Contactos
Av. 5 de Outubro, Faro 8004-069 Faro
289826007

Oferta Formativa

Consulte informações sobre a oferta formativa

Documentos

Consulta e download de documentos e formulários.

Legislação

Consulte a legislação em vigor

 

 

DIVULGAÇÃO

202

IIº CICLO DE CONFERÊNCIAS TEMÁTICAS: FORMAÇÃO DE PROFESSORES E ISOMORFISMO PEDAGÓGICO

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

ZOOM

Embora fosse introduzido um sistema de formação ou formação/progressão e criadas condições para que todos os professores tivessem acesso à formação para a generalidade dos professores não está interiorizada a ideia de formação permanente e a mesma está associada a exigências burocrático-administrativas de ...
Ler mais Ler menos

Ref. 142T1 Inscrições abertas até 01-12-2021

Registo de acreditação: Registo 142 CD nº31 07.10.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-12-2021

Fim: 06-12-2021

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento; .

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

Embora fosse introduzido um sistema de formação ou formação/progressão e criadas condições para que todos os professores tivessem acesso à formação para a generalidade dos professores não está interiorizada a ideia de formação permanente e a mesma está associada a exigências burocrático-administrativas de progressão na carreira e não a uma condição de melhoria efetiva do seu desempenho na escola. O impacto da formação sobre a aprendizagem dos alunos está fundamentalmente associado à transferência que os professores fazem da formação em que participaram para o seu desempenho na sala de aula, assim como o impacto da atualização de competências sobre o funcionamento geral da escola está fundamentalmente associado à transferência da formação. A propósito do impacto da formação, Caetano (2003) refere que a transferência da formação se traduz na aplicação dos conhecimentos e técnicas que os formandos aprenderam nas ações que frequentaram e que o mesmo se deve constituir como o fator mais importante a ter em consideração na avaliação da eficácia da própria formação, porque esta não se constitui como um fim em si própria, mas, sim, como um meio para melhorar o desempenho profissional dos docentes e, através dele, aumentar o sucesso escolar dos alunos e melhorar o funcionamento global da escola.

Conteúdos

• Conhecimento profissional docente • Formação de professores • O isomorfismo pedagógico • O perfil dos formadores


203

IIº CICLO DE CONFERÊNCIAS TEMÁTICAS: A VOZ AOS FORMADORES E AOS FORMANDOS/ Conquistas e ambições no domínio da formação contínua

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

ZOOM

De acordo com Jesuíno (in Caetano, 2007), a avaliação da formação envolve uma multiplicidade de construtos – da personalidade às motivações, da aprendizagem aos processos de influência, das atitudes aos comportamentos, incluindo as variáveis macro contextuais tanto ao nível próximo das organizações como ao ...
Ler mais Ler menos

Ref. 143T1 Inscrições abertas até 08-12-2021

Registo de acreditação: Registo 143 CD nº31 07.10.2021

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-12-2021

Fim: 13-12-2021

Regime: Presencial

Local: ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;.Para efeitos de aplicação do artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento; .

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

De acordo com Jesuíno (in Caetano, 2007), a avaliação da formação envolve uma multiplicidade de construtos – da personalidade às motivações, da aprendizagem aos processos de influência, das atitudes aos comportamentos, incluindo as variáveis macro contextuais tanto ao nível próximo das organizações como ao nível distal das culturas sociais. A avaliação do impacto da formação e a avaliação da transferência das aprendizagens são duas áreas específicas para as quais são necessários mais estudos, dado que se verifica uma ausência de teorias ou modelos devidamente concebidos e testados que possam ser aplicados Considerando que o Regime Jurídico de Formação Contínua de Professores/as (RJFCP), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de Fevereiro, determina, no seu Artigo 14º, que a regulamentação para acreditação de formadores/as é da competência do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC) considerando, ainda, a importância do papel central dos formadores/as no sistema de formação contínua, o aumento significativo das graduações de potenciais formadores/as, a melhoria significativa da formação e qualificação dos/as docentes, bem como as alterações ocorridas nos graus académicos e diplomas no Ensino Superior , o CCPFC entendeu rever o processo de acreditação dos formadores/as adequando-o à evolução do sistema educativo.

Conteúdos

• Estatuto de formador • Sistema Educativo • Experiências profissionais e pessoais • Mudança organizacional • Mudança profissional • Impacto


201

EXPLORAR AS ILHAS BARREIRA EM SALA DE AULA

ACD

 

3.0 horas

 

e-learning

 

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Local a definir

No âmbito do projecto Life Ilhas Barreira, que teve início em 2019, com o objectivo de avaliar a resiliência das Ilhas Barreira às alterações climáticas, o estado das populações de gaivota-de-audouin e de chilreta, e o impacto da pesca na pardela-balear. As Ilhas Barreira assumem um papel importante de ...
Ler mais Ler menos

Ref. 155T1 Inscrições abertas até 10-12-2021

Registo de acreditação: 155

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-12-2021

Fim: 15-12-2021

Regime: e-learning

Local: None

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no nº 1 do artigo 8º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.

