regime: Presencial

Local: Zoom

Formador

Décio Gonçalves Viegas

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

24, 31 de março, 5,7,21 e 28 de abril e 5 e 12 de maio. Entre as 18h e as 21h.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 31-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 05-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 07-04-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 21-04-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 28-04-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 05-05-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 12-05-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


229

Ref. 136T12 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109825/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 24-03-2022

Fim: 06-06-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Vítor Filipe Neto Guerreiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 3-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 3-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 3-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 3-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 3-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 4-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 4-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7 PASTA - Nº 6-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 8 PASTA - Nº 6-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 9 PASTA - Nº 6-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 10 PASTA - Nº 6-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 11 PASTA - Nº 6-2022 Separador 6 - Candidatura ...000036 Turma 12 PASTA - Nº 6-2022 Separador 7 - Candidatura ...000036 Turma 13 PASTA - Nº 6-2022 Separador 8 - Candidatura ...000036 Turma 14 PASTA - Nº 6-2022 Separador 9 - Candidatura ...000036 Turma 15

24/3 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 31/3 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 07/4 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 21/4 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 05/5 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 12/5 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 19/05 (5ª feira) - das 17:00 às 20:00 - 3 h 06/6 (5ª feira) - das 17:00 às 21:00 - 4 h Decorrerá na Escola Santo António na Sala 16 (Informática)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-03-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 31-03-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 07-04-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 21-04-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 05-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 12-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 19-05-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
8 06-06-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial


235

Ref. 159T3 Concluída

Registo de acreditação: Registo 159 CD nº32 10.12.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 16-03-2022

Fim: 16-03-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Maria João Rodrigues Pereira Jacinto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ PEEA

Razões

O Programa de Educação Estética e Artística (PEEA) desenvolve as suas ações em conformidade com as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, assim como, com a matriz curricular-base do Ensino Básico, nas vertentes de Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música. É neste contexto que a sua atividade prossegue a valorização da arte, incrementando estratégias educativas, com inovação e transversalidade, que fazem acrescer o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito relacionando a arte e a cultura com as outras áreas do saber.

Objetivos

Esta ação pretende dar a conhecer a missão do PEEA, através dos seus objetivos, finalidades e atividades. Por conseguinte, pretende-se com este momento divulgar, apresentar e promover o Programa junto das escolas e comunidades educativas, numa lógica de articulação, monitorização e avaliação das ações realizadas.

Conteúdos

O modelo do PEEA Princípios orientadores do PEEA1: missão; finalidades; objetivos; eixos de Intervenção. Estratégias e metodologias de trabalho. Realização de atividade(s) de referência do PEEA. • Abordagem às áreas artísticas (Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música), que exemplificam uma pedagogia centrada na pesquisa, na experiência e na exploração do mundo envolvente. • Metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade expressiva.

Bibliografia

Aprendizagens Essenciais de Educação Artística — Artes Visuais; Dança; Expressão Dramática/Teatro e Música (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/ Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Aprendizagens Essenciais de Educação Visual e Educação Musical (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. BATALHA, A. (2004). Metodologia do Ensino da Dança. Cruz-Quebrada: Edições FMH. GARDNER, H. (1982). Art, Mind, and Brain: a cognitive approach to creativity. New York: Basic Books. LABAN, R. (1975). Modern Educacional Dance. Plymouth: Northcote House Publishers. LEENHARDT, P. (1977). A Criança e a Expressão Dramática. Lisboa: Editorial Estampa. SOUSA, A. (2003). Educação pela Arte e Artes na Educação. 2.º volume Drama e Dança. Lisboa: Instituto Piaget. UNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística. Desenvolver as Capacidade Criativas para o Século XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO.

Anexo(s)


Observações

Escola Secundária Francisco Fernandes Lopes

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-03-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 188T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 188 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-03-2022

Fim: 15-03-2022

Regime: e-learning

Local: on line

Formador

Maria de Fátima Lopes Borralho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/Centro de Recursos de Tecnologias de Informação e Comunicação para a Educação Especial de Faro (CRTIC Faro)

Razões

O Decreto-Lei n.º54/2018, de 6 de julho prevê que as opções metodológicas tomadas terão de ter como base o Desenho Universal para a Aprendizagem, partindo do princípio que a escola é um local onde todas as crianças e jovens têm o direito a ter um atendimento e uma educação de qualidade, onde se procura garantir que o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória seja atingido por todos, ainda que através de percursos diferenciados, os quais permitem a cada um progredir no currículo com vista ao seu sucesso educativo. Assim, é fundamental, a par com a excelência científica dos docentes, que estes tenham estratégias e ferramentas que possam facilitar a construção de materiais e práticas para respeitar os ritmos de aprendizagem dos alunos.

Objetivos

Apresentação da ação e seu funcionamento; Divulgação dos serviços e da atividade dos Centros de Recursos de Tecnologias de Informação e Comunicação para a Educação Especial (CRTIC) - centros prescritores de produtos de apoio do Ministério da Educação; Conceito de produto de apoio; Conceito de software livre; APPs e recurso especiais; Apresentação do recurso EdPuzzle; Trabalho prático; Construção de recursos educativos adaptados, com base no recurso apresentado e explorado.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 187T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 187 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 12-03-2022

Fim: 12-03-2022

Regime: Presencial

Local: ILHA DESERTA

Formador

Mónica Costa

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CENTRO DE FORMAÇÃO RIA FORMOSA/ SPEA/ALDEIA/RIAS/ICNF/PNRF

Razões

As espécies exóticas invasoras são, hoje em dia, uma das principais ameaças à biodiversidade. Ao competirem por recursos podem levar ao desaparecimento das espécies nativas das áreas que ocupam. Aqui na Ria Formosa são uma ameaça em muitas das ilhas barreira, contribuindo para a sua degradação. Nesta ACD pretendemos dar a conhecer algumas dessas plantas exóticas invasoras e quais os métodos de remoção que têm sido implementados no projecto Life Ilhas Barreira


Observações

8.45h – Ponto de encontro no cais de Faro (junto ao Centro Ciência Viva) 9.00h – Deslocação para a ilha Deserta 9.45h – Início do percurso até aos locais de trabalho Explicação das técnicas de remoção de espécies exóticas Trabalhos de remoção de chorão e agave 12.00h – Almoço (cada participante deve levar o seu) 13.30h – Percurso até aos locais de trabalho Trabalhos de remoção de chorão e agave Apresentação da flora nativa presente na ilha 16.00h – Regresso ao cais de embarque

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-03-2022 (Sábado) 08:45 - 16:00 7:15 Presencial

Ref. 159T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 159 CD nº32 10.12.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 11-03-2022

Fim: 11-03-2022

Regime: Presencial

Local: Pinheiro e Rosa

Formador

Maria João Rodrigues Pereira Jacinto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ PEEA

Razões

O Programa de Educação Estética e Artística (PEEA) desenvolve as suas ações em conformidade com as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, assim como, com a matriz curricular-base do Ensino Básico, nas vertentes de Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música. É neste contexto que a sua atividade prossegue a valorização da arte, incrementando estratégias educativas, com inovação e transversalidade, que fazem acrescer o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito relacionando a arte e a cultura com as outras áreas do saber.

Objetivos

Esta ação pretende dar a conhecer a missão do PEEA, através dos seus objetivos, finalidades e atividades. Por conseguinte, pretende-se com este momento divulgar, apresentar e promover o Programa junto das escolas e comunidades educativas, numa lógica de articulação, monitorização e avaliação das ações realizadas.

Conteúdos

O modelo do PEEA Princípios orientadores do PEEA1: missão; finalidades; objetivos; eixos de Intervenção. Estratégias e metodologias de trabalho. Realização de atividade(s) de referência do PEEA. • Abordagem às áreas artísticas (Artes Visuais, Dança, Expressão Dramática/Teatro e Música), que exemplificam uma pedagogia centrada na pesquisa, na experiência e na exploração do mundo envolvente. • Metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade expressiva.

Bibliografia

Aprendizagens Essenciais de Educação Artística — Artes Visuais; Dança; Expressão Dramática/Teatro e Música (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/ Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Aprendizagens Essenciais de Educação Visual e Educação Musical (2018). Lisboa: Direcção-Geral da Educação (DGE)/Articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. BATALHA, A. (2004). Metodologia do Ensino da Dança. Cruz-Quebrada: Edições FMH. GARDNER, H. (1982). Art, Mind, and Brain: a cognitive approach to creativity. New York: Basic Books. LABAN, R. (1975). Modern Educacional Dance. Plymouth: Northcote House Publishers. LEENHARDT, P. (1977). A Criança e a Expressão Dramática. Lisboa: Editorial Estampa. SOUSA, A. (2003). Educação pela Arte e Artes na Educação. 2.º volume Drama e Dança. Lisboa: Instituto Piaget. UNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística. Desenvolver as Capacidade Criativas para o Século XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-03-2022 (Sexta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 160T4 Concluída

Registo de acreditação: Registo 160 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-03-2022

Fim: 18-05-2022

Regime: e-learning

Local: On line

Formador

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

Suzi Silva Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Millage

Razões

A OCDE desenhou uma malha concetual robusta capaz de explicar como se organizam e se operacionalizam, na prática, ambientes de aprendizagem inovadores (OCDE, 2017). Estes ambientes são definidos como espaços físicos flexíveis, que acolhem programas e práticas pedagógicas de ensino-aprendizagem interdisciplinares, com recurso a ferramentas digitais, que incentivam a participação dos alunos, privilegiam a sua ação, favorecem a autonomia, a criatividade e o envolvimento na construção individual ou coletiva do conhecimento, e no desenvolvimento de competências impulsionadoras para a aprendizagem ao longo da vida (Alves, Ferreira, Ribeiro, Machado, & Barbosa, 2015). Considerando a complexidade do processo de mudança, para a inclusão de ferramentas digitais, onde podemos incluir a plataforma digital educativa MILAGE, é necessária uma prática partilhada, refletida e planeada de modo a garantir aprendizagens significativas e de qualidade, num contexto orientado para a partilha de experiências, para o trabalho colaborativo e para a resolução de problemas que emergem no quotidiano da escola.

