425

O ENSINO DA MÚSICA PARA ALUNOS SURDOS turma T1

Apresentação

Não havendo, ainda, a formação específica na área do ensino da música para surdos, 24 anos depois de ter aceitado o desafio para ministrar a disciplina de Educação Musical ao 2.º ciclo de escolaridade da Unidade de Apoio à Educação de Crianças e Jovens Surdos no Algarve, em Faro, o formador pretende partilhar com os formandos vários aspetos da experiência que acumulou no trabalho que desenvolveu com alunos surdos e intérpretes de LGP ao longo dos anos. Para tal, solicitou à Orquestra do Algarve e à Companhia de Teatro ACTA que, em parceria com o Agrupamento de Escola João de Deus, disponibilizassem os meios humanos e físicos para que, em 4h 30m de prática musical, os alunos surdos, intérpretes lgp, músicos e docentes interagissem em torno da música que será produzida por diferentes instrumentos das várias famílias da orquestra. Sendo o Curso de Formação uma modalidade de formação contínua cujos fins e funções são a aquisição, a atualização, o alargamento e o aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos e de competências profissionais especializadas, pretende-se que os formandos possam assistir e participar conjuntamente com os alunos surdos dos 2.º e 3.º ciclos de escolaridade e ensino secundário do Agrupamento de Escolas João de Deus a um ensaio e apresentação musical de um grupo musical de câmara da Orquestra do Algarve, num contexto de sala de espetáculo, neste caso o Teatro Lethes, sendo o Curso de Formação posteriormente complementado através do ensino à distância (8 horas).

Destinatários

Professores do grupo 250, 610 e 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 250, 610 e 360. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 250, 610 e 360.

Objetivos

. Satisfazer as prioridades formativas dos docentes dos agrupamentos de escolas. . Melhorar a qualidade do ensino e dos resultados da aprendizagem escolar dos alunos. . Promover o desenvolvimento profissional dos docentes. . Garantir a difusão de conhecimentos e capacidades orientadas para o reforço dos projetos educativos e curriculares como forma de consolidar a organização e autonomia dos agrupamentos de escolas. . Partilhar os conhecimentos e capacidades orientadas para o desenvolvimento profissional dos docentes. . Permitir aos alunos surdos conhecerem ao vivo e na prática, num teatro, o funcionamento duma orquestra nos seus vários planos e dimensões (humano, instrumental, organizacional e funcional) . Proporcionar a todos intervenientes a vivência e interação comuns numa sala de espetáculo . Conhecer os vários tipos de surdez e o efeito dos mesmas na perceção sonora envolvente. . Identificar e promover estratégias de resposta, de remediação e de substituição perante a ausência da audição.

Conteúdos

. Na componente prática do Curso de Formação, os conteúdos programáticos dos vários graus de ensino ministrados pelos formandos (timbre, altura, dinâmica, duração e forma) serão devidamente adaptados aos vários tipos de surdez dos alunos que se juntarão e integrarão o espaço de execução instrumental da Orquestra do Algarve, tal como interpretarão o acompanhamento da pulsação dos vários andamentos das peças executadas. . Na componente teórica, os conteúdos genéricos para a Educação Musical aprovados pelo Ministério da Educação serão, em grupo de trabalho, devidamente reformulados e adaptados à especificidade e aos diferentes graus de surdez, por forma a que cada formando possa programar uma aula de Educação Musical para alunos surdos.

Metodologias

Neste modelo formativo serão abordados temas como a adaptação dos conteúdos em função da especificidade/grau de deficiência auditiva, a relação dos ouvintes com a música na surdez, a relação dos surdos com a música, a importância do tato e da visão na relação dos surdos com a música, a importância da oralidade na produção e na interpretação musicais por parte dos surdos, a importância do movimento e da gestualidade na produção e interpretação musicais por parte dos surdos e a execução instrumental por parte dos surdos em contexto sonoro, em silêncio e misto.

Avaliação

Programação de uma aula de Educação Musical para uma turma de alunos surdos. Os formandos serão avaliados de forma contínua e de acordo com o regime Jurídico da Formação Contínua de professores, decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua”. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10, nos termos do Artigo 4.º, nº 6, do Despacho n.º 4595/2015 de 6 de maio, tendo por base a participação/contributos, a concretização das tarefas e a qualidade e adequação da realização das atividades propostas nas sessões. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas conjuntas da ação.

Bibliografia

“Surdos na Música”, livro “Subscrevo – Reflexões e Provocações” (2023) - Paulo Cunha, Algarcongress e Música XXI“Educação através da música, com música e para a música”, Revista Multidisciplinar, Vol. 3, N.º 1 (2021): Didáticas Integradas – Paulo Cunha“A Musicalidade do surdo – Representação e estigma” (2003) - Nadir Haguiara-Cervellini. Plexus Editora

Observações

PASTA - Nº 29-2023 Separador 6

Formador

Paulo Luís Vieira da Cunha

Início: 30-11-2023
Fim: 05-12-2023
Acreditação: CCPFC/ACC-120855/23
Modalidade: Curso
Pessoal: Docente
Regime: b-learning
Duração: 12:30 h
Local: Teatro Lethes e e on line