Acreditado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Razões

No âmbito do projecto Life Ilhas Barreira, que teve início em 2019, com o objectivo de avaliar a resiliência das Ilhas Barreira às alterações climáticas, o estado das populações de gaivota-de-audouin e de chilreta, e o impacto da pesca na pardela-balear. As Ilhas Barreira assumem um papel importante de refúgio para algumas destas aves marinhas, funcionando também como um importante local de nidificação e alimentação para outras espécies marinhas. Neste sentido, pretende-se desenvolver uma acção de curta duração, em modo online, por forma a divulgar estas espécies e habitats, promovendo um conhecimento activo e consciente da importância da sua preservação. Face à problemática da celeridade das alterações climáticas e da perda da biodiversidade, e considerando o uso indiscriminado de recursos naturais, a sensibilização ao nível da alteração de comportamentos junto dos jovens em idade escolar é urgente. Com esta acção pretende-se fornecer ferramentas práticas aos docentes, enquanto cidadãos e mediadores do saber junto dos alunos, que ajudem a compreender o impacto da atividade humana e a importância que a biodiversidade, local e global, desempenha.

Objetivos

Os principais objetivos desta acção são: - Fornecer conteúdos teóricos e sensibilizar para importância da Ria Formosa e seus ecossistemas, que permitam os docentes leccionar de forma autónoma; - Apresentar atividades práticas a desenvolver em contexto de sala de aula, como ferramenta de educação ambiental. - Contribuir para a melhoria da qualidade do processo ensino-aprendizagem, através da atualização dos docentes na área do ensino das ciências e da educação ambiental para a cidadania.


COMPORTAMENTO E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

Curso

 

15.0 horas

 

Presencial

 

Pessoal não docente

E.B 2/3 Dr João Lúcio

O papel do pessoal não docente, tradicionalmente confinado ao papel logístico para o processo educativo possa acontecer, teve de evoluir. Deste modo, os assistentes tem hoje de ser um gestor dos espaços exteriores de uma escola, um organizador, detentor de um conjunto de competências relacionais a par das ...
Ler mais Ler menos

Ref. 170T1 Inscrições abertas até 17-12-2021

Registo de acreditação: DGAE/711/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 20-12-2021

Fim: 28-12-2021

Regime: Presencial

Local: E.B 2/3 Dr João Lúcio

Formador

David Alexandre Rita Martins

Destinatários

Pessoal não docente

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O papel do pessoal não docente, tradicionalmente confinado ao papel logístico para o processo educativo possa acontecer, teve de evoluir. Deste modo, os assistentes tem hoje de ser um gestor dos espaços exteriores de uma escola, um organizador, detentor de um conjunto de competências relacionais a par das inerentes ao processo educacional. Por outro lado, exerce a sua função não docente numa Escola que se configura como um palco de interações relacionais onde coexistem diferentes formas de estar e de fazer. Esta diversidade cada vez mais vivida na escola nos seus diferentes contextos, sala de aula e espaços exteriores, e pelos seus diferentes atores da comunidade educativa, permite uma grande riqueza de experiências que é importante potenciar mas que pode simultaneamente ser geradora de situações de conflito. Com frequência verifica-se que estas situações são causadoras de um grande stress e desgaste emocional o que tira a energia e disponibilidade que seriam fundamentais. Pretende-se que, através da participação nesta oficina de formação, os formandos desenvolvam competências ao nível da comunicação, do relacionamento interpessoal e da gestão de conflitos numa perspetiva de autorreflexão pessoal e que, simultaneamente, sejam agentes desse mesmo desenvolvimento junto dos alunos. Para isso prevê-se a planificação de um conjunto de atividades concretas a aplicar em contexto de sala de aula.

Objetivos

No final da Acção de Formação, os destinatários foram capazes de: - Compreender os vários tipos de comunicação; - Conhecer os vários modelos teóricos subjacente à comunicação; - Reflectir criticamente sobre a comunicação; - Identificar as principais componentes e estratégias para ultrapassar conflitos; - Compreender os conceitos inerentes à Inclusão, nomeadamente Equidade e Igualdade; - Reflectir sobre as questões de sigilo e ética

Conteúdos

As sessões foram essencialmente teórico-práticas e práticas. Forma utilizados os métodos, expositivo, interrogativo e ativos, recorrendo a diferentes estratégias e técnicas pedagógicas: trabalho de grupo, debate, resolução de problemas, simulação e jogos pedagógicos. As questões foram abordadas com base nas situações concretas da prática docente, e foram tratadas com maior profundidade as mais pertinentes no quadro da vida do agrupamento TEIP, nomeadamente as que estão estritamente ligadas à organização do ambiente escolar, e à vivência no quotidiano. Estas sessões visaram a abordagem conceptual, em simultâneo com a procura do envolvimento motivacional dos professores na gestão do apoio tutorial especifico no seu ambiente escolar.