Conteúdos

1) Importância da partilha e da reflexão das práticas pedagógicas bem como da sua sistematicidade num processo de mudança; 2) Ambientes de aprendizagem inovadores mediados pela plataforma MILAGE; 3) Partilha e reflexão em torno de experiências pedagógicas, desenvolvidas em várias áreas curriculares e não curriculares dos diferentes níveis de ensino com recurso à plataforma MILAGE;

Anexo(s)


Observações

10 de março 7 de abril 18 de maio

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-03-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona

Ref. 167T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-107441/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-03-2022

Fim: 01-06-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial- Museu de Faro

Formador

Marco António Gonçalves Lopes

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Museu de Faro

Razões

No exercício da profissão docente é necessário dar resposta a um conjunto de exigências, quer de natureza científica quer de natureza técnica e prática. A formação contínua constitui um processo dinâmico de aquisição e de aperfeiçoamento de competências científicas, técnicas e humanas, que permitem a estes profissionais adquirirem um conjunto de ferramentas que, não só facilitam a prática letiva diária, como potencializam o exercício da profissão de forma mais eficiente. O conhecimento dos conteúdos tratados, assim como a sua familiarização com os mesmos será uma mais-valia no exercício da prática letiva. Assim, e no que se refere especificamente à história do meio local, consideramos que, se esta for tida como um eixo curricular, será capaz de contribuir para a construção de um espaço identitário e facilitador de relações solidárias. O estudo das raízes, tradições e vestígios, propicia a construção de um olhar sobre o ontem, contribuindo para a compreensão do hoje e facilitando a construção de conteúdos mais significativos, universalmente postos como saberes escolares. O conhecimento da origem de um povo potencializa uma maior integração dos diferentes núcleos culturais na comunidade, valoriza o processo de lutas e conquistas sociais dos grupos de referência da comunidade, além de fazer perceber a existência de diferentes visões sobre os acontecimentos quotidianos e fazer diversas leituras do mundo. O conhecimento da história, dos vestígios e dos costumes fazem parte do património de uma localidade e devem ser do conhecimento geral das pessoas que lá vivem. Só a apropriação dos mesmos permitirá a criação de um sentido de respeito e consequente preservação de todo o património histórico, edificado mas também natural, de todo o concelho.

Objetivos

Em termos práticos, pretende-se apoiar os docentes a: 1. Adquirir conhecimentos específicos relativos ao passado do meio local, no âmbito da operacionalização das aprendizagens essenciais; 2. Promover a Educação pela Arte, com carácter intencional e com suporte teórico, potencializando o desenvolvimento do pensamento artístico e a perceção estética, desenvolvendo a sensibilidade a perceção e a imaginação no sentido do conhecimento artístico, necessário para compreender a arte como meio de humanização da realidade; 3. Fomenta o estudo do património e da memória histórica no quadro da Estratégica Nacional de Educação para a Cidadania.

Conteúdos

Módulos: 1. Museus de Faro - Museu Municipal, Museu regional e Museu Marítimo Ramalho Ortigão 2. Ossónoba: Território e comunidade 3. Milreu 4. O Mundo islâmico: a importância da arqueologia urbana 5. A faiança: evolução da cerâmica no antigo convento de Nossa Senhora da Assunção 6. A coleção de azulejaria de Ramalho Ortigão 7. Bordalo Pinheiro e a arte pública em Faro nos séculos XIX e XX 8. A coleção de cartazes e Joaquim António Viegas 9. O Museu antonino e a sua coleção 10. A coleção de pintura antiga e a ação mecenática de D. Francisco Gomes do Avelar

Metodologias

Sessões teórico-práticas que incluem: - Exposição de conteúdos propostos relacionados com as aprendizagens essenciais; - Realização de tarefas práticas ao nível do enquadramento dos conteúdos abordados.

Avaliação

PARÂMETROS E CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO Participação: (25%) – Nas tarefas de realização presencial conjunta, assiduidade e pontualidade. Produtividade: (60%) – Qualidade dos materiais concretos para intervenção; – Aplicabilidade dos mesmos nas práticas/aplicação de novos meios processuais ou técnicos/produção em contexto; – Reflexão crítica/introdução de ajustamentos. Socialização: (15%) – Partilha, cooperação/relacionamento interpessoal e prestação e integração de feedback.

Bibliografia

João Pedro Bernardes, O mosaico do Oceano – um tesouro intemporal de Ossonoba, Faro, Câmara Municipal, 2019. Catarina Viegas, A ocupação romana do algarve, Lisboa, Centro de arqueologia da universidade, 2011. Vitor Serrão, A Pintura antiga, Faro, Câmara Municipal, 2000. Marco Lopes, António Macedo Ramalho Ortigão e a coleção de azulejaria do Museu Municipal de Faro – um homem da Marinha e o seu gosto pela arte, Faro, Câmara Municipal, 2018. Luis Santos e Carla Guerreiro, Museu antonino de Faro e a sua coleção: história não conhecida, Anais do Municipio de Faro, vol. XL, 2018.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 3

9,16,23 e 30 de março 20,27 de abril 4,11,18, 25 de maio e 1 de junho das 17 às 19.30

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-03-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 23-03-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
3 30-03-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
4 20-04-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
5 27-04-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
6 04-05-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
7 11-05-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Presencial
8 18-05-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
9 25-05-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
10 01-06-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial

Ref. 160T3 Concluída

Registo de acreditação: Registo 160 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 09-03-2022

Fim: 10-05-2022

Regime: e-learning

Local: on line

Formador

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

Suzi Silva Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Millage

Razões

A OCDE desenhou uma malha concetual robusta capaz de explicar como se organizam e se operacionalizam, na prática, ambientes de aprendizagem inovadores (OCDE, 2017). Estes ambientes são definidos como espaços físicos flexíveis, que acolhem programas e práticas pedagógicas de ensino-aprendizagem interdisciplinares, com recurso a ferramentas digitais, que incentivam a participação dos alunos, privilegiam a sua ação, favorecem a autonomia, a criatividade e o envolvimento na construção individual ou coletiva do conhecimento, e no desenvolvimento de competências impulsionadoras para a aprendizagem ao longo da vida (Alves, Ferreira, Ribeiro, Machado, & Barbosa, 2015). Considerando a complexidade do processo de mudança, para a inclusão de ferramentas digitais, onde podemos incluir a plataforma digital educativa MILAGE, é necessária uma prática partilhada, refletida e planeada de modo a garantir aprendizagens significativas e de qualidade, num contexto orientado para a partilha de experiências, para o trabalho colaborativo e para a resolução de problemas que emergem no quotidiano da escola.

Conteúdos

1) Importância da partilha e da reflexão das práticas pedagógicas bem como da sua sistematicidade num processo de mudança; 2) Ambientes de aprendizagem inovadores mediados pela plataforma MILAGE; 3) Partilha e reflexão em torno de experiências pedagógicas, desenvolvidas em várias áreas curriculares e não curriculares dos diferentes níveis de ensino com recurso à plataforma MILAGE;

Anexo(s)


Observações

9 de março 6 de abril 10 de maio

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-03-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona

Ref. 160T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 160 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-03-2022

Fim: 10-05-2022

Regime: e-learning

Local: On line

Formador

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

Suzi Silva Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Millage

Razões

A OCDE desenhou uma malha concetual robusta capaz de explicar como se organizam e se operacionalizam, na prática, ambientes de aprendizagem inovadores (OCDE, 2017). Estes ambientes são definidos como espaços físicos flexíveis, que acolhem programas e práticas pedagógicas de ensino-aprendizagem interdisciplinares, com recurso a ferramentas digitais, que incentivam a participação dos alunos, privilegiam a sua ação, favorecem a autonomia, a criatividade e o envolvimento na construção individual ou coletiva do conhecimento, e no desenvolvimento de competências impulsionadoras para a aprendizagem ao longo da vida (Alves, Ferreira, Ribeiro, Machado, & Barbosa, 2015). Considerando a complexidade do processo de mudança, para a inclusão de ferramentas digitais, onde podemos incluir a plataforma digital educativa MILAGE, é necessária uma prática partilhada, refletida e planeada de modo a garantir aprendizagens significativas e de qualidade, num contexto orientado para a partilha de experiências, para o trabalho colaborativo e para a resolução de problemas que emergem no quotidiano da escola.

Conteúdos

1) Importância da partilha e da reflexão das práticas pedagógicas bem como da sua sistematicidade num processo de mudança; 2) Ambientes de aprendizagem inovadores mediados pela plataforma MILAGE; 3) Partilha e reflexão em torno de experiências pedagógicas, desenvolvidas em várias áreas curriculares e não curriculares dos diferentes níveis de ensino com recurso à plataforma MILAGE;

Anexo(s)


Observações

8 de março 5 de abril 10 de maio

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona

Ref. 94T13 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 08-03-2022

Fim: 10-05-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Carlos Alexandre Francisco Rodrigues

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

8,15,22,29 de março 5,19,26 de abril e 10 de maio 17.00/ 20.00 ou 17.00/ 21.00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 15-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 22-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 29-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 19-04-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 26-04-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 03-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 10-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial


230

Ref. 43T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-103415/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 08-03-2022

Fim: 05-05-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Ana Cristina Nogueira Tendinha

Sandra Isabel Correia

Destinatários

Professores dos Grupos 110 e 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

As Aprendizagens Essenciais (A.E.) de Estudo do Meio/ Ciências Naturais , bem como o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (ME, 2017), enquadrados pelos princípios do currículo dos ensinos básico e secundário, tal como estabelece o Decreto -lei 55/18, de 5 de Junho, impõem a necessidade de uma formação específica e focada nestes documentos, para que os professores possam desenvolver conhecimentos, capacidades e atitudes que lhes permitam organizar atividades curricularmente relevantes e significativas para os alunos, em particular no domínio sociedade, natureza, tecnologia e incentivadoras de relações interdisciplinares. No âmbito do Decreto -lei 54/18, de 6 de Julho justifica-se o trabalho de articulação entre os docentes com vista a novas abordagens pedagógicas em sala de aula.

Objetivos

Com esta ação pretende-se que os formandos : - operacionalizem as A.E.; -implementem estratégias que promovam nos seus alunos o desenvolvimento das aprendizagens essenciais; - promovam uma abordagem integradora dos conceitos, valorizando a compreensão e a interpretação dos processos naturais, sociais e tecnológicos, centrados em contextos reais com significado para os alunos, facilitadores da aprendizagem numa perspetiva Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente (CTSA); - Implementem atividades de ensino centradas nos alunos, promovendo a pesquisa e organização da informação, analisando, interpretando e comunicando dados e resultados; - Protocolizem atividades práticas como parte integrante e fundamental dos processos de ensino e de aprendizagem; - Criem novas metodologias de trabalho no âmbito da inclusão.

Conteúdos

Os referentes ao domínio sociedade, natureza, tecnologia, dentro do currículo da disciplina de Estudo do Meio/ Ciências Naturais e os transversais do perfil dos alunos – raciocínio e resolução de problemas, pensamento crítico, pensamento criativo, relacionamento interpessoal, desenvolvimento pessoal e autonomia, saber científico, técnico e tecnológico. Execução de atividades práticas adequadas 1º e 2º CEB: • Natureza e tipos de atividades práticas; • Metodologia construtivista da aprendizagem; • Ensino por resolução de problemas e investigações; • Trabalho em grupo e aprendizagem cooperativa em articular disciplinar.

Metodologias

Cada sessão presencial incidirá: - uma componente de trabalho prático nos domínio: sociedade, natureza, tecnologia; - uma componente de reflexão sobre os conteúdos pedagógicos e científicos da atividade, tendo em conta as aprendizagens essenciais e o perfil do aluno; - desenvolvimento da construção do conhecimento científico nos temas abordados; - discussão das condições de aplicabilidade em sala de aula, no âmbito da inclusão.

Avaliação

Os formandos/participantes serão avaliados: - Participação dos formandos; - Relatório individual do formando; A avaliação dos formandos será feita de uma forma quantitativa, numa escala de 1 a 10 e tendo em conta o disposto na Circular CCPFC-3/2007, bem como o constante do Dec.-Lei nº 15/2007, de 19 de janeiro, no que se refere ao sistema de avaliação e classificação dos docentes.

Bibliografia

Perfil do aluno e aprendizagens essenciais Afonso, M. M. (2008). A educação científica no 1.º Ciclo do Ensino Básico – Das teorias às práticas. Porto: Porto Editora. Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C., & Martins, I. P. (2011). A educação em ciências com orientação CTS: Atividades para o ensino básico. Porto: Areal Editores. Gil-Pérez, A. M. Pessoa de Carvalho, J. Praia & A. Vilches (Orgs), A necessária renovação do ensino das ciências (pp 19-34). São Paulo-SP: Cortez Editora Cachapuz, A., Jorge, M., & Praia, A. (2002). Ciência, educação em Ciência e ensino das Ciências. Lisboa: Ministério da Educação.


Observações

PASTA - Nº 23-2021 Separador 2 Turma 1 PASTA - Nº 26-2020 Separador 5 Turma 2

Março - 8, 10, 15, 17 e 24 Abril - 5, 21 28 1.ª à 7.ªsessão - 3 h cada 8.ª sessão - 4h

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-03-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 10-03-2022 (Quinta-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Presencial
3 17-03-2022 (Quinta-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Presencial
4 24-03-2022 (Quinta-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Presencial
5 29-03-2022 (Terça-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Presencial
6 21-04-2022 (Quinta-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Online síncrona
7 26-04-2022 (Terça-feira) 17:15 - 20:15 3:00 Online síncrona
8 03-05-2022 (Terça-feira) 17:00 - 18:30 1:30 Online síncrona
9 09-05-2022 (Segunda-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona

Ref. 160T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 160 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 07-03-2022

Fim: 10-05-2022

Regime: e-learning

Local: on line

Formador

Mauro Jorge Guerreiro Figueiredo

Suzi Silva Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/ Millage

Razões

A OCDE desenhou uma malha concetual robusta capaz de explicar como se organizam e se operacionalizam, na prática, ambientes de aprendizagem inovadores (OCDE, 2017). Estes ambientes são definidos como espaços físicos flexíveis, que acolhem programas e práticas pedagógicas de ensino-aprendizagem interdisciplinares, com recurso a ferramentas digitais, que incentivam a participação dos alunos, privilegiam a sua ação, favorecem a autonomia, a criatividade e o envolvimento na construção individual ou coletiva do conhecimento, e no desenvolvimento de competências impulsionadoras para a aprendizagem ao longo da vida (Alves, Ferreira, Ribeiro, Machado, & Barbosa, 2015). Considerando a complexidade do processo de mudança, para a inclusão de ferramentas digitais, onde podemos incluir a plataforma digital educativa MILAGE, é necessária uma prática partilhada, refletida e planeada de modo a garantir aprendizagens significativas e de qualidade, num contexto orientado para a partilha de experiências, para o trabalho colaborativo e para a resolução de problemas que emergem no quotidiano da escola.

Conteúdos

1) Importância da partilha e da reflexão das práticas pedagógicas bem como da sua sistematicidade num processo de mudança; 2) Ambientes de aprendizagem inovadores mediados pela plataforma MILAGE; 3) Partilha e reflexão em torno de experiências pedagógicas, desenvolvidas em várias áreas curriculares e não curriculares dos diferentes níveis de ensino com recurso à plataforma MILAGE;

Anexo(s)


Observações

7 de março 4 de abril 10 de maio

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 07-03-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona

Ref. 165T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112205/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-03-2022

Fim: 19-03-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial- em Faro ( local a indicar)

Formador

Francisco Isidoro Rodrigues Cantanhede

Destinatários

Professores dos Grupos 200 e 400

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200 e 400. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 200 e 400.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

No documento o Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, refere-se: «O Perfil do Aluno aponta para uma educação escolar em que os alunos desta geração global constroem e sedimentam uma cultura científica e artística de base humanista. Para tal, mobilizam valores e competências que lhes permitem intervir na vida e na história dos indivíduos e das sociedades, tomar decisões livres e fundamentadas sobre questões naturais, sociais e éticas, e dispor de uma capacidade de participação cívica, ativa, consciente e responsável». No Documento Aprendizagens Essenciais , HGP, 5º ano, e História, 7º ano, apela-se a novas práticas, numa perspetiva de promover o desenvolvimento de competências no âmbito do saber, saber fazer, saber estar e saber ser. Verifica-se assim a necessidade de formação facilitadora de mudança didática em sala de aula.