Bibliografia

CASTANYER, O. (2002).A Assertividade – expressão de uma auto-estima saudável.Coimbra: Tenacitas. CUNHA, P. (2001). Conflito e Negociação. Porto: Edições ASA Deutsch, M. (1949). A theory of cooperation and competition. Human Relations, 2, 129-152. Deutsch, M. (1962). Cooperation and trust: Some theoretical notes. In M. R. Jones (Ed.),Johnson, D. W. (1970). Social psychology of education. New York: Holt, Rinehart, & Winston. ESTRELA, M. T. (2002) Relação Pedagógica, Disciplina e Indisciplina na Sala de Aula. Porto: Porto Editora. FACHADA, M. O. (2006). Psicologia das Relações Interpessoais.Lisboa: Rumo. GOTMAN, J. & DECLAIRE, J. (1999). A Inteligência Emocional na Educação. Cascais: Editora Pergaminho.


COMPORTAMENTO E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

Curso

 

15.0 horas

 

Presencial

 

Pessoal não docente

E.B 2/3 António João Eusébio

O papel do pessoal não docente, tradicionalmente confinado ao papel logístico para o processo educativo possa acontecer, teve de evoluir. Deste modo, os assistentes tem hoje de ser um gestor dos espaços exteriores de uma escola, um organizador, detentor de um conjunto de competências relacionais a par das ...
Ler mais Ler menos

Ref. 170T2 Inscrições abertas até 18-12-2021

Registo de acreditação: DGAE/711/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 20-12-2021

Fim: 28-12-2021

Regime: Presencial

Local: E.B 2/3 António João Eusébio

Formador

David Alexandre Rita Martins

Destinatários

Pessoal não docente

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Ria Formosa

Razões

O papel do pessoal não docente, tradicionalmente confinado ao papel logístico para o processo educativo possa acontecer, teve de evoluir. Deste modo, os assistentes tem hoje de ser um gestor dos espaços exteriores de uma escola, um organizador, detentor de um conjunto de competências relacionais a par das inerentes ao processo educacional. Por outro lado, exerce a sua função não docente numa Escola que se configura como um palco de interações relacionais onde coexistem diferentes formas de estar e de fazer. Esta diversidade cada vez mais vivida na escola nos seus diferentes contextos, sala de aula e espaços exteriores, e pelos seus diferentes atores da comunidade educativa, permite uma grande riqueza de experiências que é importante potenciar mas que pode simultaneamente ser geradora de situações de conflito. Com frequência verifica-se que estas situações são causadoras de um grande stress e desgaste emocional o que tira a energia e disponibilidade que seriam fundamentais. Pretende-se que, através da participação nesta oficina de formação, os formandos desenvolvam competências ao nível da comunicação, do relacionamento interpessoal e da gestão de conflitos numa perspetiva de autorreflexão pessoal e que, simultaneamente, sejam agentes desse mesmo desenvolvimento junto dos alunos. Para isso prevê-se a planificação de um conjunto de atividades concretas a aplicar em contexto de sala de aula.

Objetivos

No final da Acção de Formação, os destinatários foram capazes de: - Compreender os vários tipos de comunicação; - Conhecer os vários modelos teóricos subjacente à comunicação; - Reflectir criticamente sobre a comunicação; - Identificar as principais componentes e estratégias para ultrapassar conflitos; - Compreender os conceitos inerentes à Inclusão, nomeadamente Equidade e Igualdade; - Reflectir sobre as questões de sigilo e ética

Conteúdos

As sessões foram essencialmente teórico-práticas e práticas. Forma utilizados os métodos, expositivo, interrogativo e ativos, recorrendo a diferentes estratégias e técnicas pedagógicas: trabalho de grupo, debate, resolução de problemas, simulação e jogos pedagógicos. As questões foram abordadas com base nas situações concretas da prática docente, e foram tratadas com maior profundidade as mais pertinentes no quadro da vida do agrupamento TEIP, nomeadamente as que estão estritamente ligadas à organização do ambiente escolar, e à vivência no quotidiano. Estas sessões visaram a abordagem conceptual, em simultâneo com a procura do envolvimento motivacional dos professores na gestão do apoio tutorial especifico no seu ambiente escolar.

Bibliografia

CASTANYER, O. (2002).A Assertividade – expressão de uma auto-estima saudável.Coimbra: Tenacitas. CUNHA, P. (2001). Conflito e Negociação. Porto: Edições ASA Deutsch, M. (1949). A theory of cooperation and competition. Human Relations, 2, 129-152. Deutsch, M. (1962). Cooperation and trust: Some theoretical notes. In M. R. Jones (Ed.),Johnson, D. W. (1970). Social psychology of education. New York: Holt, Rinehart, & Winston. ESTRELA, M. T. (2002) Relação Pedagógica, Disciplina e Indisciplina na Sala de Aula. Porto: Porto Editora. FACHADA, M. O. (2006). Psicologia das Relações Interpessoais.Lisboa: Rumo. GOTMAN, J. & DECLAIRE, J. (1999). A Inteligência Emocional na Educação. Cascais: Editora Pergaminho.