Objetivos

1. Promover a partilha de boas práticas de sala de aula entre docentes 2. Promover a mudança de práticas pedagógicas tradicionais para prá ticas pedagógicas ativas 3. Divulgar práticas pedagógicas contextualizadas na teoria construtivista, sem esquecer que todos os paradigmas educativos apresentam aspetos mais e menos positivos 4. Divulgar o uso de diverso tipo de fontes, nomeadame nte através do recurso ao «novo mundo» das tecnologias 5. Reconhecer que os conteúdos históricos podem/devem ser trabalhados numa perspetiva de educação para a cidadania 6. Promover o trabalho de grupo entre docentes

Conteúdos

1ª sessão, grupo turma , duração 3:30 horas Metodologia e objetivos da ação. Conceito de prática pedagógica ativa: paradigma expositivista, expositivista/interrogativo; construtivista Aprender História tendo como referência o documento «Perfil dos alunos à saida da escolaridade obriga tória».Exemplos de boas práticas contextualizados no documento identificado. Debate 2ª sessão, grupo turma, duração 3:30 horas Aprender História tendo como referência o documento Apendizagens Essencias do 5º e do 7º anos. Exemplos de boas práticas contextualizadas no documento identificado. Debate. 3ª sessão, grupo turma, duração 3:30 horas. Planificar, em grupo, atividades a desenvolver em sala de aula, tendo como referência os documentos oriundos da tutela referidos anteriormente. (Debate) 4ª sessão, grupo turma, duração de 3:30 horas. Continuação da sessão anterior 5ª sessão, grupo turma, duração de 3:30 horas. Continuação da sessão anterior 6ª sessão, grupo turma, duração de 3:30 horas. Relatórios das aulas lecionadas pelo formador e formandos. (Debate) 7ª sessão, grupo turma, duração 4 horas. Relatórios das aulas lecionadas pelo formador e formandos. (Debate)

Metodologias

As sessões terão uma pequena componente teórica; versarão essencialmente sobre partilha e planificação de boas práticas à luz dos novos documentos oriundos da tutela. Após debate sobre o conceito de boa prática em educação, os formandos, individualmente, partilham com o grupo exemplos de boas práticas, seguindo-se o debate. Posteriormente, os formandos são solicitados a planificarem, em grupo, atividades/projetos a implementar em sala de aula. As planificações são apresentadas e debatidas pelo grupo turma. Os relatórios elaborados pelos formandos sobre as aulas lecionadas pelo formador e/ou pelos formandos serão apresentados e debatidos.

Avaliação

A avaliação será quantitativa e qualitativa, sendo a classificação apresentada numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com os pontos 5 e 6 do artigo 4.º do despacho 4595/2015, de 6 de maio. ● Avaliação contínua. Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões. ● Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente ou em grupo ● Relatórios Individuais dos Formandos

Bibliografia

-Barca, Isabel, Perspectivas em Educação Histórica, atas das primeiras jornadas internacionais de educação histórica, Instituto de Educação e Psicologia actas centros de estudo, 2000 - Barca, Isabel; Gago, Marília, Questões de Epistemologia e Investigação em Ensino da História, actas das terceiras jornadas internacionais de educação histórica, Instituto de Educação e Psicologia actas centros de estudos, 2003 -Gago, Marília, Consciência Histórica e Narrativa na Aula de História: concepções de professores, Instituto de Educação, universidade do Minho, 2007 -Carlos, Matias, As Dez Lições, Scor Editora, 2008 - Rusen, Lorn, Aprendizagem históricafundamentos e paradigmas, W.A. Editora, 2012 - Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, M.E, 2017 - Aprendizagens Essenciais, 7º ano, 3º ciclo do Ensino Básico, M.E. -Aprendizagens Essenciais, 5º ano, 2º ciclo, M.E.


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 4

Data Horas N.º de horas 4-03-2022 18 às 21 3 5-03-2022 9 às 13 4 11-03-2022 18 às 21 3 12-03-2022 9 às 13 4 18-03-2022 18 às 21 3 19-03-2022 9 às 13 4 19-03-2022 14 às 18 4

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 05-03-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 11-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 12-03-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
5 18-03-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 19-03-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
7 19-03-2022 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 1861 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/611/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-03-2022

Fim: 01-04-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento Pinheiro e Rosa

Formador

Cesário Manuel Fernandes Loureiro

Destinatários

Pessoal não docente;

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Objetivos

Esta ação de formação tem por objetivo primordial apoiar os Assistentes Técnicos, no processo de contratação pública no curto prazo correspondendo a uma contribuição para um esforço formativo pertinente que se repercutirá no seu desenvolvimento profissional. Nessa conformidade, definem-se os seguintes objetivos específicos: Proporcionar a aquisição de conceitos necessários à aplicação do processo da contratação pública; Facultar competências para a elaboração de peças procedimentais, numa vertente multidisciplinar, bem como de todos os atos jurídicos envolvidos da decisão; Analisar, desenvolver e executar os vários passos da tramitação procedimental, a partir de situações concretas, em contexto de utilização de plataformas eletrónicas.

Conteúdos

Análise do Código dos Contratos Públicos: Objetivos, constituição e organização. Etapas prévias aos procedimentos de contratação pública. Tipos de procedimentos de contratação pública e escolha em função do valor. Escolha de entidades em processos de Ajuste Direto/Consulta Prévia. Fases dos procedimentos de contratação pública. Análise de exemplos práticos de peças de procedimentos (mapa de quantidades/anúncio/caderno de encargos/convite). Lançamento de um procedimento de ajuste direto/consulta prévia na plataforma eletrónica de contratação pública “Vortal” na modalidade training: Dados gerais, Configurações. Dados adicionais, Questionário, Avaliação, Peças do procedimento, Documentos da proposta, Convite. Júri do procedimento: Constituição, funcionamento, competências. Abertura de propostas na Plataforma Vortal: Análise das propostas, pedidos de esclarecimentos e motivos de exclusão. Atividade prática: Elaboração de um Relatório Final/Projeto de Adjudicação e seu lançamento na plataforma “Vortal”. Fase de adjudicação e da apresentação de documentos de habilitação na plataforma “Vortal”. Causas de caducidade de adjudicação e de Decisão de não adjudicação. Contrato escrito e sua outorga. Publicação e eficácia dos contratos.

Bibliografia

ANTUNES, J.M.O. (2010) “CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS - REGIME DE ERROS E OMISSÕES “. ALMEDINA.CUNHA, S., FERREIRA, I. (2010) “MANUAL PRÁTICO DA CONTRATAÇÃO PÚBLICA - GESTÃO DO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO CONTROLO PÚBLICO”. ÁREAS EDITORA. FERREIRA, F. O. (2010) “PROCEDIMENTOS PRÉ-CONTRATUAIS AO ABRIGO DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS - TIPOS DE PROCEDIMENTOS E CRITÉRIOS DE ESCOLHA”, COIMBRA EDITORA. ROCHA, M.L., MACARA, J.C., LOUSA, F.V. (2008) "A CONTRATAÇÃO PÚBLICA ELETRÓNICA E O GUIA DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS”. ST SF - SOCIEDADE DE PUBLICAÇÕES, LDA. SILVA, J. A. (2010) CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS - COMENTADO E ANOTADO”, EDIÇÕES ALMEDINA, SA.TAVARES, L. V., COELHO, J. S., GRAÇA, P. M. (2008) “O MODELO E O SOFTWARE SIAP 2008 - PARA A AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS E CANDIDATURASSEGUNDO O CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS (DL 18/2008)”. OPET - OBSERVATÓRIO DE PROSPETIVA DA ENGENHARIA E DA TECNOLOGIALEGISLAÇÃO EM VIGOR OUTRA DOCUMENTAÇÃO: MANUAIS DAS VÁRIAS PLATAFORMAS


Observações

Agrupamentos do CFAE Ria Formosa

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-03-2022 (Sexta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
2 11-03-2022 (Sexta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
3 18-03-2022 (Sexta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
4 25-03-2022 (Sexta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
5 01-04-2022 (Sexta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial

Ref. 72T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109133/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 03-03-2022

Fim: 31-03-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Augusto Martins Cerdeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A utilização das tecnologias digitais é considerada um meio eficaz para trabalhar conteúdos académicos com alunos com Dificuldades de Aprendizagem, possibilitando a criação de ambientes criativos e construtivos onde se podem desenvolver atividades diferenciadas e de qualidade, ajustadas aos perfis destes alunos. Estas tecnologias permitem, ainda, que os alunos trabalhem de forma autónoma com o computador/tablet/smartphone e com o mínimo suporte possível, ao seu próprio ritmo e de forma ajustada às suas competências, melhorando a capacidade de concentração e a capacidade de resposta e desempenho. Importa, assim, dotar os professores e outros agentes educativos de competências que lhes permitam uma atuação adequada junto destes alunos com dificuldades de aprendizagem.

Objetivos

Capacitar os formandos para a exploração das potencialidades pedagógicas de recursos educativos digitais adequados à promoção do desenvolvimento de competências nas crianças com dificuldades de aprendizagem. Fomentar a sua utilização como instrumentos facilitadores do processo de ensino-aprendizagem de crianças e jovens com dificuldades de aprendizagem. Compreender e discutir o potencial das tecnologias da comunicação no apoio e ensino a alunos com com dificuldades de aprendizagem. Adquirir conhecimento sobre algumas estratégias de intervenção no ensino, as quais poderão ser aplicadas consoante o perfil específico da criança a quem se destinam, nomeadamente das áreas onde se encontram as suas dificuldades Compreender como avaliar e selecionar aplicações no âmbito da educação; Saber como avaliar competências através de tecnologias digitais Selecionar e adaptar estratégias, materiais pedagógicos e recursos educativos digitais, de acordo com o perfil de competências e de dificuldades das crianças, através de alguns softwares, plataformas digitais e aplicações existentes.

Conteúdos

1. As TIC como promotoras do ensino e aprendizagem em crianças e jovens com dificuldades de aprendizagem. Apresentação, reflexão e discussão sobe estratégias de intervenção no ensino e aprendizagem da Matemática com recurso às TIC para crianças e jovens com PEA. Apresentação de exemplos de alguns recursos educativos digitais adequados à promoção do desenvolvimento de competências matemáticas de qualidade. Trabalhos individuais e de pequeno grupo para exploração desses mesmos recursos no tablet e no computador. 2. Ferramentas e recursos digitais. Exploração, análise e avaliação de recursos didáticos digitais no ensino e aprendizagem. Selecionar e adaptar estratégias, materiais pedagógicos e recursos educativos digitais, de acordo com o perfil de competências e de dificuldades das crianças e jovens. Discussão/apresentação de casos/materiais (propostos pelos formandos), com o intuito de analisar estratégias pedagógicas.

Metodologias

Apresentação de conteúdos; Discussão de casos; Elaboração de trabalhos individuais ou de pequeno grupo com recurso a aplicações no tablet, smartphone e computador; Apresentação dos resultados da aplicação dos instrumentos criados. Elaboração de trabalhos de individuais ou de pequeno grupo com recurso a aplicações no tablet, smartphone e computador. Aplicação dos instrumentos criados em ambiente letivo.

Avaliação

Participação dos formandos; - Relatório individual do formando; A avaliação dos formandos será feita de uma forma quantitativa, numa escala de 1 a 10 e tendo em conta o disposto na Circular CCPFC-3/2007, bem como o constante do Dec.-Lei nº 15/2007, de 19 de janeiro, no que se refere ao sistema de avaliação e classificação dos d

Bibliografia

Decreto-Lei nº54/2018, de 6 de julho Aprendizagens Essenciais – Ensino Básico (https://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico) Alves, M. M., Ribeiro, R., & Simões, F. (2013). Universal design for learning (UDL): Contributos para uma escola para todos. Tecnologias da Informação em Educação, Indagatio Didactica, 5(4), 121-146 King-Sears, M. (2009). Universal Design for Learning: Technology and pedagogy. Learning Disabilities Quartely, 32, 199- 201. Almeida, P. (2018). Tecnologias digitais em sala de aula: o professor e a reconfiguração do processo educativo, Da Investigação às Práticas, 8 (I), 4-21.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 1-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 6-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 2

3, 10,17,24 e 31 de março, entre as 17h e as 20h.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 10-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 17-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 24-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 31-03-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona


222

Ref. 94T10 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-03-2022

Fim: 26-04-2022

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Formador

Augusto Martins Cerdeira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

2, 8, 15, 22, 29 de março e 5, 19, 26 de abril. 1º sessão - com início 17.00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-03-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 08-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona
3 15-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona
4 29-03-2022 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
5 19-04-2022 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
6 21-04-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 26-04-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial


227

Ref. 94T11 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-03-2022

Fim: 03-05-2022

Regime: Presencial

Local: Zoom

Formador

Jorge Manuel Carrasquinho Vieira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

2,8,15,22 e 29 de março 5,19 e 26 de abril 3 de maio Entre as 18h e as 21h.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-03-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 08-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 15-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 22-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 29-03-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 05-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 19-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 26-04-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 03-05-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial


228

Ref. 94T8 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109826/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 24-02-2022

Fim: 05-05-2022

Regime: Presencial

Local: MEET

Formador

Maria João de Magalhães Seruca de Oliveira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/(DGE

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 2-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 1 PASTA - Nº 2-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 2 PASTA - Nº 2-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036 Turma 3 PASTA - Nº 2-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036 Turma 4 PASTA - Nº 2-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036 Turma 5 PASTA - Nº 3-2022 Separador 1 - Candidatura ...000036 Turma 6 PASTA - Nº 3-2022 Separador 2 - Candidatura ...000036 Turma 7

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-02-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 03-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 10-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 17-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 24-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 31-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 21-04-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 05-05-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona


150

Ref. 183T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112708/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 16-02-2022

Fim: 15-06-2022

Regime: e-learning

Local: zoom

Formador

Miguela Fernandes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta formação centra-se na importância de integrar abordagens de aprendizagem que coloquem o aluno como elemento central no seu processo de aprendizagem e que através da prática de aprendizagem baseada em jogos o levem, num ambiente estimulante e motivador, a explorar de forma transversal a várias temáticas e tópicos disciplinares a temática do património histórico e cultural. Reconhecendo-se hoje a importância do nosso património, como forma e fonte do entendimento da nossa cultura e entidade, e por outro lado sabendo que as vidas dos nossos jovens se enquadram em ambientes e contextos digitais onde o jogo é uma presença de interação e colaboração, esta ação tem como objetivo maior interligar estes dois mundos e proporcionar ambientes de descoberta e aprendizagem colaborativa e contextualizada do nosso património.

Objetivos

Exploração de ambientes de aprendizagem baseada em jogos numa abordagem multidisciplinar onde a temática central de exploração é património histórico, cultural e natural. Desenvolver em termos de comunidades escolares um trabalho conjunto e colaborativo na exploração de temática do património envolvendo entidades externas à escola como elemento de interligação da escola à comunidade. Proporcionar contextos de aprendizagem que facilitem aos alunos a aquisição de competências que através de ambientes digitais possam explorar, estudar e compreender o mundo do património analógico.

Conteúdos

Esta ação de formação articula-se em torno de duas temáticas que se irão interligar entre si num processo dinâmico e flexível, a temática do património em toda a sua plenitude envolvendo conteúdos das disciplinas de Geografia, História, Arte e Arquitetura. Por outro lado, a temática do jogo digital como ferramenta de valor pedagógico acrescido, através da exploração das capacidades do digital (planeamento e construção) e de estruturas que facilitem a colaboração e a criatividade. Inclui-se também a questão da fomentação de atividades de cariz interdisciplinar onde se cruzem várias disciplinas na exploração da temática do património e que todas elas contribuam para o desenvolvimento de projetos interdisciplinares.

Metodologias

1. Organização e planeamento da oficina (2 horas) 2- Exploração do património cultural, histórico, natural, literário, a nível local, regional, nacional ou internacional. (5 horas) 3- Metodologias: Gamificação vs ABJ (3 horas) 4- Exploração inicial ao Minecraft Education Edition (MEE) (5 horas) 5- Criação de mundos sobre o património (5 horas) 6- Potencialidades complementares: Code Builder e Classroom mode (3 horas) 7- Apresentação dos projetos desenvolvidos Avaliação (2 horas) Trabalho autónomo realizado em contexto de sala de aula e/ou noutros contextos educativos: - Exploração da literatura de suporte à oficina; - Fase inicial: trabalho de investigação (preferencialmente envolvendo os alunos) sobre o património a explorar. Apresentação do mesmo no fórum dedicado ao TA. - Partilha de práticas no âmbito da Gamificação e ABJ. - Exploração dos vários mundos com os alunos. Debate de ideias sobre o tipo de património a explorar. - Exploração das várias potencialidade e funcionalidades do jogo. - Trabalho complementar para o desenvolvimento do cenário de aprendizagem. - Participação em espaços de debate e partilha de ideias sobre a aplicação desta metodologia nas aprendizagens dos alunos.

Avaliação

Avaliação quantitativa dos formandos expressa-se numa escala de 1 a 10 valores, divididos em critérios para a componente presencial e componente de trabalho autónomo. - Nas sessões Presenciais os formandos devem realizar as atividades propostas, nomeadamente debates e partilha de ideias, exploração dos recursos fornecidos, realização dos desafios propostos, aprender a filosofia do jogo Minecraft Education Edition e explorar os mundos e planos de aula existentes. - Trabalho Autónomo: exploração da literatura de suporte à oficina, investigação acerca do património a explorar elaboração de planos de aulas disciplinares/interdisciplinares, aplicação das aprendizagens em contexto de sala de aula com os alunos e produção de um cenário de aprendizagem. Elaboração do relatório e avaliação final da oficina.

Bibliografia

Comission, European. (2021, July 29). Digital Education Action Plan (2021–2027). Education and Training - European Commission. https://ec.europa.eu/education/education-in-the-eu/digital-education-action-plan_en Gee, James Paul (2007). What Video Games Have to Teach Us About Learning and Literacy. Second Edition. Perrenoud, P. (2000). Dez Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artmed Editora. Prensky, Mark (2006). Don't Bother Me Mom--I'm Learning! Paragon House Punie, Y., Zinnbauer, D., Cabrero, M. (2008). A Review of the Impact of ICT on Learning. Office for Official Publications of the European Communities, Luxemburgo


Observações

16 de fevereiro - 3 horas 7 de março - 3 horas 23 de março - 3 horas 30 de março - 3 horas 6 de abril - 3 horas 13 de abril - 3 horas 20 de abril - 3 horas 2 de maio - 2 horas 4 de maio - 2 horas Fim da formação a 14.06

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 07-03-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 23-03-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 06-04-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 20-04-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 02-05-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Presencial
8 11-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
9 25-05-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Presencial
10 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona

Ref. 182T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 182 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-02-2022

Fim: 15-02-2022

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Anabela Gonçalves de Moura Baptista

Ana Marta Esteves Branco da Silva Farrajota

Paula Maria Osório de Araújo Correia

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/RBE

Razões

As bibliotecas escolares têm vindo a consolidar o seu papel na escola através da melhoria das suas condições de funcionamento, do enriquecimento dos seus recursos e da sua ação pedagógica, contribuindo para formação dos alunos nas múltiplas literacias. No âmbito desta formação, pretende-se não só dar a conhecer a ferramenta digital Tagpacker, mas também que os formandos relacionem esses conhecimentos com as suas práticas pedagógicas e contextos específicos. Serão usadas estratégias expositivas e análise de documentos/ tutoriais, para a sustentação teórica e debate em grande grupo, bem como apresentação de exemplos concretos. Na componente prática, os participantes são chamados a manipular, explorar e refletir sobre a utilidade desta ferramenta, permitindo a troca de ideias e experiências, face aos conhecimentos e competências que irão sendo adquiridos. Em suma, os objetivos que norteiam esta ACD são os seguintes: - Refletir sobre o potencial das ferramentas digitais de agregação de conteúdos; - Indexar e organizar recursos digitais usando o Tagpacker; - Integrar, no seu percurso formativo, ferramentas digitais facilitadoras do processo de organização e gestão de informação em linha.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-02-2022 (Terça-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona

Ref. 183T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112708/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 15-02-2022

Fim: 15-06-2022

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Marco Neves

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Esta formação centra-se na importância de integrar abordagens de aprendizagem que coloquem o aluno como elemento central no seu processo de aprendizagem e que através da prática de aprendizagem baseada em jogos o levem, num ambiente estimulante e motivador, a explorar de forma transversal a várias temáticas e tópicos disciplinares a temática do património histórico e cultural. Reconhecendo-se hoje a importância do nosso património, como forma e fonte do entendimento da nossa cultura e entidade, e por outro lado sabendo que as vidas dos nossos jovens se enquadram em ambientes e contextos digitais onde o jogo é uma presença de interação e colaboração, esta ação tem como objetivo maior interligar estes dois mundos e proporcionar ambientes de descoberta e aprendizagem colaborativa e contextualizada do nosso património.

Objetivos

Exploração de ambientes de aprendizagem baseada em jogos numa abordagem multidisciplinar onde a temática central de exploração é património histórico, cultural e natural. Desenvolver em termos de comunidades escolares um trabalho conjunto e colaborativo na exploração de temática do património envolvendo entidades externas à escola como elemento de interligação da escola à comunidade. Proporcionar contextos de aprendizagem que facilitem aos alunos a aquisição de competências que através de ambientes digitais possam explorar, estudar e compreender o mundo do património analógico.

Conteúdos

Esta ação de formação articula-se em torno de duas temáticas que se irão interligar entre si num processo dinâmico e flexível, a temática do património em toda a sua plenitude envolvendo conteúdos das disciplinas de Geografia, História, Arte e Arquitetura. Por outro lado, a temática do jogo digital como ferramenta de valor pedagógico acrescido, através da exploração das capacidades do digital (planeamento e construção) e de estruturas que facilitem a colaboração e a criatividade. Inclui-se também a questão da fomentação de atividades de cariz interdisciplinar onde se cruzem várias disciplinas na exploração da temática do património e que todas elas contribuam para o desenvolvimento de projetos interdisciplinares.

Metodologias

1. Organização e planeamento da oficina (2 horas) 2- Exploração do património cultural, histórico, natural, literário, a nível local, regional, nacional ou internacional. (5 horas) 3- Metodologias: Gamificação vs ABJ (3 horas) 4- Exploração inicial ao Minecraft Education Edition (MEE) (5 horas) 5- Criação de mundos sobre o património (5 horas) 6- Potencialidades complementares: Code Builder e Classroom mode (3 horas) 7- Apresentação dos projetos desenvolvidos Avaliação (2 horas) Trabalho autónomo realizado em contexto de sala de aula e/ou noutros contextos educativos: - Exploração da literatura de suporte à oficina; - Fase inicial: trabalho de investigação (preferencialmente envolvendo os alunos) sobre o património a explorar. Apresentação do mesmo no fórum dedicado ao TA. - Partilha de práticas no âmbito da Gamificação e ABJ. - Exploração dos vários mundos com os alunos. Debate de ideias sobre o tipo de património a explorar. - Exploração das várias potencialidade e funcionalidades do jogo. - Trabalho complementar para o desenvolvimento do cenário de aprendizagem. - Participação em espaços de debate e partilha de ideias sobre a aplicação desta metodologia nas aprendizagens dos alunos.

Avaliação

Avaliação quantitativa dos formandos expressa-se numa escala de 1 a 10 valores, divididos em critérios para a componente presencial e componente de trabalho autónomo. - Nas sessões Presenciais os formandos devem realizar as atividades propostas, nomeadamente debates e partilha de ideias, exploração dos recursos fornecidos, realização dos desafios propostos, aprender a filosofia do jogo Minecraft Education Edition e explorar os mundos e planos de aula existentes. - Trabalho Autónomo: exploração da literatura de suporte à oficina, investigação acerca do património a explorar elaboração de planos de aulas disciplinares/interdisciplinares, aplicação das aprendizagens em contexto de sala de aula com os alunos e produção de um cenário de aprendizagem. Elaboração do relatório e avaliação final da oficina.

Bibliografia

Comission, European. (2021, July 29). Digital Education Action Plan (2021–2027). Education and Training - European Commission. https://ec.europa.eu/education/education-in-the-eu/digital-education-action-plan_en Gee, James Paul (2007). What Video Games Have to Teach Us About Learning and Literacy. Second Edition. Perrenoud, P. (2000). Dez Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artmed Editora. Prensky, Mark (2006). Don't Bother Me Mom--I'm Learning! Paragon House Punie, Y., Zinnbauer, D., Cabrero, M. (2008). A Review of the Impact of ICT on Learning. Office for Official Publications of the European Communities, Luxemburgo


Observações

15 de fevereiro - 3 horas 9 de março - 3 horas 22 de março - 3 horas 29 de março - 3 horas 5 de abril - 3 horas 12 de abril - 3 horas 19 de abril - 3 horas 3 de maio - 2 horas 10 de maio - 2 horas Fim da formação 15.06

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-02-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 10-03-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 22-03-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 05-04-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 03-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 10-05-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 26-05-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 07-06-2022 (Terça-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona
9 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona

Ref. 189T2 Concluída

Registo de acreditação: Registo 189 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 11-02-2022

Fim: 11-02-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Vasco Miguel Soares Craveiro Alves Monteiro

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/INEM


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-02-2022 (Sexta-feira) 09:00 - 16:00 7:00 Presencial

Ref. 189T1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 189 CD nº33 22.02.2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-02-2022

Fim: 10-02-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Vasco Miguel Soares Craveiro Alves Monteiro

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/INEM


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-02-2022 (Quinta-feira) 09:00 - 16:00 7:00 Presencial

Ref. 172T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-105204/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 09-02-2022

Fim: 20-04-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Cláudia Marisa Silva Xavier Mendes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e do Grupo 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e do Grupo 910. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia, pretende ajudar os estados membros a promover a competência digital (CD) dos seus cidadãos e impulsionar a inovação na educação. É essencial aos docentes desenvolver a CD que lhes permita usar tecnologias de forma crítica, eficaz e criativa. Estudos nacionais sobre este tema revelam que os professores portugueses utilizam tecnologias digitais sobretudo para comunicação hierárquica e preparação de aulas, não estando preparados para integrá-las de forma significativa nas suas práticas, promovendo e capacitando os aprendentes. Revelam um nível de proficiência no digital relativamente baixo. A ação de formação que se propõe pretende ajudar a preencher estas lacunas.

Objetivos

Esta ação de formação pretende fornecer aos formandos (de nível A1/A2) um conjunto de conhecimentos, ferramentas e estratégias que lhes permita desenvolver competências digitais (CD) do nível B1/B2 do Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores (DigCompEdu), evoluindo assim do nível anterior A1/A2. São objetivos específicos: - conhecer o DigCompEdu (como se estrutura e como utilizá-lo como documento de apoio); - promover o desenvolvimento das CD dos formandos, tendo em vista: i) a integração de tecnologias digitais em processos de ensino, aprendizagem e avaliação e ii) a promoção da CD dos alunos; - capacitar os formandos para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

(1h) Módulo 1: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. (2h) Módulo 2: Envolvimento profissional - tecnologia digital na colaboração, comunicação e desenvolvimento profissional. Segurança da informação e dos equipamentos. (4h) Módulo 3: Recursos Digitais - estratégias de pesquisa, seleção, criação e partilha de recursos digitais. (5h) Módulo 4: Ensino e aprendizagem - planificação, conceção e implementação de atividades enriquecidas por tecnologia em processos de ensino e de aprendizagem. (5h) Módulo 5: Capacitação dos aprendentes e promoção das suas competências digitais - tecnologia digital para melhorar a inclusão, envolver os alunos e promover a sua utilização de forma criativa na colaboração, comunicação, partilha e resolução de problemas. (4h) Módulo 6: Avaliação das aprendizagens - tecnologia digital na melhoria dos processos avaliativos. (4h) Apresentação e partilha dos resultados da implementação nas escolas das atividades planeadas na oficina. Avaliação e reflexão.

Metodologias

As sessões presenciais conjuntas serão intercaladas com sessões de trabalho autónomo. As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as 6 áreas de competência; realização de atividades práticas num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; planificação e conceção de atividades a implementar na escola, na componente de trabalho autónomo, e que promovam o desenvolvimento das CD dos alunos; reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão. No trabalho autónomo pretende-se a implementação com seus alunos das atividades planificadas nas sessões presenciais articulando o DigCompEdu com o currículo. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Carvalho, M. (2015). Apps para dispositivos móveis: manual para professores, formadores e bibliotecários. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: http://erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Recursos/Estudos/apps_dispositivos_moveis2016.pdf Dias, P., & Brito, R. (2018). Aplicações seguras e benéficas para crianças felizes. Perspetivas dos pais. Lisboa: Centro de Estudos em Comunicação e Cultura, Universidade Católica Portuguesa. Disponível em: https://bit.ly/2KyghvH Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/Open_book_of_Innovational_Education.pdf/c1044658-5793-408c-8acb-a041338111ef Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Disponível em: https://ria.ua.pt/handle/10773/24983 Redecker, C. (2017). European Framework for the Digital Competence of Educators: DigCompEdu. Publications Office of the European Union, Luxembourg. Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/publication/eur-scientific-and-technical-research-reports/european-framework-digital-competence-educators-digcompedu

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 4-2022 Separador 5 - Candidatura ...000036

9, 16, 23 de fevereiro 2,9,16,23 e 30 de março

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 16-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
3 23-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
4 02-03-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
5 09-03-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
6 16-03-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
7 23-03-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
8 20-04-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial


215

Ref. 173T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109593/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-02-2022

Fim: 23-03-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Carlos Alberto dos Santos Naré e Silva

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O audiovisual é actualmente o meio mais potente de informação. Assim sendo é do interesse de todos os educadores conhecer e dominar este poderoso meio de comunicação. Os princípios básicos do audiovisual, a sua gramática, no que se refere ao ordenamento das imagens e dos sons, é desconhecida da maior das pessoas. O próprio sistema de Ensino Universitário é, aliás, bastante omisso neste aspecto, o que leva os professores a utilizarem o audiovisual de uma forma intuitiva e amadora, o que de alguma forma induz, na esmagadora maioria dos casos, a trabalhos de fraca qualidade ou de execução muito difícil. Esta acção propõe-se a colmatar essas lacunas e permitir aos interessados produzir documentos audiovisuais correctos e com interesse pedagógico-didáctico.

Objetivos

Utilizar correctamente a camcorder e periféricos, a fim de produzir documentos audiovisuais com interesse pedagógico-didáctico de utilização na a sala de aula.

Conteúdos

Conceitos básicos do audiovisual UTILIZAÇÃO DA CAMCORDER COMO INSTRUMENTO DE REGISTO O vídeo em contextos educativos

Avaliação

Relatório individual Apresentação de um documento videográfico.

Bibliografia

Almeida, Manuel Faria. CINEMA E TELEVISÃO, Princípios Básicos. TV Guia 1989. Silva, Carlos Alberto. O ABC DO AUDIOVISUAL. Inédito em Textos Word ,1997, revistos em 2000

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 4-2022 Separador 3 - Candidatura ...000036

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-02-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
2 16-02-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
3 23-02-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
4 02-03-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
5 09-03-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
6 16-03-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
7 23-03-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial


216

Ref. 162T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113102/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 02-02-2022

Fim: 02-03-2022

Regime: Presencial

Local: ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO LOPES

Formador

Álvaro Ludgero Lopes Sebastião

Destinatários

Professores dos grupos 530, 540 e 550

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 530, 540 e 550. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 530, 540 e 550.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

A Robótica está cada vez mais na ordem do dia, tendo esta área um enorme potencial de empregabilidade num futuro próximo. Há imensas atividades criativas e motivadoras para os mais jovens, como tal, os professores devem estar atentos e preparados para estes desafios. Verificando-se que muitos professores ainda continuam a sentir lacunas na aplicação das Tecnologias, Eletrónica, Robótica, Domótica e no sentido de melhorar as suas competências essenciais na educação dos alunos, pretende-se com esta oficina de formação, estimular os vários docentes a empenharem-se no desenvolvimento de novas experiências e em aprendizagens potencializadoras e relevantes. Os professores formandos, vão aprender a usar ferramentas de programação no Tinkercad Circuitos, onde se pode criar códigos, simular componentes e carregar posteriormente os códigos num produto final. Os participantes terão a oportunidade de criar uma parte mecânica em 3D, uma placa eletrónica e programar um robô móvel autónomo. Podem ainda desenvolver outras atividades relevantes na área.

Objetivos

Aprofundar conhecimentos básicos de eletrónica; • Adquirir/aperfeiçoar o conhecimento básico de robótica móvel e autónoma; • Fazer/aplicar técnicas de soldadura de componentes eletrónicos; • Aprender a usar ferramentas de processamento de imagem com recurso a câmaras e visão por computador • Adquirir/aperfeiçoar o conhecimento de novas plataformas robóticas; • Aprender a programar robôs com recurso a ferramentas gráficas (mBlock editor do Scratch 2.0); • Adquirir conhecimentos dos principais desafios científicos na área da robótica; • Aquisição de equipamento robótico didático para as suas aulas.

Conteúdos

Circuitos Elétricos/ Eletrónicos; O que é a Eletricidade; Grandezas Elétricas; Simbologia; Leis Fundamentais; Efeitos da Eletricidade; Eletrónica; Simbologia; Componentes Eletrónicos Básicos; Introdução às linguagens de programação C++”; Construção de robôs; Testes de programação com “MBlock e Tinkercad Circuitos”; Programação em Arduíno; Programação microcontrolador ESP8266 WiFi; Desenvolvimento de um robot autónomo; Construção de uma Impressora 3D caseira; Construção de PLC Arduíno; Impressão em 3D;

Metodologias

O formador apresenta os conteúdos, fornece os materiais de apoio e exemplos de aplicação dos conceitos na prática pedagógica. No final de cada sessão teórica de 3 horas os (as) formandos (as) deverão discutir os temas e exemplos em debate, assim como a elaboração/construção dos possíveis materiais ou maquetes sobre o tema analisado. Por exemplo: organizar unidades de trabalho, elaborar critérios de avaliação ou listas de atividades. Esses materiais poderão ter suporte digital. São 15 horas de trabalho presenciais sob a orientação do formador e 15 horas de trabalho autónomo com os alunos. Sessão nº 1 – Apresentação aos alunos do projeto de formação “Cube de Robótica XL”, como envolver as aulas. Sessão nº 2 – Testes em aula de circuitos elétricos/eletrónicos. Sessão nº 3 – Desenvolvimento em aula de projetos e maquetes diversos com recurso aos microcontroladores Arduíno. Sessão nº 4 – implementação em aula da impressão 3D. Sessão nº 5 – Avaliação dos projetos desenvolvidos na aula e apresentar na comunidade educativa.

Avaliação

Avaliação quantitativa dos formandos, na escala de 1 a 10 valores, segundo decisões da Comissão Pedagógica e deve também ser rigorosamente observado o estipulado nos n.ºs 1 a 4 e 7 a 9 do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2015 do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, publicado no Diário da República, 2.ª Série, N.º 87, de 6 de Maio.

Bibliografia

https://www.tinkercad.com/ http://www.picaxe.com/ http://ultimaker.utopica3d.com/software/cura https://www.raspberrypi.org/ https://www.arduinoportugal.pt/ http://www.20.eleya.com https://www.electrofun.pt/comunicacao/modulo-wifi-esp8266


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 7

2, 9, 16, 23 fevereiro e 2 de março, entre as 16:30 - 19:00, na sala do Clube de Robótica , F0.07

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
2 09-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
3 16-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
4 23-02-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
5 02-03-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial

Ref. 164T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-107609/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 24-01-2022

Fim: 07-03-2022

Regime: Presencial

Local: Zoom e presencial

Formador

Carla Carmo Correia Limpo de Assis

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Para fazer face aos novos desafios que a sociedade enfrenta o Decreto-lei nº 55/2018 conferiu autonomia às escolas de modo a garantir que todos os alunos adquiram os conhecimentos e desenvolvam capacidade e atitudes que contribuam para alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. A realização de aprendizagens significativas e o desenvolvimento de competências mais complexas pressupõem a capacidade de trabalhar colaborativamente (alunos, professores e professores com alunos). É por isso necessário proporcionar aos docentes a formação necessária para a optimização das tarefas de de caráter profissional e organizacional que, a todo o momento, são chamados a executar. A valorização do trabalho colaborativo e interdisciplinar, o desenvolvimento de ações estratégicas de ensino orientadas para o perfil dos alunos e o acompanhamento do progresso dos alunos na sua realização pode ser operacionalizada recorrendo aos serviços digitais disponibilizados pela Google Drive ou pela Google Classroom . Em síntese, o propósito da ação é dotar os docentes de capacidades para executar tarefas e, ao mesmo tempo, dar-lhes um sentido pedagógico contextualizado.

Objetivos

Saber utilizar os serviços Google como um recurso digital passível de apoiar atividades de aprendizagem ativa ● Saber utilizar os serviços Google em contexto de organização e gestão escolar; ● Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo na escola ● Transferir ficheiros volumosos.

Conteúdos

● Potencialidades do trabalho colaborativo na Drive ● Criação de um ficheiro Doc, partilha e realização de trabalho colaborativo (planificações, atas, planos de atividades, etc.). ● Recomendações para a gestão e identificação de documentos digitais ● Google Chrome (gestão de conta, sincronização, passwords, incognito window) ● Google Sheet (grelhas de avaliação, cronogramas, listas de alunos e fotos) ● Formulários (aplicação formulário e visualização das respostas) ● Google photos (fotos da turma, álbuns, livros de fotos) ● Organização da conta de correio electrónico (etiquetas e filtros, contactos, anexos, etc.) ● A Drive e o Plano Anual de actividades no Agrupamento de Escolas João de Deus ● Os Slides como ferramenta para construir colaborativamente um livro ● O Wetransfer ● Classroom ● Calendário, tarefas e eventos ● Google keep

Metodologias

As atividades e tarefas serão trabalhadas, após o enquadramento teórico, com um acentuado carácter aplicado. Tendo em conta a matéria da ação serão utilizados todos os recursos tecnológicos para fornecer as ferramentas pedagógicas adequadas para uma utilização educativa contextualizada na escola e na comunidade.

Avaliação

Os formandos/participantes serão avaliados pela participação/presença e pelo empenhamento nas atividades promovidas, de modo continuado, tendo como referência os objetivos da ação e através da realização de um trabalho individual e/ou de grupo sobre as temáticas relacionadas com os conteúdos da ação, abordados nas diversas sessões. Serão tomados em consideração os seguintes aspetos: ● Participação – 25% ○ Realização das Tarefas nas Sessões ● Aquisição de conhecimentos – 60% ○ Produção de Trabalhos e/ou Materiais ○ Aplicação em contexto escolar ● Reflexão crítica – 15%

Bibliografia

Google for Educators: The Best Features for Busy Teachers Edutopia: George Lucas Educational Foundation https://www.edutopia.org/google-for-educators Welcome to your first day of Classroom Google for education: Teacher Center, https://teachercenter.withgoogle.com/first-day-trainings/welcome-to-classroom

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 4-2022 Separador 4 - Candidatura ...000036

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-01-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 31-01-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
3 07-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
4 14-02-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
5 07-03-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


194

Ref. 154t1 Concluída

Registo de acreditação: Registo 154 CD nº32 10.12.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 19-01-2022

Fim: 19-01-2022

Regime: Presencial

Local: on line

Formador

Sandrina Isabel Rodrigues Coelho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;.Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento; .

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa/Agrupamento Tomás Cabreira

Razões

A ação de curta duração tem como objetivo contribuir para que os professores do Agrupamento Tomás Cabreira participem com os seus alunos em projetos eTwinning, no âmbito do desenvolvimento das aprendizagens essenciais da sua disciplina. Assim como, fomentar o trabalho em rede entre si e com alunos e professores de escolas da União Europeia. Pretende, também, facilitar o trabalho colaborativo promovendo a partilha regular de práticas e a utilização do digital no agrupamento. Esta ação procura explorar as potencialidades da plataforma eTwinning, nomeadamente, os kits de projeto e o eTwinning live - pessoas, projetos, fóruns de parceiros, eventos... Trabalho autónomo dos formandos: registo na plataforma eTwinning. Seleção de um projeto significativo para o desenvolvimento do currículo da sua disciplina. A ACD prevê sessões periódicas (de três em três semanas) de acompanhamento dos professores no âmbito do desenvolvimento de projetos eTwinning, nomeadamente para debater ideias, esclarecer dúvidas e partilhar práticas/saberes.

Conteúdos

Abordagem ao portal eTwinning. Exploração da plataforma eTwinning live. Partilha de projetos eTwinning desenvolvidos com alunos de 3.º e 4.º anos que enriqueceram o desenvolvimento do currículo. Apresentação de projetos em que os professores poderão participar. Exploração do Twinspace. Esclarecimento de dúvidas. Discussão e debate de ideias.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-01-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 174T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112391/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-01-2022

Fim: 23-03-2022

Regime: Presencial

Local: Presencial

Formador

Maria João Martins Teixeira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Acompanhando a exigência de que no ensino há necessidade de renovação, cremos que é essencial desenvolver conteúdos e recursos educativos que potencializem novos cenários de aprendizagem para a Educação Artística. Este propósito, que é uma das exigências do plano de intervenção do PEEA, contribui a nível nacional para a formação estética e artística dos profissionais de educação. Assim, observando os princípios orientadores e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, esta formação, em Música, pretende desenvolver práticas pedagógicas inovadoras que valorizem o papel central da Educação Artística, no contexto escolar.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento da Educação Artística, na área da música, no âmbito da missão do Programa de Educação Estética e Artística. - Analisar o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, a Matriz Curricular em Educação Artística, as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar e as Aprendizagens Essenciais para a Música. - Desenvolver um conjunto de referentes, através de atividades especificas, que promovam uma pedagogia ativa centrada na criação, na experiência e na exploração do mundo envolvente, bem como na interpretação musical, privilegiando a voz, o corpo e os objetos / instrumentos. - Promover metodologias de ensino inovadoras recorrendo a meios, materiais, dispositivos e instrumentos, com diversidade sonora/musical e expressiva. - Valorizar o papel da Educação Artística como forte potenciador do desenvolvimento pleno do sujeito e nas relações com os outros, relacionando a música com as outras áreas do saber.

Conteúdos

Contextualização (1h) - Princípios orientadores do Programa de Educação Estética e Artística (PEEA). A Música no âmbito do PEEA. - Educação Pré-Escolar e o 1.º ciclo do Ensino Básico. Documentos de referência: Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade Obrigatória, Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar; Educação Artística no 1.º Ciclo do Ensino Básico - Matriz Curricular/Musica. Conteúdos específicos da Música (4 horas) Elementos musicais. · Timbre, altura, dinâmica, ritmo, forma. Domínios. · Criação - A criatividade e a improvisação em música; · Audição - Escuta musical ativa; · Interpretação – voz, corpo e instrumentos; · Contextos Musicais - Música, sociedade, cultura e história; · Simbolização/representação musical convencional e não convencional. Enquadramento. · O corpo humano enquanto primeiro (e principal) instrumento de expressão artística em Música; · Música para todos - metodologias ativas e respetivos pedagogos; · A multiplicidade da Música (géneros/estilos), sua relevância e transversalidade com outras áreas do saber. Recursos educativos (16 h) Criação (4 h) 1. Estímulo à experimentação sonora. 2. Criação e improvisação - corpo e objetos; 3. Percursos de aprendizagem com Pedagogia musical ativa; 4. Exploração/criação sonoro-musical com formas, estilos, géneros e tecnologias diferenciadas. 5. Atividade: criação e improvisação de ambientes sonoros, sequências e peças musicais. Corpo (4 h) 1. O corpo como instrumento de expressão artística em Música; 2. Timbre, Ritmo, pulsação, acentuação, andamentos; 3. Percursos de aprendizagem: metodologia ativa; 4. Timbres e ritmos corporais - improvisação e interpretação em géneros e estilos diferentes; 5. Atividade: Exercícios rítmico-corporais, Música e movimento. A voz (4 h) 1. A voz como instrumento: importância e cuidados (relaxamento, respiração e vocalizos); 2. Parâmetros musicais: exploração de potencialidades do aparelho fonador; 3. Metodologias e técnicas de ensino de canções e jogos prosódicos: pedagogia musical ativa; 4. Técnicas de execução e de interpretação musical (voz falada e cantada) e música de conjunto; 5. Atividades: Escolha e seleção de canções e cantos rítmicos de acordo com a faixa etária e o desenvolvimento musical dos alunos. Representação e contextualização (4 h) 1. Repertório musical e contexto sociocultural: escolha de canções, jogos prosódicos, peças para escuta orientada; 2. Audição e interpretação de peças musicais com formas, estilos, géneros e tecnologias diferenciadas; 3. Música para todos e a transversalidade do currículo; 4. Técnicas de interpretação e prática de musical de conjunto: vocal, corporal e instrumental. 5. Atividades: Exploração de códigos e formas diferenciadas de representação gráfica dos sons (convencionais e não convencionais); Exploração de instrumental Orff. Reflexão e exposição de propostas de trabalho (4 h) 1. Apreseação de proposta de um recurso educativo que reflita os conteúdos abordados na ação.

Metodologias

Presencial: Sessões teórico-práticas. Os conteúdos são expostos no decurso da apresentação com uma sequência de recursos, materiais, dispositivos e instrumentos para a prática educativa. Simultaneamente, desenvolvem-se modelos pedagógicos preconizados pelo PEEA, no âmbito da área da Música, centrados numa aprendizagem que potencie o desenvolvimento pleno do aluno. Neste enquadramento, a apresentação do conjunto dos recursos educativos é acompanhada pelos procedimentos necessários à sua produção, manuseamento a aplicação em contexto escolar. Reflexão e exposição das propostas a serem apresentadas como trabalho individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua, de acordo com os seguintes critérios: Participação/Contribuição - 50%; Trabalho de aplicação de Conteúdos (Projeto e reflexão crítica) - 50%.

Bibliografia

Gordon, E. (2000). Teoria da Aprendizagem Musical: Competências, Conteúdos e Padrões. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Swanwick, K. (1988).Music, Mind, and Education. London: Routledge. UNESCO (2006). Roteiro para a Educação Artística. Desenvolver as Capacidades Criativas para o Séc. XXI. Lisboa: Comissão Nacional da UNESCO. Willems, E. (1970). As Bases Psicológicas da Educação Musical. Fribourg Editions Pro-Música. Wuytack, J., & Palheiros, G. (1995). Audição Musical Activa. Associação Wuytack de Pedagogia Musical, Porto.

Anexo(s)


Observações

PASTA - Nº 26-2020 Separador 10

Datas: Funcionará na Escola Neves Júnior Sessões de 3h das 16h às 19h: 19/01, 26/01, 02/02, 09/02, 16/02, 09/03, 16/03 S